» Colunas » Economia

10/03/2015
Tesouro direto fica mais fácil

Tesouro Direto muda nomes dos títulos e terá recompra diária


YOLANDA FORDELONE 
10 Março 2015 | 09:52


Além de mudar os nomes dos títulos públicos, o Tesouro Direto apresentou outra novidade nesta terça-feira, 10 de março: agora, a recompra de papeis será diária, o que aumentará a liquidez deste mercado. Até hoje, os investidores podiam vender seus títulos de volta ao governo somente às quartas-feiras. A recompra diária entrará em vigor a partir de 30 de março.


Segundo o Tesouro Direto, a mudança atende ao pedido de investidores e do mercado. Para vender o papel de volta ao governo, o investidor terá de acessar a plataforma da corretora ou do próprio Tesouro a partir das 18 horas nos dias úteis e dar o comando de venda dos papéis que desejar até às 5 horas do dia seguinte. Nos fins de semana e feriados, será possível vender os títulos em qualquer horário. Em todos os casos, as transações serão executadas utilizando os últimos preços de fechamento de mercado disponíveis.


A transação será processada no dia útil posterior à ordem de venda (D+1). Neste dia, o governo irá repassar o dinheiro da operação para a instituição financeira do investidor. Essa, por sua vez, repassará esses recursos para o aplicador final dentro do prazo previsto no seu regulamento.


O agendamento de venda poderá ser realizado a qualquer dia e hora, inclusive feriados e fins de semana. O que muda a partir de agora é que o investidor poderá agendar as vendas para qualquer dia e não apenas para às quartas-feiras como era antigamente.
Outra novidade é que nas quartas-feiras em que houver reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) somente o Tesouro Selic (antiga LFT) estará disponível para recompra, das 18 horas às 5 horas do dia seguinte. A possibilidade de recompra dos outros títulos será reaberta normalmente nos demais dias dessa semana.


Novos nomes. Sobre os nomes, o Tesouro tentou facilitar o entendimento do investidor. Os títulos agora terão nomes mais simples seguidos da data de vencimento do papel:


Títulos prefixados

Letra do Tesouro Nacional (LTN) passou a se chamar Tesouro Prefixado.

Nota do Tesouro Nacional Série F (NTN-F) passou a se chamar Tesouro Prefixado com juros semestrais


Títulos que acompanham a inflação


Nota do Tesouro Nacional Nota Série B (NTN-B) passou a se chamar Tesouro IPCA com juros semestrais

 Nota do Tesouro Nacional Nota Série B Principal (NTN-B Principal) passou a se chamar Tesouro IPCA

Títulos que acompanham a Selic

Letra Financeira do Tesouro (LFT) passou a se chamar Tesouro Selic


Outra novidade foi o lançamento de um novo papel prefixado com prazo mais longo, para 2021, que visa “atender a demanda por papéis com perfil mais alongado e sem pagamentos de juros semestrais”.


O site do programa do Tesouro Direto também foi reformulado e passou a ser adaptável a plataformas tablets e celulares.


Estadão

Leia outras matérias desta seção
 » Selic a 2% o Banco Central errou feio.....
 » Debate no Instituto de economia da Unicamp
 » TCE: Iprem Caieiras, má administração,irregularidades e prejuízo
 » Tributar Livros e Jornais
 » Planos de Saúde estão proibidos de reajustar
 » Nova gasolina:perguntas e respostas
 » Reforma Tributária
 » Declaração I.Renda do MEI
 » Organizações Sociais o peso da corrupção
 » Licitação: erros primários ou propositais?
 » Coronavírus vai custar caro para Caieiras
 » Pequenas empresas: sobrevivência a pandemia
 » Guedes inventa um pássaro sem asas
 » Redução de jornada e salário e suspensão de contratos
 » Crédito para micro e pequenas empresas
 » Redução do salário e jornada de trabalho-STF
 » Coronavírus vai deixar uma herança amarga
 » Na crise use a criatividade
 » Coronavírus:respiradores, a improvisação nacional
 » Coronavírus: Dia da mentira ou dos políticos, como queiram



Voltar