» Colunas » Saúde

10/09/2020
Corticóides contra o coronavírus

Uma nova pesquisa apontou que a dexametasona e outros corticóides são capazes de reduzir a mortalidade pelo novo coronavírus. A meta-análise observou mais de 1.700 dados de pacientes em sete testes clínicos randomizados (em que os pacientes são distribuídos aleatoriamente entre os grupos de tratamento) e identificou que remédios como a dexametasona, a hidrocortisona e a metilprednisolona podem desempenhar um papel essencial na redução do risco de morte pela doença.

Os medicamentos podem ajudar porque aliviam a inflamação, o inchaço e as dores causadas pela covid-19, visto que uma parcela considerável dos pacientes infectados pelo vírus morrem por conta de uma reação exagerada do corpo no combate ao vírus.

Segundo a análise, 647 pacientes morreram e a mortalidade foi menor quando corticosteroides foram administrados quando comparados com o grupo que recebeu o tratamento padrão para casos do SARS-CoV-2 ou que recebeu uma combinação de placebo.

Os cientistas também afirmaram que as medicações não causaram ou aumentaram os efeitos colaterais e sintomas da doença.

A dexametasona já foi identificada por outro estudo, de Oxford, como uma opção para o tratamento da covid-19. Em junho, o anti-inflamatório corticosteroide que também é utilizado em crises de asma e por alpinistas no combate aos efeitos da falta de oxigênio em altas altitudes, reduziu em até um terço o risco de morte dos pacientes entubados usando respiradores mecânicos; e em um quinto para pessoas que estavam recebendo oxigênio suplementar por causa do coronavírus.

Se a eficácia dos medicamentos for comprovada, essa será uma forma mais barata de tratar a doença que já deixou mais de 25 milhões de infectados no mundo todo. A dexametasona, por exemplo, custa cerca de 5,40 reais no mercado brasileiro.

Nenhum medicamento para a covid-19 foi aprovado até o momento para uso regular, de modo que todos os tratamentos em uso são considerados experimentais. Outra droga potencial contra a doença é antiviral remdesivir, que mostrou resultados mistos num estudo de fase final com pacientes de covid-19 moderada.

Fonte: Tamires Vitorio - Revista Exame

 



Leia outras matérias desta seção
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro
 » Coronavírus: perda repentina do olfato
 » Coma Ovo.....ou não ?
 » Guaraná contra o diabetes tipo 2
 » Nova terapia para o mal de Parkinson
 » Coronavírus são seis tipos com sintomas diferentes
 » Coronavírus: teste pelo plano de saúde
 » A pandemia e a depressão em crianças


Voltar