» Colunas » Saúde

13/02/2018
Doenças do pênis

Candida na glande

A candida na glande é causada pelo fungo candida albicans.

A infecção por fungos (candidíase) ocorre frequentemente em mulheres, mas também os homens podem contrair esta infecção genital involuntariamente.

Causas da candida na glande

Existem várias causas de candida na glande como beber muita cerveja ou vestir roupa íntima molhada.

Entre as principais causas da candidíase em homens estão:

Relações sexuais

Falta de higiene genital

Infecção bacteriana

Alergias ao látex e preservativos

Antibióticos

Diabetes

nonoxinol-9

Além destes, existem alguns casos onde é possível tornar-se infectados pelo fungo.

Os homens não circuncidados são mais em risco porque o prepúcio é mais úmido.

Os homens HIV-positivo tem mais probabilidade de desenvolver a candida.

No caso dos homens gays, o uso do preservativo pode causar infecção por fungos.

O lubrificante que contém nonoxinol-9 promove infecção anal em homens e a candida vaginal em mulheres.

A candida também pode ocorrer nos adolescentes.

As bactérias presentes nas fezes podem causar infecção por fungos.

Também a dermatite da fralda pode causar infecção peniana.

A roupa molhada é outra causa de infecções fúngicas porque a umidade fornece o ambiente ideal para o crescimento das bactérias.

As crianças também podem desenvolver a candidíase crônica da cavidade oral, onde se formam manchas brancas ao redor da boca.

Geralmente, isso ocorre entre seis e nove anos.

A candida masculina pode ocorrer em homens de todas as idades.

Os homens sexualmente ativos são mais propensos a infecções fúngicas.

Essas infecções podem ser transmitidas durante a relação sexual desprotegida.

Se o parceiro sexual feminino tem a candida, deverá efetuar controles para esta infecção.

Sintomas de candida na glande

Quem é afetado por candida na glande pode desenvolver alguns sintomas que indicam a necessidade de falar com o médico.

Nem todos os sintomas podem ser observados e não são o único critério para o diagnóstico de infecção por fungos.

Entre os sintomas mais comuns estão:

Disfunção sexual

Mudanças de humor

Cansaço freqüente

Perda de energia

Irritabilidade

Problemas da próstata

Inchaço

Perda de memória (em casos extremos).

Como aparece ou se manifesta a candida sobre a glande?

Sensação de queimação ao urinar e durante a relação sexual;

A glande tem pontos vermelhos ou manchas vermelhas (vermelhidão generalizada), às vezes se assemelham a riscos que podem ocorrer durante a relação sexual.

O pênis desenvolve pequenas borbulhas esbranquiçadas vermelhas;

A pele torna-se escamosa e com coceira

Toda a área genital mostra bolhas e erupções cutâneas

Dor no pênis, especialmente ao toque

Secreções brancas são observadas principalmente sob o prepúcio

Glande inchada

A pele do pênis pode torna-se seca e rachada quando o homem alcança á ereção.

Muitos homens são preocupados pelos pontos brancos, manchas ou placas brancas na glande, na verdade pode ser causada por vírus do herpes (muitas vezes o herpes genital também provoca uma úlcera) ou por falta de higiene.

Após a relação sexual, alguns resíduos de fluido pré ejaculatório e esperma permanecem na glande, portanto é necessário lavar corretamente.

Se existem manchas escuras (azul ou preto, por exemplo como um nevo) você tem que ir imediatamente ao médico porque não é provocado por candida, mas em alguns casos, pode ser devido ao melanoma.

Exames para identificar a infecção do fungo masculino

Uma solução prática para a prova da infecção por fungo é observar os sintomas e consultar o médico para diagnosticar através de exames clínicos.

No entanto, você pode tentar métodos naturais antes de ir ao médico.

Exames laboratoriais: existem dois tipos de exames clínicos usados para detectar a candida masculina.

São o exame microscópico e a cultura.

Teste de farmácia: Geralmente os kits disponíveis comercialmente para o diagnóstico da candida são projetados para as mulheres, mas existem alguns que podem ser usados pelos homens.

Estes incluem os kits que detectam a presença de anticorpos contra candida no sangue.

Estes kits são práticos e fáceis de usar.

Para executar o exame é necessário picar o dedo para obter uma gota de sangue.

Você obtém os resultados precisos em 5 minutos.

Teste em casa: o teste da saliva é um dos métodos mais utilizados para detectar candida em homens e mulheres.

Este teste deve ser executado pela manhã logo após acordar, também antes de escovar os dentes ou do café da manhã.

É necessário cuspir em um copo de água e mantê-lo de lado por cerca de 15 minutos.

