» Colunas » Editorial

23/01/2012
O universo pet

Acabei de ler que estamos num tempo onde os animais estão sendo mais valorizados que o próprio ser humano.O mercado pet, em ascensão , é testemunha disso.Até a Avenida Paulista já é palco de reivindicações da classe .Há um tempo atrás os animais de estimação apesar de tratados com carinho,tinham seu território bem definido:O quintal.Jamais entravam nos recintos íntimos de uma casa e principalmente jamais invadiam o espaço que não lhes era permitido.Hoje ao contrário,cães,gatos,coelhos,papagaios e o elitizado rato do tipo hamster, ocupam locais privilegiados em muitas residências.Tem gente que não sai de casa por causa de seus bichinhos.Onde deixá-los? Em condomínios de apartamentos já não há mais proibições a animais.Eles tomaram posse não só do ambiente interno da casa,como praticamente de todo espaço urbano e social.Dormem nos sofás,nas camas,nas cadeiras.Comem ao lado dos moradores.Usam o banheiro para suas necessidades (mesmo que em jornal).Possuem um armário de roupas animalescas mas na maioria das vezes, ridículas.Usam chapeuzinhos,gorros.Dormem em colchões acetinados e se alimentam das mais sofisticadas rações.Passeiam pelas ruas,ao shopping,pelas praias,pelas praças e pelos jardins.Desfilam numa suntuosidade jamais vista.Vão ao médico,tomam mil vacinas,vitaminas e até são submetidos à terapia de relaxamento.No salão de beleza,fazem tosa,são banhados com xampus,massageados com colônias e saem de lá totalmente entorpecidos pelos aromas e cremes utilizados.Na saída levam para casa uma lista de produtos:anti pulgas,antialérgicos,anti micóticos e até anti gente.Saem perfumados, enfeitados e tristemente descaracterizados. Ironicamente,como era de se esperar, tornam-se pouco resistentes, com baixa imunidade e um pouco afrescalhados demais.Passam a se irritar.Na rua começam, a atacar e em casa tornam-se mal comportados.Visitas não são bem vindas.O sofá já tem dono.A sala também.A cozinha idem .O banheiro mais ainda e jornal com urina e fezes virou objeto de decoração.Pobres animais!Talvez fiquem imaginando como eram felizes seus ancestrais, livres,soltos correndo pelos quintais sem laços e sem frescuras .Pobres animais! Adoecem a toda hora e morrem também precocemente.Não resistem a tantos caprichos humanos.Não conseguem resistir a tanta delicadeza de seus donos que tentam de mil maneiras transformá-los em humanos .Tentam até se adaptar ao novo comportamento que os transformaram em bibelôs de pessoas.Mas, eles sucumbem cansados ,entregando-se à própria sorte, de quem sabe um dia tudo voltar a ser como antes.  E ai, estando cada macaco no seu galho, logicamente todos voltarão a ser muito mais felizes.
FATIMA CHIATI



Leia outras matérias desta seção
 » Liberdade de Imprensa
 » Caieiras: As trapalhadas do Gilmar
 » Caieiras:Mais um imbróglio da gestão Gilmar
 » Caieiras:Despesas de 2021 tem limite ultrapassado
 » Lagoinha e seus Jabutis
 » Recado para prefeitos "distraídos" ou caloteiros
 » Caieiras:Prefeitura inova na execução fiscal
 » Caieiras:Como cutucar a onça com vara curta
 » Caieiras:Professores quem liga para eles?
 » Caieiras: Prefeito corre o risco de virar peneira
 » Caieiras:Exemplo de como gastar o dinheiro público
 » Lagoinha o rei dos imbróglios, agora é o subsídio!
 » Semeando a discórdia
 » As licitações "bomba relógio" em Caieiras
 » Caieiras: O Município que nada em dinheiro
 » Dr. Peter (Juiz da Comarca) rejeita queixa crime do prefeito lagoinha contra o vice, dr. cleber
 » Prefeitos: Receita infalível para se tornar inelegível
 » Guedes inventa um pássaro sem asas
 » Janio Quadros: faz quase 40 anos que esteve em Caieiras
 » Caieiras: a loucademia de maus políticos



Voltar