28/11/2016
Silvia Brondy a Professora inesquecível

Minha amiga Maria Egna Mocelini Polimio me surpreendeu com o envio de uma fotografia antiga. Ela nem imagina a alegria que me proporcionou enviando-me a foto das professoras que lecionaram no grupo escolar donde nós nos diplomamos pela conclusão do curso primário da escola do lugar donde nascemos. Na foto as professoras estão num pequeno coreto que havia no terreno com um tímido jardim ao lado direito da escola. No feriado da terça-feira do dia da Proclamação da República do Brasil, ao rever a foto ela me transportou ao passado de quando na rua defronte a escola vi minha irmã Anita e outras meninas chorando. Perguntei-lhe porque estava chorando e ela só me respondeu: Não me enche, não me enche. Só depois fiquei sabendo que o choro fora porque era o último dia de aula para ela e para as outras meninas, e que nunca mais iriam ver a tão estimada professora, a Dona Silvia Brondy.

Dois ou três anos depois também eu cheguei até o “quarto ano” do primário e sob a “maestria” da Dona Silvia. Um “grande invento” da época já havia acontecido: A caneta esferográfica. Era de plástico amarelo transparente e se via por dentro um tubinho também transparente com tinta azul, que, era visível conforme ia se “gastando”, ou melhor, ia se acabando a tinta, mas, demorava. Antes dessa “novidade” e comodidade, para se escrever a tinta era preciso ter um tinteiro, isto é, um vidro de tinta. A caneta era um cabo de madeira com uma pena metálica encaixada numa das pontas. Repetidas vezes precisava “molhar” a ponta da pena no tinteiro para se escrever. E, para secar a tinta depois que se escrevia com ela no caderno, era preciso pressionar sobre o escrito um papel grosso “absorvente” de nome “mata borrão”.

Mas, logo a pena se tornava inútil pelo seu manuseio e era preciso comprar outra. Era um espetáculo visual comprar outra lá no armazém. O “caixeiro” (vendedor) abria uma gaveta do balcão donde havia muitas de diversos tamanhos e modelos. No mais, eram claras na cor de metal, ou, amarelas como cor de ouro. Vê-las era agradável para a curiosidade infantil. 
Olhando para a Dona Silvia na foto ela me transportou para o passado e para aquela sala de aula donde semanalmente eu a via com o seu carisma contagiante. Eu a estou “vendo” agora pela memória indo de carteira em carteira para corrigir as lições de casa dos alunos. Entre outras lições, sempre havia quatro problemas de matemática. Como eu errava todos, com um lápis vermelho sempre a Dona Silvia escrevia sobre a lição da página do meu caderno a nota zero. Nenhum interesse eu tinha para ter problemas para resolver (risos).

O meu interesse, normal e autêntico para a minha idade pueril era para o mundo que existia fora da escola e não na escola. Os dias ensolarados eram bonitos e musicados pelos cantos das cigarras. Eram coloridos pelas asas das borboletas pousadas nas flores silvestres e refrescante com a lagoa da “Vila da Ponte Seca” para se nadar. O futebol de rua ou de campinho era o expandir dos gritos dos meninos pelo “jogo de bola” tão competitivo entre as vilas do lugar. Empinar papagaio no morro, catar frutos na mata, como, goiaba para a mãe fazer doce com elas e outros entretenimentos da época, tudo compartilhava para o êxtase infantil e para as minhas notas zero da escola (risos). Elas perduraram por meio ano até quando eu quis e quando decidi me esforçar para melhorar “minhas notas” para poder “tirar o diploma” no fim do ano. Daí, minhas notas saltaram do zero para cem. Isso não foi comentado por mim e nem pela Dona Silvia como se o “inesperado” fosse assunto para alguma ocasião futura e veio mesmo a ser.

Naquela classe mista de alunos do quarto ano escolar, as meninas eram bem arrumadinhas. Os meninos nem tanto. Quase todos, inclusive, compareciam à escola, descalços e vestindo calças curtas. Era costume da época e nada tinha a ver com pobreza. Entretanto, quando chegou ‘aquele fim de ano’, ele trouxe a ansiedade e o nervosismo para “enfrentar” os exames que iriam avaliar quais alunos teriam condição de “passar ou repetir o ano”. Para isso o dia da tortura chegou (risos). Muita concentração aos exames naquele dia. O silêncio esteve propício até para meditar. Interessante, meninas e meninos, todos foram bem nos exames. Até aqueles “atrasados”, assim como eram conhecidos e que, a Dona Silvia os ajudou para não errarem nos exames que iriam qualificá-los para obterem seus diplomas.