Em caso de infecção por fungos, a água torna-se turva ou a saliva desenvolve linhas que viajam na parte inferior do vidro.

Se a saliva flutua na água ou desaparece no final, você pode excluir a presença da candida.

Quando permanece no fundo do vidro, existe a possibilidade de infecção.

Identificar sinais de candida

Desejo: acredita-se que as pessoas infectadas têm um forte desejo por alimentos ricos em açúcares e carboidratos.

Muitas vezes, comem alimentos refinados, processados e embalados.

Através do consumo destes alimentos, as pessoas alimentam indiretamente a levedura no corpo.

Esse desejo pode indicar á candida.

Odor: muitas vezes os homens afetados por candida têm um cheiro desagradável.

O mau cheiro dos pés e axilas é muito freqüente.

O mau hálito pode ser um sinal de infecção por fungos.

A língua pode desenvolver um revestimento esbranquiçado que geralmente não é observado em seres humanos saudáveis.

Coceira: as partes quentes e úmidas do corpo são mais suscetíveis a infecções fúngicas que é uma das possíveis causas de prurido.

Este sintoma pode ocorrer juntamente com uma erupção cutânea vermelha.

Você sente coceira nos órgãos genitais, axilas, couro cabeludo, mãos, pés, etc.

Em casos graves, este sintoma pode ser semelhante a uma urticária, ou seja, como ao tocar as folhas de urtiga.

Tratamento para candida na glande do homem

Na maioria dos casos, com um tratamento adequado a infecção por fungo passa dentro de 2-3 semanas.

Muitas pessoas preferem remédios naturais para tratar esta infecção, dado que não têm efeitos colaterais.

No entanto, os medicamentos são úteis para livrar-se do fungo.

As opções de tratamento para infecção por candida mais freqüentes são as seguintes:

Medicamentos: frequentemente são usados medicamentos receitados para tratar a infecção de levedura genital masculina.

O médico pode prescrever ao paciente o cetoconazol.

Estes medicamentos são muito eficazes para destruir o fungo que causa a candida na glande.

Alho: age como um poderoso agente antifúngico que pode ajudar a curar a infecção.

Para utilizar esta forma de tratamento, comprar 5-6 cápsulas de alho e quebrá-lo, aplicando pressão.

Uma pressão moderada é suficiente para quebrar estas cápsulas.

Manter o alho em pó obtido a partir de cápsulas, em uma tigela.

Coloque 2 xícaras de água morna em uma tigela e misture bem com o alho.

É necessário imergir completamente o penis na solução por cerca de 15-20 minutos.

Após o tratamento, o pênis deve ser seco com um pano limpo.

Este método de tratamento deve ser feito duas vezes por dia (manhã e antes de ir dormir).

Cremes antifúngicos: o monistat é um remédio antifúngico disponível em creme.

Embora o monistat (miconazol ) foi desenvolvido para infecções vaginais, os homens podem usá-lo para tratar a infecção genital.

Aplique diretamente o creme sobre a área pode dar resultados surpreendentes em poucos dias.

Para tornar o monistat mais eficaz deve ser aplicado em pequenas quantidades e misturar com algumas gotas de vinagre branco antes de aplicar.

Outros cremes antifúngicos que dão alívio são Miconazol 2% , Cotrimazol 1%, Nistatina e Lamisil.

Muitas pessoas cometem o erro de espalhar o Quadriderm ( medicamento a base de gentamicina) sobre a glande, mas essa pomada não age contra fungos, por isso é inútil e prejudicial.

Óleo de canela: O uso do óleo de canela é um outro remédio eficaz para eliminar a infecção.

A aplicação desse óleo é um remédio caseiro fácil e poderoso o suficiente para destruir o fungo responsável pela candidíase peniana.

Para combater a infecção é necessário esfregar o óleo de canela no pênis com um algodão 2 – 3 vezes ao dia.

Óleo de coco virgem orgânico: atua como um agente antifúngico natural.

A aplicação externa e a ingestão desse óleo é útil para eliminar a infecção.

Os dois ingredientes principais do óleo de coco são ácido caprílico e ácido láurico, ambos conhecidos por a atividade antifúngica. Esfregar no pênis ou tomar uma colher de chá de óleo de coco orgânico é muito eficaz para destruir o super crescimento da levedura.

O óleo de coco hidrogenado refinado não funciona.

Isso ocorre porque a hidrogenação e a refinação elimina as boas propriedades do óleo de coco.

Dieta: o aumento da população de bactérias boas é muito importante para neutralizar o super crescimento da levedura.

Se pode obter através de fontes naturais de bactérias benéficas, como o iogurte.

