13/10/2020
João, Pedro e Rita - parte II

- João, há quanto que Ritinha está na Terra?

6 meses ! Caramba, o que ela faz no meio daquela confusão?

Acabam de fazer o acordo com o “Senhor das Nuvens”, ela não devia estar por lá neste momento.

Mais vale que venha trabalhar nesta confusão de papelada aqui.

Estão por iniciar, a execução do “Tratado de Sacrifícios” e teremos muitos formulários para preencher com o nome de tanta gente, sem falar nos relatórios dos estragos do último milênio, que os burocratas pediram.

Nem sei por onde começar, ainda sobrará para nosso departamento

minguado comandar aquele veículo interplanetário de quinta geração para consertar os desajustes da armação do planeta.

- Pedro, estou bem desanimado para falar a verdade.

Como chegamos a este caos?

Não foi tão complexo começar a Terra.

Mas está complicadíssimo administrar estas pragas de devastações em vários âmbitos que o comportamento destes organismos pluricelulares, têm provocado.

Será que sobrou algum fóssil da primeira época, que sirva de material de apoio para os técnicos da manutenção tentarem reiniciar o sistema?

- João, até sobrou. Mas os habitantes furungaram tanto, que não há meios de estabelecer conexão nem através da 1005a edição de atualização das fibras transmissoras da cadeia neural da matéria utilizada na composição primária.

Não entendi a decisão de queimar os arquivos de dados.

- Pedro, escutei nos corredores do andar de cima que o “Todo Poderoso” ficou tão irritado com os gastos no desenvolvimento do material “high tech” para a confecção dos arcabouços e adjacentes deste lugar, que mandou atear fogo e jogar os anais no buraco do “Cygnus X -1”, para lá da “Milky Way”.

Foi uma sorte que não tenham dado muita trela para Einstein na época que ele decidiu vasculhar a existência de buracos negros no espaço.

Nem me lembre, êita homenzinho atrevido.

Só um parêntesis : semana passada 3 cientistas foram premiados, com o Nobel de Fisica por seus estudos sobre buraco negro.

De qualquer maneira não havia como saberem que o projeto matriz foi descartado com todas as informações da Terra.

Só que parece que tem um povo lá gritando que não vai ser fácil acabar com o Astro.

- Olha João, a secretária da Ritinha confirmou que enviou um requerimento ao asilo temporário de beneméritos, pleiteando a intervenção dos deuses de proteção a humanidade.

Dizem que pediram emprestado o Olimpo a Zeus para uma reunião.

Já deu um bafafá porque Odin não quis receber a todos em Gladsheim.

Disse que só tem 12 lugares e que precisaria alugar muitas cadeiras especiais para todos sentarem.

Thor até sugeriu um ‘matt’, estes tapetinhos de yoga que usamos para saudar o sol no primeiro dia do ano celestial, sabe?

Mas os velhinhos acharam uma falta de respeito sem precedentes sentá-los praticamente no chão.

A maioria só levita na horizontal pelo desgaste óbvio de todo corpo espiritual mesmo.

- Deve ser por isto Pedro, que o “Corpo Docente dos Cátedras da Cúpula dos 300 das Esferas Superiores Interestelares” fechou a Universidade Estrela Menor e chamou o mestre Querubim para presidir , sei lá o que, não sei quando , lá mesmo.

- João eu guardo uma amarga sensação de culpa por tudo isto, sabe?

Lembra do acidente com o meteoro?

Então, estava terminando as últimas análises do resultado da composição biológica do ser-vivo-piloto do Mar Morto, e designei alguns encarregados para introduzir o eixo medial que seria o eixo de rotação.

Esqueci completamente de orientar o fechamento da comporta da galeria de trabalho no perímetro central do globo.

O “Departamento de Logística Galaxial” enviou uma nota sobre a probabilidade de 99.9% de que partículas sólidas atravessassem nossa rota.

E bum! Veio logo um meteoro e uma rabada fenomenal.

O acidente foi relativamente patético.

O operador cósmico que estava em cima do globo acertando a entrada da última parte do eixo na fissura sul, escorregou com o golpe do meteoro, desequilibrou-se e empurrou o eixo diagonalmente, inclinando-o, com o peso de seu corpo.

Com este drama todo, a Terra deslizou até a distância de 149.597.870.700 metros para mais perto do Sol.

Imagina que faltou um passo astral para o planeta rolar ao nivel 1.5 graus da abertura do buraco negro de dejetos oriundos da massa global.Tudo viraria lixo!

Por causa disto, as Entidades envolvidas direta ou indiretamente no projeto foram convocadas para deliberar sobre as questões oriundas da ocorrência, principalmente no tocante a proximidade ao Sol.

Decidiram pela continuação do processo de formação do corpo celeste, unanimemente, transitando em julgado prematuramente o decreto de manutenção das propostas originais com a implementação de material compatível com a estrutura e composição química dos 4 elementos essenciais utilizados como matéria prima ( água, ar, terra, fogo), capaz de evitar exposição massiva ao Sol.

E aqui infelizmente eles cometeram o maior erro da “Subdivisão de Desenvolvimento de obras por habilidade “creatio.onis” (criação) designado para galáxias de nível inferior.”

- Pedro, os “Intangíveis, Inalteráveis, Inatacáveis diretores” não matutaram que o ser vivo de formato humano 01, que viveria no planeta, sofreria desde tempo 0 um desajuste cerebral cognitivo- emocional.