Então... No último dia de aula, lembro-me tão bem de quando a então professora Dona Silvia Brondy, de costas para a parede donde estava a lousa e de frente para os alunos, de pé e encostada em sua escrivaninha, ela se pôs a dar conselhos para os alunos nunca se descuidarem do que aprenderam na escola. Principalmente para aqueles que ela previa que não mais iriam estudar e para aqueles tidos como tendo muita dificuldade em aprender e, até foi citando os nomes deles. Como ela não citou o meu nome, algumas “meninas bonitinhas” fizeram-lhe o favor de citá-lo. A Dona Silvia significando o “não” com o agitar do dedo indicador de uma das mãos me “socorreu” (risos) e lhes disse: Não, ele não! Ele até superou muitos dos que estão aqui.  Ouvir tal testemunho foi animador para o meu ego.

A solenidade da entrega dos diplomas para os alunos daquele 4º ano escolar foi em dezembro de 1952 e ocorreu no salão do cinema do então Bairro da Fábrica de Papel de Caieiras, pouco tempo antes de ele ser destruído por um incêndio. Igual a outros, nunca mais vi a Dona Silvia e ela por ser como era, meiga, responsável e atenciosa deixou muitas saudades. Deixo aqui o “link” de um samba antigo que homenageia as professoras e nos recorda delas:
www.youtube.com/watch?v=2uoZd5w8cSk
                                                                                       Altino Olympio


 
 



Leia outras matérias desta seção
 » Coisas da vida
 » A raça preferida
 » Detector de mentiras mundial
 » Espetáculo inesquecível
 » Os bons princípios dos velhos anos novos
 » O Marcolino
 » Que tal o Natal de agora?
 » Nenhuma praça havia
 » Somos o que pensamos?
 » Se não fosse os outros...
 » Fluxo de sensibilidade
 » Será que a vida é uma ilusão?
 » A marca da besta
 » Convém não pensar
 » Adeus dia de Finados
 » Conversa ocasional
 » Por que viemos ao mundo?
 » O passado convive com o presente
 » Os traídos e os traidores
 » Os exagerados do Youtube
 » Os que não sabem são os que mais sabem
 » Brasil, fonte do saber
 » Seres humanos que muito irritam
 » A Torre de Babel brasileira
 » Pegando pesado
 » Pensamentos lúcidos
 » O diálogo entre um Ateu e um Espírita
 » O gostar de alguém sem o alguém saber
 » Má temática da vida
 » Avenida Paulista amarelada
 » Tempo e a submissão a ele
 » Os simples e os gênios da humanidade
 » História apavorante
 » É proibido e pecado se suicidar
 » O castigo existe?
 » As noites são das lembranças
 » Homem, o dominador
 » A moda rasgada  
 » Agora as ruas são desertas de crianças
 » Sepultados no mar
 » A personalidade
 » A biblioteca do orgulho
 » Será que somos insignificâncias neste mundo?
 » O povo sempre é e sempre será o povo
 » O inevitável incômodo da vida
 » O se desconhecer
 » O desamparo nunca é citado
 » Profissões supérfluas rendem mais
 » Brasil a deriva
 » Somos todos irmãos, mas, nem tanto assim
 » Poluição mental
 » O Psiquiatra esquartejador
 » “Formigação” indesejável
 » Somos prisioneiros do tempo
 » O império da sexualidade
 » Rio assassinado e garoto acidentado
 » O universo mental de cada um 
 » O homem que lê vale mais?
 » Futuro interrompido
 » Um padre na escuridão
 » Madrugada sem solidão
 » A história de quem fez história
 » Jovens e velhos e suas diferenças
 » A santa ingenuidade
 » Saudades do raciocínio
 » Não existem coincidências?