Comer uma xícara de iogurte sem açúcar por dia ajuda a curar a infecção.

Creme de leite (sem açúcar) pode ajudar a combater eficazmente a infecção.

É necessário que as pessoas infectadas por candida evitem certos alimentos que podem agravar a doença.

Frequentemente os médicos recomendam abster-se de alimentos ricos em açúcar como:

Bolos

Fruta

Sucos de frutas

Sobremesas

Docinhos.

No entanto, você pode comer a ricota para reduzir os sintomas.

Alimentos que ajudam a combater a candidíase genital em homens são:

Amoras

Abóboras

Amêndoas

Repolho cru

Raízes de rabanete

Balanite e balanopostite

O que é?

A balanite é uma inflamação da mucosa da glande (cabeça do pênis). Quando a inflamação afeta também a face interna da pele que a envolve, o prepúcio, recebe o nome de balanopostite.

Pode ser provocada por causas específicas como alergias, infecção bacteriana, candidíase, psoríase invertida, síndrome de Reiter, líquen escleroso, líquen plano, balanite de células plasmáticas, eritema fixo por drogas, sífilis, escabiose…

Sinais característicos das doenças em outros locais do corpo ou exames específicos podem ajudar a definir a causa.

Quando as causas não são definidas, a balanite é chamada de inespecífica. Em geral, aparece como uma inflamação decorrente da proliferação bacteriana ou fúngica (Candida albicans) no local, microorganismos normalmente encontrados em pequeno número na pele normal. É uma forma de intertrigo.

Fatores predisponentes para o surgimento da balanite inespecífica incluem:

Umidade, que favorece a proliferação dos micro organismos entre a glande e a pele que a recobre. A balanite inespecífica atinge praticamente apenas homens que não foram circuncizados.

Falta de higiene, lavagem excessiva com sabonetes irritantes e/ou não enxugar a região após o banho.

Diabetes mellitus, que favorece o crescimento de Candida albicans

Parceira sexual com candidíase vaginal ativa.

Irritantes químicos, como géis lubrificantes e medicamentos

Traumas de repetição, como fricção durante o ato sexual

Obesidade

Manifestações clínicas da balanite e balanopostite

Os sinais e sintomas da balanite variam de acordo com cada caso e podem incluir:

Erupção vermelha ou rósea na glande que pode ser lisa, pontilhada ou em placas e ser acompanhada de descamação;

Vermelhidão e inchaço da glande;

Presença de secreção transparente ou esbranquiçada;

Coceira, desconforto, ardência e dor;

Edema do prepúcio, podendo dificultar a exposição da glande.

balanite

Balanite (inflamação da glande)

Uma complicação da balanite é a aderência da pele do prepúcio à glande, impedindo a retração da pele e a exposição da cabeça do pênis.

Além disso, inflamações de repetição e/ou crônicas, ao longo de muitos anos, podem predispor ao surgimento de lesões malignas na glande.

Tratamento

Para evitar a balanite, deve-se procurar manter a glande e o prepúcio limpos e secos, o que ajuda a prevenir infecções e suas complicações.

A lavagem deve ser diária puxando o prepúcio em direção ao corpo para expor a glande e a parte interna da pele que a cobre. Deve-se usar sabonetes suaves e enxaguar bem para não deixar resíduos.

Após a lavagem, toda a área deve ser bem seca. Se possível, deve-se procurar deixar a glande exposta, evitando cobri-la novamente com o prepúcio.

Usar sempre papel higiênico para enxugar o pênis após urinar também é importante para evitar a inflamação.

Entre os medicamentos utilizados para o tratamento da balanite estão cremes contendo antifúngicos, antibióticos, corticosteroides de baixa potência e produtos que visem a formar uma película protetora sobre a pele.

Em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicamentos também por via oral. A indicação da medicação adequada vai depender de cada caso e deve ser definida pelo médico.

Quando a balanite resiste ao tratamento persistindo sempre no mesmo local da glande, uma biópsia pode ser feita para determinar se existe alguma outra doença que seja responsável pelos sintomas.

Nos pacientes em que a balanite inespecífica ocorre de forma repetida e refratária aos tratamentos, manter o prepúcio puxado e a glande exposta evita a recidiva do quadro. Se houver excesso de pele, impossibilitando manter a cabeça do pênis descoberta, a circuncisão pode ser a solução para o problema.

Balanite II

Balanite é inflamação da glande, que é a parte final do pênis. A glande é a parte final do corpo esponjoso, que é a menor das três colunas de tecido erétil do pênis (os outros dois são os corpos cavernosos, que são duas estruturas paralelas, localizadas na parte superior do presente). Quando a inflamação afeta também o prepúcio é conhecido como balanopostitis.

