» Colunas » Economia

13/02/2011
A sacolinha plástica e o cocô de burro

Super mercados vão economizar milhões de reais

Elas são a bola da vez, foram transformadas em bode expiatório das mazelas ambientais do planeta, ambientalistas de plantão elegeram-na a grande vilã da poluição, todavia esquecem que elas representam apenas uma parte pequena na produção dos plásticos. É totalmente reciclável e tem dupla utilidade, serve para transportar de tudo e ainda como saco de lixo, é até cômico quando algum estrategista de gabinete se coloca a falar da amaldiçoada sacolinha, em média mil sacolas de supermercado pesa três quilos, uma unidade quase flutua no ar pesa alguns gramas, quando embala lixo o peso interno com todo tipo de resíduos é centenas de vezes maior. Não é muito difícil calcular a desproporção, acontece que a sacolinha é visível e o seu conteúdo não, lá dentro tem os mais variados materiais, poluentes e não poluentes. As embalagens de modo geral são responsáveis pela melhoria e conservação de alimentos e demais materiais, assim como a geladeira são indispensáveis na preservação de alimentos, imaginem como seria o século 21 sem a evolução tecnológica das embalagens, comida sendo vendida a granel, bebida em garrafas retornáveis, etc. o custo de voltar ao século 19 certamente provocaria desabastecimento, desemprego e outras situações nada confortáveis, ao andar da carruagem dos ambientalistas-estrategistas de gabinete logo teremos que substituir os poluidores automóveis, caminhões e ônibus por carroças puxadas por burros, tem uma vantagem, aproveita-se o subproduto para adubar as plantações. O problema do destino final de resíduos não é simples, é extremamente complexo e necessariamente passa pela reciclagem, pena que a maioria dos políticos ainda não entendeu o óbvio, lixões a céu aberto e aterros sanitários enterram milhões de reais, é o bacanal do desperdício. Enquanto não houver uma ação governamental objetiva incentivando a indústria da reciclagem, vamos continuar a eleger alguma coisa para tapar o sol com peneira, qual será o próximo vilão. Chega do faz de conta, chega de desviar a atenção para ir empurrando os problemas com a barriga, reciclagem já com incentivo fiscal, financiamento e reconhecimento de que é a única alternativa viável, o resto é balela. Em tempo: parabéns ao lob dos supermercados, vão economizar milhões de reais, deixar milhares de pessoas sem emprêgo e de quebra fazer propaganda dizendo que a economia vai ajudar a baixar os preços.

Edson Navarro - economista

Leia outras matérias desta seção
 » È melhor o BNDES acabar ?
 » Abuso dos bancos
 » Reforma trabalhista:coletânea
 » Revisão do PIB - Junho de 2017
 » Compra de veículo com isenção de impostos
 » Ranking dos Municípios do Brasil
 » Planos de Saúde: quase 200 mil pessoas saem
 » Seguro com rastreador x Seguro popular
 » FGTS quem pode sacar
 » Conta bancária de graça
 » Uma praga chamada cartão de crédito
 » As sacolinhas plásticas o meio ambiente e a idosa
 » Direitos e não direitos do Consumidor
 » Títulos de capitalização:regras devem mudar
 » Partes e advogados são multados por mentiras
 » Plano Diretor do Município e sua importância
 » O que o otário mais valoriza em um investimento
 » Seguro popular de automóveis
 » Senado segura votação do Simples
 » Licença paternidade agora tem 20 dias



Voltar