 » O destino oculto das nossas vidas
 » Quando se sabe que nada se sabe
 » Desperdiçar o tempo
 » Os inconvenientes de sempre
 » Quando o paraíso existe
 » O aumento que diminui a moral
 » A vida no tempo e vice-versa
 » Por onde anda a decência dos políticos?
 » Trapistas, os monges do silêncio
 » Liberdade, Igualdade e Fraternidade
 » Eleição divertida
 » O Brasil é um país sério
 » Que Brasil você quer ?
 » Os políticos desprivilegiados
 » Barrigas perigosas
 » Somos prisioneiros mentais
 » Certezas e dúvidas
 » A inesperada e indesejada
 » A consciência viajante
 » Opiniões, comparações e contradições
 » Como se escolhe o melhor presidente
 » Os sonhos e os espíritos
 » Pressão arterial panaceia
 » Tonterias sérias
 » O panteísmo de Espinoza
 » A distância é como o vento
 » Estatina a Companheira indesejável
 » Viver mil vidas numa só vida
 » O menino e a chuva de pedra
 » Zumbido nos ouvidos
 » Mundo conturbado pelos que não evoluíram
 » Desinformação e distorção da verdade
 » Chegando ao começo do fim da vida
 » Nada de novo sob o sol
 » Quando havia fascinação
 » Nossos heróis morreram e outros não nasceram
 » Quem é você leitor?
 » Clube da Terceira Idade de Caieiras
 » Comparação decepcionante
 » Passeio do viver interior
 » Entrada provisória e saída temporária
 » A redundância só irrita
 » Cinemas antigos:Aquele mundo romântico acabou
 » Como era verde o meu vale
 » O viver é a viagem para o morrer
 » Percepção extrassensorial ou sexto sentido
 » Os acasos são os casos inesperados
 » A proteção desprotegida
 » Cinema paradiso de Caieiras
 » Os pagadores de promessas
 » Constatações
 » Vende-se uma cama de prego usada
 » Quem é o que é sempre será o que é
 » As amigas intolerantes
 » A medicina comestível
 » A vida e o mundo são apenas sonhos de aventuras
 » Coisas de País de primeiro mundo
 » A vida é engraçada quando não é trágica
 » Pra que falar se ninguém quer escutar
 » Conflito com as ilusões
 » Quanto mais se vive menos se aprende
 » A eterna desigualdade humana
 » Somos conforme são os nossos pensamentos
 » America latrina em destaque
 » Prá onde foi morar a moral?
 » O detestável adorado pela mídia
 » Os comuns e os incomuns do pote de ouro
 » Desejos que só ficam nos desejos
 » Entrevista com o Filósofo (Altino Olympio)
 » O início da fila que ninguém quer ver
 » O despertar para as realidades
 » Músicas maravilhosas
 » Nosso personagem interior
 » Nós, os Adãos de todos os tempos
 » Brincando com a vida
 » O pesadelo terminou num sonho bom
 » Moda que incomoda
 » Mundo perverso
 » Salto para a vida
 » O melhor programa de televisão
 » Foram bilhões que desapareceram antes
 » A reputação morreu
 » O prevalecer dos enigmas
 » Essas crianças grandes...
 » Dia dos mortos alegre para os vivos
 » Os Anjos da Guarda
 » Neste mundo tem gosto pra tudo
 » Morrer e renascer
 » Vivências inquietantes
 » A ciência e a inconsistência
 » Reencontros parentescos
 » Dispensar pensamentos
 » O mundo e a humanidade
 » O desprendido
 » As primas Meneghini Olimpio
 » Em tempo o reconhecimento
 » O passado “vive” no presente
 » Parque da Àgua Branca
 » A vida como ela é e não é
 » Mundos em crise
 » A droga da felicidade
 » Brasileiro é tão bonzinho
 » Mundos opostos
 » Os príncipes desencantados
 » O homem e suas limitações
 » Deus nos livre dos parentes
 » A Banda da ilusão
 » As noites dos ricos
 » Cocheira e política
 » Reencarnação seletiva
 » O homem e a sua razão
 » A morte nunca se aposenta
 » A solidão bem vinda
 » Transformações psicológicas
 » Palanques das ilusões
 » Brasileiro desiludido
 » Em Brasília vivem os donos do Brasil
 » Fraqueza mental humana
 » Minha amiga nostálgica
 » Todos ficam presos na rede
 » Quem ensina pratica o que ensina?