Balanite produz em quase todas vermelhidão de casos da glande e o prepúcio e pode aparecer outros ferimentos nesse nível como bolhas, erosões e marcas esbranquiçadas ou acinzentadas, dependendo da causa que a engendra. Na ausência de inflamação, há dor na maioria dos casos e pode também associar, prurido e ardor. A intensidade desses sintomas é variável. Além disso, não é incomum que aparecem outras alterações como a emissão de secreções de odor.

Esta doença é relativamente comum, pois é cerca de 10-11% dos efeitos genito urinário no adulto do sexo masculino. Também afeta até 3% das crianças.

Balanite pode ser causada por uma infinidade de causas. Severidade é variável, mas na maioria das vezes é um processo relativamente banal e transitório que evolui favoravelmente com o tratamento médico, outros podem progredir para câncer invasivo, que requer cirurgia e posterior acompanhamento. Portanto, é importante fazer o diagnóstico logo que possível, especialmente se a balanite é suspeita de ser uma lesão pré-maligna.

Além disso, em muitos casos, uma infecção sexualmente transmissível associada pode ter, sendo necessário tratar o casal afetado. As lesões que aparecem na glande e o prepúcio são muito semelhantes em alguns casos, assim a anamnese (entrevista médica ao paciente conhecer seus sintomas e histórico) e a exploração são muito importantes para fazer o diagnóstico correto.

Se houver dúvida, teste outros mais invasivos como a biópsia cutânea, permitindo para confirmar o diagnóstico. O tratamento depende da causa que produz a balanite.

Causas da balanite

Balanite, inflamação da glande, pode ser causada por várias causas, o mais comum sendo a falta de higiene em pacientes não circuncidados e o uso de sabonetes, perfumes ou conservantes que contém produtos químicos que irritam a glande. Embora existam outras razões que podem levar, desde condições triviais até mais sérias lesões pré-malignas. As principais causas da ocorrência da balanite são:

Infecções:

Fungos (Candida albicans )).

Bactérias de diferentes tipos (G. Vaginalis, Estreptococos do grupo A, Staphylococcus aureus, T. vaginalis ou sífilis).

Vírus: vírus herpes, vírus do papiloma humano (HPV).

Doenças dermatológicas:

Líquen escleroso.

Balanite circinada.

Psoríase.

Pênfigo.

Balanite de Zoon.

Lesões pré-malignas, como Eritroplasia de Queyrat, ou doença de Bowen.

Outras causas da balanite:

Irritantes (sabonetes, perfumes, cremes íntimos...).

Falta de higiene.

Dermatite de contato (irritação da glande para entrar em contacto com diferentes tipos de produtos).

Drogas (fixada eritema de erupção por droga).

Trauma.

Stevens - Johnson, síndrome.

Sintomas e tipos da balanite

Os sinais e sintomas de pacientes que sofrem de balanite - inflamação da glande - são semelhantes em muitos casos, no entanto, existem algumas peculiaridades dependendo da causa produzi-lo, o que leva a falar sobre diferentes tipos de balanite:

Balanitis Candidomycetica

É caracterizada pelo aparecimento na glande de uma erupção vermelha que é acompanhada por dor ou coceira. As lesões típicas são máculas e pápulas, alguns dos quais podem ser corroída. As máculas são manchas não super aquecimento de tamanho pequeno (menos de um centímetro), enquanto pápulas também têm um tamanho reduzido, mas, pelo contrário, são elevadas.

O diagnóstico da balanite por Candida albicans geralmente clínico, ou seja, é realizada através de exame físico a menos que sejam necessário testes de diagnóstico. No entanto, às vezes pode haver dúvidas. Nesses casos, recomenda-se realizar um teste com hidróxido de potássio ou cultura para verificar o crescimento do fungo em laboratório. Quando um macho é candidíase repetidamente ser descartada a existência de diabetes mellitus.

Balanite por bactérias

Pode ser devido a dois tipos de germes:

Balanite por bactérias anaeróbias (germes que não usam oxigênio para seu metabolismo): produzir fétido drenagem e inchaço da glande.

Balanite por aeróbios (germes que usado oxigênio para seu metabolismo): os sintomas são altamente variáveis dependendo do agente causador e consegue produzir a partir de uma pequena vermelhidão da glande até o aparecimento de fissuras e edema no presente.

Em ambos os casos uma coloração Gram ou cultura pode ser feita para saber o germe causador.

