05/08/2020
O braço direito do homem

Meu pai que era sábio me dizia: Menino, você ainda vai ver neste mundo muitas coisas “sem pé e sem cabeça”. Usava-se esse dizer quando o que se ouvia era besteira e não era para acreditar. Não faz muito em que se dizia: Se “passou” na Globo (rede de televisão) então é verdade. Agora temos a internet e não sei se tudo que lá é publicado é verdade como as “verdades” da Globo. Mas, a internet causou-me espanto quando através dela fiquei sabendo que um indiano está a mais de quarenta e cinco anos com o braço direito erguido sem nunca mais tê-lo abaixado.

Essa “proeza” é do indiano Sadhu Amar Bharati. Conforme ele disse aos jornalistas sua atitude drástica foi um protesto em prol da paz mundial. Ele na estava satisfeito, ou pensava que Shiva, um Deus do hinduísmo não estaria e então resolveu apelar para algo mais radical: Ele ergueu o seu braço direito ao céu e não o baixou mais. Esse fato melhor está explicado na internet, inclusive, com a foto do Sadhu e como o seu braço ficou todo atrofiado.

O ato tão radical do Sadhu não foi em vão. Seu protesto em prol da paz mundial surtiu efeito. Hoje reina a paz no mundo (até parece). O efeito se fez notar até no Brasil. De uns tempos pra cá, uma parte do povo ficou dividida ou separada em alas, ala da direita e ala da esquerda. Embora tais alas de pessoas sejam dotadas de muita inteligência, muito e muito se debatiam como se fossem inimigas mesmo sendo “irmãs” da mesma pátria.

Graças ao sacrifício do indiano Sadhu em prol da paz, agora ambas as alas estão se dando bem e até se amam. Ah se o indiano Sadhu fosse o Papa...

 

Altino Olimpio

 



Leia outras matérias desta seção
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam
 » Frases ou lembranças que me chegam
 » O paraíso perdido
 » Penso, logo existo. jargão antigo
 » Os ladrões do tempo
 » A sacanagem não muda
 » Para os que não pensam pensarem
 » Não é tudo que o tempo modifica
 » O braço direito do homem
 » O inexplicável sentido da vida
 » Tempos e contratempos
 » Raciocinar cansa muito
 » Se formos o que pensamos...

Voltar