 » A praça, o banco e a pomba
 » Até a Eternidade
 » O teatro da vida
 » Inteligência ignorante
 » Espiritualidade e fidelidade
 » Ateus e não ateus
 » A realidade de cada um
 » Enquanto se existe
 » A memória amiga ou bandida
 » 100 anos da Igreja do Rosário
 » A Vila Leão história agora
 » Destruidores de políticos em ascensão
 » O paraíso perdido
 » O Brasil exemplo
 » Políticos desalmados
 » Os inimigos da inteligência
 » Mentes perturbadas
 » Saudades dos bailes de outrora
 » A tapeação da vida
 » Silvia Brondy a Professora inesquecível
 » O odiado Donald Trump
 » Meditação
 » O extraterrestre
 » Tentações religiosas
 » O Cemitério da Cerâmica
 » O último prazer da vida
 » Cine Marajá e suas lembranças
 » A estupidez está na moda
 » A vida é um bem perecível
 » A Rua da Pensão e a “venda” de antes do armazém
 » Sensações
 » Baltazar do Corintians
 » Confronto com a realidade
 » O médico nazista também viveu no paraíso
 » Melhor é olhar para as nuvens
 » A vida é como um longo sonho que tem fim
 » Viver é...
 » Masturbação pecadora
 » O poeta e o senador
 » Olimpíada prostituta
 » Mulheres mostrando seus bastidores
 » Criança lembrança
 » Pandemônio
 » Nascer sem perceber e sem pedir
 » O viver dos indiferentes parece ser melhor
 » Tenha uma conversa inteligente
 » O melhor conselho
 » Ali Babá era mais modesto
 » Rastros do tempo
 » A alma humana
 » Coitado do povo
 » A solidão te pegou e não te deixa
 » Procura-se a felicidade, viva ou morta.
 » Tardes de Lindóia
 » Lugar e gente da minha memória
 » Era bem divertido
 » A centenária substituição populacional
 » Você apareceu na televisão ?
 » Tudo culpa do lança perfume
 » Futebol com melancia
 » Catar pinhão
 » Uma história de amor
 » Mistérios insolúveis
 » Apartamentos do se apartar
 » Dois homens diferentes, completamente
 » Amor aos ideais contrários
 » Passar a saliva funcionava
 » A desonestidade nacional
 » A mulher do Chiquinho
 » Somos o que não somos
 » Cuidado com os papagaios sem penas
 » Leva-me para viajar
 » Um dos meus monólogos
 » A Torre de Babel da política
 » Apegos
 » O homem teórico
 » O beco sem saída
 » Nada se sustenta
 » Você também já passou...
 » A fascinação Facebook
 » Meus pensamentos desconexos
 » É bom se lembrar dos tempos de rapaz
 » Estamos cheios do vazio dos outros
 » Brasil embargado
 » Saudades da natureza
 » Gente se queixando da idade
 » Carnaval e política para quem merece
 » A alma sob dúvida
 » Pensar pode, falar não
 » E tudo passa, tudo passará...
 » Desejos, apenas desejos de desejos
 » Se todos fossem índio por um dia
 » Infância, juventude, maturidade e velhice
 » A dança da vida
 » Amoras pisadas
 » Brasileiro nunca mente
 » Impróprio para simplórios
 » Entrevista com a Situação
 » Os pardais e o povo
 » O baile dos arrependidos
 » Saudades da bananeira
 » Sabonete para almas sujas
 » O futuro é reviver o passado
 » Benzedor do terror
 » Infância é passado na lembrança
 » Reflexões delirantes
 » Sócrates, alma, Imortalidade...
 » A perfeição da imperfeição humana
 » E-mails constrangedores
 » Kit Gay e a Escola de estímulo sexual
 » Torresmo Atômico
 » Supositório na cabeça ?
 » Você não é você
 » Essas criaturas confusas...