Balanitis Herpes:

Causado pelo vírus herpes simplex (HSV), principalmente o HSV-2, embora a prevalência de herpes genital pelo HSV-1 é mais por causa de mudanças nas práticas sexuais. Este tipo de sintomas da balanite variam dependendo de se uma infecção primária, um primeiro episódio não-primário ou recorrência:

Infecção primária: a infecção ou primário primeiro episódio é uma infecção, vista em pacientes não expostos ao HSV e produzir sintomas mais severos. Após um período de incubação que varia entre 2-14 dias, aparecem pápulas que se desenvolvem em vesículas e estas úlceras dolorosas que tornam-se crostas. Leva para curar cerca de 10 dias, embora depende de cada caso. Também é frequentemente associado com dolorosos linfonodos inguinais (glândulas inchadas).

Primeiro episódio não-primário (infecção primária assintomática): que tenha havido uma exposição prévia ao HSV faz sintomas menos intenso e duradouro. A área afetada é mais limitada e o tempo de cura é mais rápido.

Infecções recorrentes: sintomas de dan menos intensos do que as duas formas anteriores. As lesões aparecem no mesmo local como o primeiro episódio, mas com menor extensão.

O diagnóstico geralmente é feito com a anamnese (entrevista do médico para o paciente) e exame físico, embora em casos em que há ulceração das lesões é aconselhável cultura para herpes simples, além de sorologia (Studio que permite verificar a existência de anticorpos no sangue) para descartar sífilis.

Líquen escleroso

Possível processo inflamatório causa auto-imune. A lesão típica são placas esbranquiçadas na glande que às vezes afetam o prepúcio. Pode haver vesículas hemorrágicas e, menos frequentemente, bolhas e ulcerações. Envolvimento da pele causando Líquen escleroso pode produzir um estreitamento do prepúcio, aparecendo bem como fimose.

Como acontece a Balanitis Candidomycetica, Líquen escleroso, geralmente associada com diabetes mellitus.

Embora o exame físico é muito importante para orientar o diagnóstico de Líquen escleroso, biópsia das lesões é o teste que permite para obter o diagnóstico definitivo.

Balanite circinada

Consiste em lesões blanco-grisaceas na glande, com bordas bem definidas esbranquiçadas. É um processo inflamatório que pode estar associado a outras patologias como artrite reativa do síndrome Reiter (uma doença que se caracteriza pelo inchaço das articulações, olhos e uretra).

Embora às vezes o diagnóstico é alcançado apenas com o exame físico, muitas vezes, uma biópsia pode ser feita para confirmá-la. Nesses pacientes recomenda-se realizar um rastreio de doenças sexualmente transmissíveis.

Lesões pré-malignas (doença Eritroplasia de Queyrat e Bowen)

A importância do diagnóstico destas lesões é que eles têm um risco bastante elevado de progressão para câncer invasivo (em torno de 30% a Eritroplasia de Queyrat e doença de Bowen 20%). Eritroplasia de Queyrat lesões apresenta uma cor avermelhada, com bordas bem definidas e aparência aveludada. Lesões esbranquiçadas podem conter elevado, sugerindo que se eles são induradas um carcinoma de células escamosas. Por seu turno, na doença de Bowen lesões tendem a ser placas avermelhadas.

Além do exame físico, nesses casos, a biópsia é essencial para excluir carcinoma de pênis.

Balanite de Zoon

Mais comum em homens mais velhos, não circuncidado e associado com má higiene. Consiste a aparência na glande do brilhante rojo-anaranjadas lesões, com bordas bem demarcadas e múltiplas manchas vermelhas localizar.

Lesões muito semelhantes a Eritroplasia de Queyrat (lesão pré-maligna), pode ser assim é aconselhável realizar uma biópsia para confirmar o diagnóstico.

Balanite por irritantes (alérgicas)

A forma de apresentação é muito variável, a produção de uma leve vermelhidão da glande ao grande inflamação e inchaço do presente. É quase sempre associada com lavagem frequente dos órgãos genitais, mas apenas em uma pequena porcentagem de casos descobrir o agente causador da lesão é.

Às vezes, realizar um teste de provocação pode ser útil para tentar descobrir a causa. Nesses pacientes é frequentemente história de atopia, ou seja, são imunologicamente falando mais sensível do que o resto da população a tais como asma, eczema, dermatite atópica ou doenças alérgicas de rinite alérgica.

Drogas (fixada eritema de erupção por droga)

Uma erupção aparece na pele de 24-48 horas depois de ter dirigido a droga responsável. As lesões são variáveis na aparência, embora eles tendem a ser de uma ou mais máculas de bordas bem definidas e coloração avermelhada ou arroxeada (as máculas são menos de um centímetro elevado de lesões). Também podem aparecer bolhas ou ulcerações.

