» Colunas » Saúde

23/09/2016
Chia e seus benefícios, segundo a Unicamp

Unicamp (Universidade Estadual de Campinas )testa chia e revela benefícios contra câncer, diabetes e Alzheimer
É a 1ª pesquisa que descobriu um poder antioxidante na semente e no óleo.
Chia já era conhecida por ser nutritiva, mas efeitos no corpo são novidade.

Um estudo do Departamento de Alimentos e Nutrição da Unicamp, em Campinas (SP), revelou que, além das propriedades nutritivas, o consumo da semente ou do óleo da chia pode ajudar na prevenção de vários tipos de doenças, entre elas o câncer e o mal de Alzheimer.
Segundo os pesquisadores, é a primeira pesquisa que descobriu na chia um poder antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce das células. O alimento ajuda também a reduzir a quantidade de açúcar no sangue.
(...) mostrou um efeito anti-inflamatório, reduziu os níveis de colesterol em torno de 30% a 40% e também aumentou a concentração de ômega 3 (...)"
Rafaela Marineli, pesquisadora da Unicamp
Estudo em ratos
A pesquisa para descobrir os efeitos da chia no organismo começou há quatro anos.
Durante seis meses, os pesquisadores usaram a semente e o óleo como parte da ração de ratos magros e obesos.
"Nós verificamos que tanto com o consumo da semente quanto com o óleo de chia, mostrou um efeito anti-inflamatório, reduziu os níveis de colesterol em torno de 30% a 40% e também aumentou a concentração de ômega 3 nos animais", explica a pesquisadora Rafaela Marineli sobre os resultados obtidos com o experimento.
Semente da chia pode ser consumida em sobremesas, pães e outras refeições.
Descobertas
De acordo com o professor do Departamento de Alimentos e Nutrição Mário Maróstica, o estudo também revelou que, além de reduzir a quantidade de açúcar no sangue, a chia previne doenças cardiovasculares, diabetes tipos 1 e 2, além de reduzir a incidência de mal de Alzheimer e de câncer.
"A ingestão da chia está relacionada à redução dos radicais-livres. Ela previne outras doenças por conseguinte", afirma Maróstica.
A pesquisa, publicada em revistas científicas internacionais, é também a primeira que mostra o poder antioxidante da semente no organismo dos animais, segundo a Unicamp.
A ingestão da chia está relacionada à redução dos radicais-livres. Ela previne outras doenças por conseguinte"
Mário Maróstica, professor da Unicamp
A conclusão do trabalho realizado pelos pesquisadores é que a chia ajuda a prevenir o envelhecimento precoce das células.
Duas colheres de sopa
Para garantir todos esses benefícios, os especialistas recomendam a ingestão de duas colheres de sopa de chia nas refeições diárias, ou o uso do óleo no tempero da comida.
A secretária Maria Célia, que precisou passar por uma reeducação alimentar devido a um problema de saúde e incluiu a chia na sua dieta alimentar, conta que a semente pode ser consumida com facilidade.
"Ela é totalmente neutra, tanto é que você pode colocá-la numa panqueca. Num suco de uva ela se transforma numa sobremesa maravilhosa", comenta.
História
O surgimento da chia data de mais de dois mil anos, quando era consumida pelos povos maias na América Central. Atualmente, ela é vendida em lojas de produtos orgânicos in natura ou como ingrediente de barras de cereais, pães e outros itens.



Leia outras matérias desta seção
 » Coronavírus:Omega 3 x Covid19
 » Reumatismo e seus vários tipos
 » Colesterol alto x coronavírus
 » Coronavírus:Imunidade cruzada
 » Coronavírus: Porque os Diabéticos correm mais risco
 » Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias
 » Espinheira santa
 » Coronavírus: Pneumonia silenciosa
 » Coronavírus: Ar condicionado pode espalhar
 » Fakes sobre o coronavírus
 » Coronavírus: Doenças crônicas
 » Alcool gel exige cuidados
 » Coronavírus e o Oxímetro
 » Coronavírus: Uso do anticoagulante heparina
 » A batata Yacon e o diabetes
 » Coronavírus não é pior que as outras pandemias
 » Coronavírus: Remdesivir - antiviral
 » Coronavírus: veja a posição da sua Cidade no ranking de mortes
 » Anita contra o coronavírus
 » Coronavírus: visão geral


Voltar