 » As mulheres dando a volta por cima
 » O estado de espírito
 » Até a eternidade
 » Pouco caso e muitos acasos
 » Fim da tarde
 » A ponte do encantamento
 » Passeata invisível
 » "Dez armamentos” só para bandidos
 » Obras do Metrô supervisionada do além
 » Brasil campeão da miscigenação
 » Frases da atualidade
 » Fuga para o passado
 » Deboche da vida
 » Bronca da amiga
 » Reflexões indesejadas
 » Filosofadas dos filósofos
 » Ainda é tempo de templo
 » Projeção astral
 » O Deus que te abençoe
 » Certezas nas incertezas
 » A vida e a morte sempre se encontram
 » Velórios e sepultamentos antigos
 » Crianças “descriançadas”
 » Não julgueis para não seres julgado
 » Tempos de indiferença
 » Orar ou rezar para se proteger
 » Nossos sonhos
 » A santa FIFA
 » A tua estrada
 » Esses homens maravilhosos com suas mentes voadoras
 » Evoluções do século vinte e um
 » Viver e morrer
 » Degraus da evolução
 » Friedrich Nietzsche “era o cara”
 » O passado é mais presente
 » As arrueiras de Caieiras
 » Brasileiro é tão bonzinho.....
 » Copa do Papa
 » Para pensar....
 » Por que será que a morte mais procura os inocentes?
 » Ajuizado contra juizes
 » Mídia mentirosa
 » Mantra Sagrado
 » O nudismo revela o que a roupa engana
 » Paraíso perdido
 » Objetividade morta
 » Ácido no Paraíso
 » Constatações
 » É só barulho
 » Universidade gratuita
 » Comprovação da evolução brasileira
 » A grande farra
 » Brasil desbrasilizado
 » Morri sem saber
 » Translado ao passado ou a Maquininha
 » Curas medicinais ou espirituais
 » É só alegria
 » A profundidade de Krishnamurti.
 » Somos mais não ser do que ser
 » O Povo mais feliz do mundo
 » A Vida e a Imitação
 » Adão com Adão e Eva já era
 » Seria assim na intimidade
 » Apenas mais um político “exemplar” para ser reeleito
 » Passeatas
 » O DEUS na visão de Spinoza
 » Quem você pensa que é e não é
 » A inteligência está com Alzheimer
 » Estar ou não estar onde se está
 » Os mais de cinquenta
 » Vida indefinida
 » Santo Daime
 » Essas crianças grandes
 » Futebol é a verdadeira vida
 » Acorda Brasil
 » Saber ou não saber viver
 » Foram sonhos da juventude
 » O amor intenso enfraquece
 » O Buda
 » Nós somos sequências e consequências
 » Povo despovado
 » Lamúrias
 » A vida existe para a morte
 » Conclusões idosas
 » Pão do céu
 » Mistura de espíritos
 » Pobres e ricos
 » Falam sem saber
 » A mente é tudo
 » O homem escravo de si mesmo
 » Verborragia
 » Coitado do Valdomiro
 » Perguntar já era...
 » Rancho do clube da cachaça
 » Envelhecer é ficar insuportável
 » A evolução humana
 » Os desinformados se formam
 » Gato pistoludo
 » Gente que só irrita
 » Persistência do nada saber
 » Padre Marcelo e o "desagato"
 » Setembro negro
 » Mudanças
 » Terra de igualdade
 » Mentiras triunfantes
 » O tempo sempre desmente
 » Importancia nula
 » Por fogo na brasa
 » A morte
 » Tempos modernos
 » Proteção incontestável
 » Estar na moda incomoda
 » Jardim da infância para adultos
 » Passado, presente e futuro
 » O desumanizar
 » China show
 » Homens dedicados e delicados
 » Tema insuportável
 » Os velhos sabiam
 » Boiadagem
 » Que? Não te entendo
 » Preferências
 » Instinto institucional
 » Ficção equina
 » Presentes, mas, ausentes
 » Espiritualidade
 » Mundo superlotado
 » Nadar e morrer na praia
 » A sub raça
 » Autotraição
 » Mentiras são verdades
 » Liberdade prisioneira
 » Amizade ou tolerância ?
 » Adeus as ilusões
 » Mensagem entre amigos
 » A vida
 » Acontecia nos bailes
 » Onde estão as crianças?
 » Quem sou eu?