Histórico médico realizado pelo médico é essencial fazer o diagnóstico nestes casos (tem que ser o antecedente de ter usado uma droga nos dias anteriores). As drogas que mais comumente causam este tipo de lesão incluem barbitúricos, antibióticos (tetraciclina ou sulfas), analgésicos (paracetamol, aspirina, pirazolonas) e contraceptivos orais. É necessário explorar a mucosa oral e ocular para ver se há ferimentos. O aparecimento de lesões após o Asíndrome do fármaco confirma o diagnóstico de eritema de Erupção fixa da droga.

Diagnóstico da balanite

A anamnese (entrevista especialista o paciente conhecer seus sintomas e estado) e história médica são um pilar muito importante no diagnóstico da balanite - inflamação da inflamação da glande e balanopostitis - do prepúcio. Em alguns casos, como em produzido por drogas (drogas fixo erupção eritema) balanite, uma anamnese direcionada para o uso de drogas nos dias antes é essencial fazer o diagnóstico. O mesmo ocorre na balanite por substâncias irritantes ou que está relacionada à falta de higiene.

O exame físico também é crucial, pois embora a apresentação clínica é semelhante, em muitos casos, existem algumas peculiaridades dependendo da causa, decorrentes de balanite. O aparecimento de lesões e suas características permitem que o médico um diagnóstico.

Muitas vezes o diagnóstico da balanite pode ser com a anamnese e exame físico detalhado, sem a necessidade de testes adicionais, mas há condições na qual realização outros testes, tais como pele, biópsia é necessária para descartar lesões pré-malignas. Se há dúvidas sobre o diagnóstico pode ser realizada uma biópsia. Outro exame freqüentemente utilizado é o cultivo de uma amostra obtido de lesões da glande ou prepúcio.

Realização de outros testes como uma análise de sangue ou urina, uma radiografia de tórax ou outros testes mais específicos depende do diagnóstico. Eles serão apenas se o médico considera-se necessário para descartar outras doenças ou complicações associadas.

Balanite-tratamento

Medidas gerais para tratar a balanite incluem lavar a área com água morna ou soro fisiológico duas vezes por dia e evitar sabonetes ou outras substâncias que podem ser irritantes quando há inflamação da glande do pênis.

E é que muitos casos de balanite podem ser evitados com uma higiene adequada do pênis . Então, é necessário realizar uma lavagem completa, incluindo a retração do prepúcio para expor a glande e também pode limpá-lo confortavelmente. Isso evita o acúmulo de sujeira sobre a rédea e a glande. Então vai secar a área como é feito com o resto do corpo. Não é bom para uma lavagem excessiva, porque favorece o aparecimento de irritação.

Se a causa da balanite é uma doença sexualmente transmissível, que devem adoptar as recomendações chaves indicadas pelo médico da atenção primária ou médico especialista para o seu caso específico.

Por outro lado, dependendo de qual é o agente causador da balanite, começará um tratamento específico ou outro:

Tratamento de balanitis Candidomycetica: quando produz sintomas, sendo de antifúngicos de escolha como Clotrimazol ou miconazol. Dado que a taxa de infecção no par é bastante elevada, é aconselhável também tentar isto, especialmente se você desenvolver sintomas. No caso da balanitis Candidomycetica recorrente, deve excluir a presença de doenças como diabetes mellitus ou HIV.

Balanite por aeróbio e anaeróbio de tratamento: o tratamento de escolha são antibióticos, que são selecionados dependendo do germe causal suspeito. O mais comumente utilizados são a eritromicina para os aeróbios (germes que usam oxigênio para seu metabolismo) e metronidazol ou ácido clavulânico amoxicilina para anaeróbios (germes que não usam oxigênio para seu metabolismo).

Balanitis Herpes tratamento: medicamentos antiherpetic como Valaciclovir, aciclovir ou famcicloviré usado. Se há muito séria ou recorrência freqüente, pode ser manter a manutenção do supressor de tratamento por um ano, desde que diminui o risco de estas.

Tratamento do líquen escleroso: tratamento de escolha são os corticosteróides tópicos para alcançar a remissão da lesão, para posteriormente ir reduzindo gradualmente. Tratamento às vezes intermitente é mantido por algum tempo, para manutenção da remissão. A realização de forma mais agressiva, como a circuncisão ou outras intervenções cirúrgicas depende do grau de envolvimento da glande ou prepúcio, sendo algo que deve ser avaliado em cada caso em particular. É geralmente para acompanhar pacientes, uma vez que uma pequena porcentagem de casos pode conter transformação maligna.