O labirinto corporal estava sincronizado no modelo originário e sem “download” para nova posição do centro alterado pelo meteoro, a capacidade pensante, já seria diminuta por natureza, alcançando apenas 10 % de seu acervo total.

Analise comigo, João!

Quando convocaram o Todo Poderoso para efetivação de formas materiais uni cerebrais bípedes, seguramente não tinham ideia que algumas intercorrências diminuíriam o potencial em 90% do desenvolvimento racional desde a concepção de espermas e óvulos humanoides.

O próprio “Grupo de Proteção ao Material Planetário” emitiu parecer pela inutilização desta massa cósmica do planeta, dada a margem de expectativa positiva para um desastre catastrófico.

O departamento de RI ( Reciclagem Interplanetária) teria recebido o restante planetário, descartando o mínimo e reaproveitado quase 95% tanto da carcaça quanto do interior.

Seria um desfecho eloquente!

Mas fizeram o oposto!

- Pedro, talvez seja por isto que Ritinha parecia frequentemente melancólica e há uns 2500 anos participa da “Associação dos Frustrados da Organização de Diretórios de Formação e Desenvolução de Novas Espécies, o secreto “AFODFDNE”.

E como atenuar os contratempos da proximidade ao Sol?

Você sabe que analisei com toda a equipe de engenheiros astronautas, especialistas em luz solar, a distância que deveria ter entre a Terra / Sol / Lua.

Houve uma confusão generalizada em suspender os testes naquela fase, para ativar o “Plano de Emergência Não Previsto”.

O ponto bom é que existia uma combinação composta por gases, estudada e de eficácia comprovada arquivada na Biblioteca Química da “Phantom Galaxy”, chamada “camada de ozônio”, que após pequenos ajustes serviu perfeitamente para neutralizar os efeitos do sol.

Os frenéticos de plantão da Unidade de Pesquisas de Urano, ameaçaram passeata contra a radiação ultravioleta, acredita ?

Você acredita que 90 % da radiação é absorvida pelo ozônio?

Isto só na região estratosférica.

A camada de ozônio foi uma obra prima mesmo.

Dizem que a original “camada de ozônio” veio do Planeta dos Mutantes da Marvel.

Este acidente foi um salto enorme para o estudo do comportamento humano.

O pessoal de psiquiatria segue boquiaberta com o que o ser humano é capaz de fazer.

Descobriram que na melhor das hipóteses sucedeu um equívoco na mensuração do intelecto do ser humano, mesmo tendo em vista a diminuição da capacidade pensante até 10% por conta da labirintite!

Você imagina que eles conseguiram furar a camada de ozônio?

- João, acho melhor dar um pulo na enfermaria da ala de psicologia da PPP e verificar se a Ritinha está por lá em terapia ou em isolamento em algum canto do nosso departamento.

Chega de fofoca.

Passa no almoxarifado, pega um café, este hábito divinamente humano, e traz para saborearmos.

Continua

Daniele de Cassia Rotundo

 

 

 

 

 

 

 

 



Leia outras matérias desta seção
 » João, Pedro e Rita - parte II
 » O mês do cachorro louco
 » O peso das coisas
 » João, Pedro e Rita
 » E se tudo isso não passar
 » Diário caótico sobre o coronavírus
 » Oração de aniversário
 » Encontros & Desencontros II
 » Encontros & Desencontros e o tempo
 » O tempo e a mulher do espelho
 » A mulher do Espelho
 » Sou mas quem não é (pirada)
 » Biblioteca
 » Carta para os olhos vazarem
 » Férias no paraíso, pero no mucho.
 » A dificuldade de recomeçar
 » Texto exclusivamente feminino
 » Meu Amigo!
 » O incêndio no Museu Nacional
 » Diário de uma jovem Mãe
 » Depressão: O beijo da morte
 » Depressão: os ruídos
 » A bolsa misteriosa de Anabella
 » Amizade
 » Em Terra de cego quem tem olho é rei?
 » Inspiração
 » Se disser que esperará, espere!
 » Eu acredito na humanidade!
 » A bituca de cigarro
 » Os filhos voam!
 » Ser limpante ou o trabalho caseiro
 » Carícia da vida
 » A verdade
 » As palavras matam ou morrem ?
 » Matemática simples
 » Família um conceito complexo
 » Altruísta egoísta
 » A pequena bolsa de Anabella
 » À deriva (?)
 » Adeus ano velho
 » Quando o bem não faz bem!
 » Forever
 » Quero Poetar!
 » “O Abutre”!
 » Me permito amar?
 » Quebrar-se
 » A felicidade
 » Impiedoso tempo
 » Quem sou eu ?
 » Esquecer
 » Esquecer @? - Olvidar
 » Fragmentos II
 » Fragmentos
 » Despertemos!
 » Transe no deserto
 » Destino ridículo !
 » O cortiço da vida
 » Círculo de desafetos
 » Sou um vulcão
 » Conversa com a àrvore
 » Encerrar ou cerrar ciclos?
 » A “basura” no México
 » Doença de amor
 » Poesia
 » As regras da vida
 » Os grandes homens....
 » Prelúdio à loucura
 » Razões para amar? Razões para o amor?
 » O mundo perdido dos sonhos!
 » Devaneios de um cérebro ?

Voltar