 » O Papa adormecido
 » Demonios no santuário
 » Deslumbramento fatal
 » Tempo perdido
 » Desconfortos
 » Nós, os clones
 » A grande verdade
 » Salto para a vida
 » Cabeça podre
 » Somos estranhos
 » Iguais até o fim
 » Resposta a um amigo
 » Vamos ao circo
 » Discórdia familiar
 » Preocupação com o clima
 » Há controvérsias
 » Comentários
 » Suplício oculto
 » Calamidade
 » Campo de concentração
 » Melhor idade
 » Natureza quieta
 » Homens malditos
 » Ter que viver
 » Roubo divino
 » Nem santo salva
 » Mundo podre
 » Tormento decisivo
 » Escrito para nós
 » Crônica desagradável
 » Amor tem prazo
 » Somos isolados
 » Inimigos amigos
 » Glória, amiga virtual
 » Falência Humana
 » Contatos imediatos com o além
 » Discipulado difícil
 » Só vendo o dia passar
 » Pelos poderes do filósofo
 » Gente sem palavra
 » Não Fale Mal
 » Quando a Casa Cai
 » Futuro Ausente
 » Encontros Sendo Desencontros
 » Ninguém é Ninguém
 » Mundo Maravilhoso
 » Anonimato
 » Tudo é Modelo de Indústria
 » É Assim Mesmo!
 » Acautelem-se
 » Consciências Caóticas
 » Mundo Irracional
 » IV Pensamento...
 » Chega, Cale a Boca!
 » Dois Pensamentos
 » Alma e Conseqüências
 » Alma Ainda é História
 » Anseio Inútil
 » Pensamento
 » Apetite Insaciável
 » Existirão Controvérsias?
 » DEVANEIO
 » SOCORRO!
 » Cotidiano ao Avesso
 » Poucas Opções
 » Todo Mundo na Lona
 » Os OlÍmpios inventaram as Olimpíadas
 » Enganação
 » Pistola divina
 » Chupeta mística
 » Filantropia ao máximo
 » Os Protegidos
 » A Psique Em Evidência
 » Nada saber é o nosso saber "To be or not To be"
 » Confúcio confundido
 » Dependências
 » A verdade desilude
 » Sonhar acordado
 » Ser sucinto
 » Apartar-se
 » Fim do mundo
 » Invasões estabelecidas
 » The End
 » O Pensador
 » Contra Corrente
 » Pequenos momentos
 » Somos Exemplos
 » Identificações
 » Pesadelo
 » Espiritualidade
 » Somos Até Não Sermos
 » Amores e Amoras
 » Como Ser Livre?
 » Brincando Com Brincadeiras
 » Fazendo Mais Amigos
 » Conquistando Amigos
 » Inferno Próprio
 » Modos de Viver
 » Eu também existi
 » Dando Asas à Imaginação
 » Relembrando e Revivendo
 » Situações Opostas
 » E o filme era triste
 » Fruto Proibido
 » Níveis Generalizados
 » Civilizar-se
 » Somos Apenas Eventuais – Parte 2
 » Somos Apenas Eventuais – Parte 1
 » Pouco Mudou
 » Ir e Vir, Chegar e Voltar
 » Crianças Para Sempre
 » Felicidade é Opção?
 » Só Contra a Ignorância – Parte 3
 » Só Contra a Ignorância – Parte 2
 » Só Contra a Ignorância – Parte 1
 » Escola é o Existir
 » Uma “Abertura” de Programa
 » Nosso Descaso
 » Indo Para Os Confins
 » Cuidados Desprezados
 » Dois Temas
 » Outros Inícios de Programas de Rádio
 » Os Entendidos
 » Pessoas Atraentes
 » Mundo Inexplorado
 » Solução Tarda, Mas, Ela Vem.