Balanite circinada tratamento: o tratamento de escolha são os corticosteróides tópicos, associar um tratamento específico, se associado a infecção é suspeito. O tratamento do casal é necessário quando suspeita STD.

Doença tratamento da Eritroplasia de Queyrat e Bowen: excisão cirúrgica é o tratamento preferencial, embora às vezes você pode optar por tratamento alternativo. É obrigatório para seguir, porque há um risco de recorrência.

Tratamento de balanite de Zoon: o tratamento inclui medidas gerais (higiene), tratamento médico (corticosteróides tópicos, antibióticos) e medidas cirúrgicas (circuncisão), classificação dependendo de cada caso. Você pode ser ou não de monitoramento, com base no que ele considera o especialista em cada caso.

Balanite de drogas tratamento: é necessário eliminar a droga causal e se envolvimento é extensa ou grave, podem ser indicados os cremes hidratantes e corticosteróides tópicos sobre a lesão.

Tratamento da balanite por irritantes (alérgicas): você deve remover o agente precipitante e, dependendo de cada caso, adicionar cremes hidratantes ou corticosteróides tópicos por vários dias se for considerado apropriado. Assim é o INCI

Artigo contribuído para fins educacionais

Eiritroplasia de Queyrat

A eritroplasia de Queyrat é uma lesão vermelha pré-cancerosa ou já um carcinoma in situ ou um carcinoma espinocelular invasivo, localizado nas mucosas e semimucosas do pênis, da vulva ou da mucosa oral (assoalho da boca, língua e palato mole). O termo "eritroplasia" foi originalmente usado pelo dermatologista francês Louis Auguste Queyrat (1856- 1933).

Quais são as causas da eritroplasia de Queyrat?

A causa da eritroplasia de Queyrat é desconhecida, mas se presume que seja a mesma do carcinoma espinocelular oral, cujos principais fatores de risco são a exposição ao sol, uma idade avançada (sexta ou sétima década de vida), sexo masculino (duas vezes mais frequente em homens que em mulheres), histórico pessoal ou familiar de câncer de pele e imunidade enfraquecida.

Qual é o mecanismo fisiológico da eritroplasia de Queyrat?

Cerca de 90% das lesões eritroplásicas apresentam displasia epitelial, carcinoma in situ ou carcinoma espinocelular invasivo. A falta de queratinização, combinada a um epitélio adelgaçado, permite aos microvasos subjacentes que exibam uma coloração vermelha. Apesar da eritroplasia ser menos comum que a leucoplasia, há nela um potencial muito maior de displasia significativa ou do desenvolvimento de malignidade invasiva.

Quais são as principais características clínicas da eritroplasia de Queyrat?

A eritroplasia de Queyrat incide mais frequentemente em indivíduos do sexo masculino acima dos 50 anos de idade (pico aos 65-74 anos). Geralmente a lesão é única (mas pode ser múltipla) e ocorre na glande, no prepúcio e, mais raramente, na mucosa genital feminina e na mucosa oral.

Apresenta-se como uma placa bem definida, vermelho-brilhante, amarelada, finamente granulosa, levemente infiltrada, de aspecto aveludado, normalmente assintomática, mas que pode ulcerar e estar associada à secreção e à dor. O carcinoma espinocelular que pode resultar da transformação da eritroplasia é bem mais frequente e agressivo do que o que resulta da doença de Bowen.

Como o médico diagnostica a eritroplasia de Queyrat?

Toda lesão eritroplásica, em qualquer mucosa, deve ser cuidadosamente investigada, em virtude do seu potencial de malignidade. O diagnóstico da eritroplasia de Queyrat deve começar pela história clínica e exame físico, mas o diagnóstico definitivo é feito através de uma biópsia da lesão. Na biópsia, o quadro histopatológico é característico. O diagnóstico diferencial deve ser feito com balanopostite crônica, psoríase, líquen plano, balanite plasmocitária, candidíase e eritema fixo.

Como o médico trata a eritroplasia de Queyrat?

O tratamento baseia-se habitualmente na aplicação de um creme, mas a lesão deve ser acompanhada em sua evolução, uma vez que a doença possui um risco potencial de se tornar cancerosa. Como tratamento alternativo e de valor preventivo, deve ser realizada, se possível, a remoção do tecido anormal. As lesões exibindo displasia significativa devem ser completamente removidas por métodos apropriados.

Como evolui a eritroplasia de Queyrat?

A recorrência e envolvimento multifocal da mucosa oral são comuns com a eritroplasia e por isso o acompanhamento a longo prazo é sugerido para os pacientes tratados.

Como prevenir a eritroplasia de Queyrat?

A eritroplasia de Queyrat geralmente não ocorre em homens circuncisados.

