» Colunas » Editorial

05/01/2012
Ano novo tudo velho

Ano Novo,vida nova ,esperanças novas! Será? Os problemas são os mesmos, as dívidas também.A economia anda  ruim e o mundo num emaranhado só.A política  na malandragem de sempre .As tragédias em ascensão.As dúvidas em ebulição.A corrupção na impunidade.O povo na desigualdade . O que será novo então? A vontade, o sonho, a ilusão ou a imaginação? Pode ser... Afinal, somos especialistas  em  otimismo e alienação.Gostamos de cultivar a fantasia que  torna nosso viver  bem mais confortável.Curtimos a euforia ,mesmo que rápida. Adoramos as festas do fim de ano que  entorpecem , anestesiam e transformam  tudo numa insensata alegria.Viver festejando inibe a realidade e torna o mundo utópico e num devaneio fantástico ao imaginário.Seria maravilhoso  que os 365 dias do ano fossem de pura  comemoração, puro carnaval  ou eterno campeonato de futebol.Em ritmo de alegria e deslumbramento não  pensaríamos, não  raciocinaríamos e nem sofreríamos.Ou,  fingiríamos não  sofrer.Mas, o ano envelhece e acaba ficando para traz  .O novo, ah o novo! Este sim empolga e fascina.Pena que   expõe também  , o medo, a incerteza e as mentiras.As mesmas do ano passado já que  fugir delas parece impossível .Escapar, acelerar,pular etapas também não dá, pois cada dia precisa ser vivido.E um a um, cada momento, terá que ser saboreado, seja ele amargo,doce ou cruel.Sofrimentos,angústias terão que ser vivenciados .Não só as alegrias.Frustrações serão sentidas.Cada uma a seu tempo farão com que as do ano anterior sejam amenizadas ou fiquem lá,  adormecidas no esquecimento. Recomeçaremos animados, com os famosos juramentos de transformação   para que tudo seja diferente , mesmo tendo a certeza de que tudo será exatamente igual.Conquistas, vitórias, realizações,felicidade serão então desejos  impossíveis? Não, apenas complicados demais,difíceis e nem sempre alcançáveis. O que fazer então?Absolutamente nada. Afinal , a vida é assim.É este processo repetitivo, em ritmo frenético e  louco  que impulsiona os seres  a uma busca constante de motivação e explicação para o que nem sempre pode ser explicado ou justificado.A vida é este eterno  conformar-se  que o ano é novo, mas que  tudo continua sempre igual.Das cogitações às sensações.Das intenções às frustrações.Nada muda e tudo continua velho .Velho como o tempo que  não pode parar  , nem se alterar,mas  que concorda em  emprestar a nós um minúsculo   espaço onde usufruiremos   dele da melhor forma e pelo prazo  que for possível.
FATIMA CHIATI



Leia outras matérias desta seção
 » Liberdade de Imprensa
 » Caieiras: As trapalhadas do Gilmar
 » Caieiras:Mais um imbróglio da gestão Gilmar
 » Caieiras:Despesas de 2021 tem limite ultrapassado
 » Lagoinha e seus Jabutis
 » Recado para prefeitos "distraídos" ou caloteiros
 » Caieiras:Prefeitura inova na execução fiscal
 » Caieiras:Como cutucar a onça com vara curta
 » Caieiras:Professores quem liga para eles?
 » Caieiras: Prefeito corre o risco de virar peneira
 » Caieiras:Exemplo de como gastar o dinheiro público
 » Lagoinha o rei dos imbróglios, agora é o subsídio!
 » Semeando a discórdia
 » As licitações "bomba relógio" em Caieiras
 » Caieiras: O Município que nada em dinheiro
 » Dr. Peter (Juiz da Comarca) rejeita queixa crime do prefeito lagoinha contra o vice, dr. cleber
 » Prefeitos: Receita infalível para se tornar inelegível
 » Guedes inventa um pássaro sem asas
 » Janio Quadros: faz quase 40 anos que esteve em Caieiras
 » Caieiras: a loucademia de maus políticos



Voltar