 » Pensamentos Viciados
 » Escutar ou Escutar-se
 » Viver Amarrado Nos Outros
 » A Linha Da Vida
 » Estação de Rádio
 » Particularidades Indesejáveis
 » Intervalo 3
 » Intervalo 2
 » Intervalo 1
 » A Psique Humana – Parte 25
 » A Psique Humana – Parte 24
 » A Psique Humana – Parte 23
 » A Psique Humana – Parte 22
 » A Psique Humana – Parte 21
 » A Psique Humana – Parte 20
 » A Psique Humana – Parte 19
 » A Psique Humana – Parte 18
 » A Psique Humana – Parte 17
 » A Psique Humana – Parte 16
 » A Psique Humana – Parte 15
 » A Psique Humana – Parte 14
 » A Psique Humana – Parte 13
 » A Psique Humana – Parte 12
 » A Psique Humana – Parte 11
 » A Psique Humana – Parte 10
 » A Psique Humana – Parte 9
 » A Psique Humana – Parte 8
 » A Psique Humana – Parte 7
 » A Psique Humana – Parte 6
 » A Psique Humana – Parte 5
 » A Psique Humana – Parte 4
 » A Psique Humana – Parte 3
 » A Psique Humana – Parte 2
 » A Psique Humana – Parte 1
 » Viver Desvairado
 » Viver disperso
 » Passatempo
 » Nossos Segredos - Parte 2
 » Nossos Segredos - Parte 1
 » Veneno Apreciável
 » Imaginação
 » Falou está Falado - Parte 2
 » Falou está Falado - Parte 1
 » Frases Para o Cotidiano
 » Vibrações Imperceptíveis
 » Amigos e Amigos
 » Curtinha Nº 5
 » Curtinha Nº 4
 » Pontos de Vista
 » Viver Deslocado
 » Tem "Cultura" que facilita tudo
 » Buda
 » Conexão Intelectual Autônoma
 » O Morro das Placas de Ouro
 » Solução Difícil
 » Divagações pela noite
 » Quem é o Tal não é o Tao
 » Curtinha Nº 3
 » Curtinha Nº 2
 » Curtinha Nº 1
 » Devaneios - Parte 3
 » Devaneios - Parte 2
 » Devaneios - Parte 1
 » Criaturas?
 » Resquícios Malignos
 » Para Despertar
 » Súplica
 » Abstração Sempre na Moda
 » Adeus Infância Feliz
 » Sexo Panacéia
 » Contra a correnteza
 » Isolamento é solidão?
 » Mundo Cão
 » Conversa Desagradável
 » Eus Divididos
 » As Três Irmãs
 » O Mundo e a Vida
 » Cérebro Estagnado
 » Queremos chegar em algum lugar?
 » Como Saber
 » Nuvem Escura
 » Foi Divertido
 » Quem é Matrix? - Parte 2
 » Quem é Matrix? - Parte 1
 » Memória Bandida
 » Amor
 » Autoconsciência - Parte 2
 » Autoconsciência - Parte 1
 » Conveniências
 » Razão é sempre a última
 » Verdade Anônima
 » Esses Homens...
 » Vocês Sabiam
 » Desatentos
 » Tapar dos olhos
 » Versos na horizontal
 » Só pra pensar
 » Necessidade Inutil
 » Cuidado, são impactos
 » Aposentar é acordar
 » Frases para fugir da rotina
 » Agonias
 » Nossos Lixos
 » Você é Você? Tem Certeza?
 » Hipnose Inevitável
 » Nosso Lado Invisível - Parte 4
 » Nosso Lado Invisível - Parte 3
 » Nosso Lado Invisível - Parte 2
 » Nosso Lado Invisível - Parte 1
 » Além da Imaginação
 » Escalar da Montanha
 » Você foi Programado?
 » Efeito Subliminar - Parte 4
 » Efeito Subliminar - Parte 2
 » Efeito Subliminar - Parte 1
 » Efeito Subliminar - Parte 3
 » Me ensina a escrever
 » Mais um ano
 » Nada a fazer, então?
 » Divagações
 » Refletir Cansa
 » Sexo é energia?
 » Sangue e Alegria
 » Que vida dura
 » Polêmica
 » Conversa Fiada
 » Contratempo
 » Mundo Pequeno
 » Água Envenenada
 » Sem Retorno
 » Como Somos?
 » Ficção Elefantina
 » Nataleluia Brodher
 » Desabafo Não Deu Certo
 » Fugas
 » Quem procura encontra?
 » Partir Algemas
 » Filossofismando
 » Portugiria
 » Querer saber não era permitido
 » Conversa de Hospício
 » Amor ao próximo
 » É só brincadeira
 » Axiomas
 » Não tem mais terror
 » Nectar da Vida
 » Viver é pensar ou apenas... existir
 » Fugir do Comum
 » Mundos Diferenciados
 » Reflexões da Juventude
 » Radicalismo
 » Viver por viver

Voltar