Tratamentos caseiro para candidíase masculina

Sem sombra de dúvidas, inúmeras doenças podem ser curadas de forma natural e em casa.

Mas, os tratamentos caseiro para candidíase masculina costumam ser os mais eficazes.

Vamos juntos conhecer os melhores métodos para cuidar da candidíase de forma natural e sem o uso dos medicamentos.

A candidíase é um problema de saúde que se faz mais presente do que a maioria das pessoas conseguem imaginar.

É uma doença que pode ser transmissível através do sexo.

Você pode contrair a candidíase e nem ter consciência disso.

Já que pode ser assintomática na maioria dos homens, ou apresentar sintomas diferentes dos das mulheres.

O sintomas que os homens apresentam, geralmente são confundidos com problemas mais simples.

Esse fator pode tornar a doença mais perigosa para o homem.

A candidíase masculina, também conhecida como candidíase peniana ou balanopostite, tem as mesmas causas da feminina.

Mas a manifestação de sintomas pode ser diferente.

O que acaba por enganar quem a contraiu.

Já que identificar a candidíase no homem não é tão simples quanto na mulher.

A candidíase masculina geralmente se apresenta com cortes e fissuras penianas, bem como manchas brancas.

É muito comum que grande parte dos homens portadores não percebam e não busquem o tratamento adequado para a doença.

Entretanto, muitos dos que detectam e tentam curar a doença com os tratamentos convencionais não obtêm resultados satisfatórios.

A reincidência da doença é o principal motivo de descontentamento e frustração.

Mas existem alternativas mais saudáveis, sustentáveis e baratas para tratamentos caseiro da candidíase masculina.

Para que você consiga se livrar de uma vez por todas deste problema tão incômodo…

Destaquei alguns tratamentos caseiro para candidíase masculina que vão ajudá-lo a dizer adeus à Candida Albicans.

Tratamentos caseiro para candidíase masculina

Doenças de origem fúngica podem realmente se tornar um incômodo constante em nossas vidas.

Entretanto, existem tratamentos caseiro que podem ajudar a se livrar da doença sem precisar recorrer a remédios caros e com altos índices de falha.

A seguir, confira algumas opções para tratamentos caseiro para candidíase masculina.

Iogurte natural

Por mais estranho que possa parecer, o iogurte natural é um tratamento caseiro contra a candidíase masculina muito usado exatamente por não ser complexo.

Basta aplicar o iogurte na área afetada do órgão genital e deixando agir por 3 horas.

Chá de barbatimão

Para fazer o chá e aplicá-lo na região como um tratamento caseiro para candidíase masculina;

1 – Adicione 1 xícara de cascas de barbatimão na panela com um litro de água e deixe ferver por 15 minutos.

2 – Depois de fervida e esfriada, acrescente uma colher de suco de limão e lave a região peniana afetada com este chá três vezes ao dia.

Não use o mesmo chá no dia seguinte, faça todos os dias e utilize o método por uma semana.

Chá de uva-ursina

Diferentemente do tratamento para candidíase masculina descrito no item anterior, este chá deve ser ingerido e não usado de forma tópica.

Este tratamento para candidíase masculina é recomendado por ter ação diminuidora na reprodução do fungo Candida Albicans.

Para fazê-lo, basta ferver certa quantidade de água.

Coloque 2 colheres de chá de uva-ursina em uma xícara, despeje a água, abafe e deixe repousar por 5 minutos e beba.

Deverá tomar uma xícara 3 vezes ao dia.

Como cada um possui um organismo diferente, os chás podem não funcionar da maneira desejada.

Por isso, é importante entender como funciona o organismo para então descobrir o melhor tratamento caseiro para candidíase masculina.


 


 


 


 


 


net

Leia outras matérias desta seção
 » Laticínios ajudam contra doenças
 » Doença da urina preta (Haff)
 » Rapidinhas II da Harvard Saúde
 » Ômega-3: quando vale a pena tomar
 » Rapidinhas da Harvard Saúde I
 » Metformina droga maravilha ?
 » Espuma na urina
 » O café nosso de cada dia
 » Sangue na urina
 » Manga reduz gases e faz bem na pós-menopausa
 » Sono: alimentos que não combinam
 » Alimentos que combatem o diabetes
 » Perder peso: mitos e verdades
 » Aspirina contra Alzheimer
 » ayahuasca é antidepressivo segundo a UFRN
 » Pulgões como acabar com a praga
 » Microondas porque a comida não é gostosa
 » Rinosinusite tratado geral
 » Álcool em pequenas doses pode proteger o cérebro
 » Sepse aprenda a reconhecer


Voltar