31/12/2021
Sobre a Costa Rica

A experiência emocional

Em continuação a meu texto anterior, quero dividir com vocês um pouquinho de minha experiência emocional neste lugar. 

Com 51.100 km quadrados, uma população de quase 5 milhões e nove províncias, Costa Rica é um dos destinos procurados, não só para turismo, bem como para viver!

É comum encontrar estrangeiros proprietários de hotéis, pousadas etc., muito embora o processo de imigracao para permanência no país seja complicadíssimo.

CR faz parte do denominado Círculo de Fogo do Pacifico.

Com data de 65 milhões de anos, possui 200 vulcões identificados!

Destes, mais ou menos 100 vulcões possuem alguma atividade. 

E destes 100, 5 estão classificados como ativos.

Há também os denominados  vulcões “jovens” com 2000 anos em média.

E pasmem : cada um tem características completamente distintas.  

A diversidade da flora e vida animal é incrivelmente grande. 

CR caberia numa “barca de Noé" como garantia da biodiversidade num novo mundo.

Por conta da quantidade elevada de minerais, possui terras vantajosamente férteis. Pés de café e bananeiras crescem por todos cantos. 

E praias no Pacifico e Atlântico garantem o toque de brilho para esta pérola negra !

A imensidão das alturas e dos mares, num mesmo cenário, separados pelas formações montanhosas e muita natureza!

Conhecido pelo emblema “Pura Vida”, realmente faz jus ao que exala por todos os lados, em todos ângulos.

É pura vida!

E se você gosta de café, o de CR  está na lista dos melhores do mundo, conhecido e procurado pelo notável paladar.

O que tenho minhas dúvidas porque não troco por bom café brasileiro feito no coador da vovo!

Vale mesmo o gosto pessoal. O melhor café do mundo é aquele que saboreamos.

Acho que a tecnologia de cultivo, o controle exímio nas principais fazendas de café (desde plantação até trabalhos sociais), o incentivo financeiro rural ao produtor, o investimento em pesquisas e desenvolvimento de novas espécies de mudas, assim como disseminação de pragas, por grandes companhias internacionais especialmente, são os  principais responsáveis pelas luzes e aplausos do setor cafeeiro de Costa Rica.

Vou para aqui porque o texto não é sobre café.

Sobre café contarei no livro que estou escrevendo com meu Denis.

Por várias vezes pensei que Costa Rica é uma bomba.

Beleza e perigo se mesclam na opulência de cenários inimagináveis.

E talvez justamente este binômio controverso faça do lugar uma porta para emoções contidas.

A primeira vez que estive em CR foi com meu marido e filhos. Em curto tempo conseguimos conhecer alguns pontos turísticos.

Estavamos chegando ao México e para podermos permanecer no territorio mexicano, tinhamos que entrar com autorizacao residencial imigratoria em outro pais. Uma burocracia sem tamanho. 

Uma antiga fazenda de café que foi transformada num centro de visitação com várias espécies de plantas  nativas, e um acervo de pássaros e animais soltos em amplos espaços. Papagaios, tucanos, araras, macacos etc. Os animais típicos da fazenda também podiam ser visitados em suas instalações: vacas, porcos, galinhas e coelhos.

Estivemos no topo de um vulcão, na feira de artesanato de São José, e num tanto de ruas que exploramos com olhos atentos.

Costa Rica é um dos melhores lugares que conheci. 

Esta segunda vez viajei sozinha.

Um lugar onifero! 

E como num sonho, as emoções dilatam-se sem medo dos altos muros da realidade nua e crua.

Não se vive no sonho, mas enquanto estamos nele, são palpáveis, com cheiros, gostos e um tilintar daqueles sentimentos guardados às vezes por uma vida.

Mas lá encontrei com Daniele, uma mulher, amiga, mãe  com sonhos ousados, sorriso leve e vontade de viver.

E olha-lá através dos espelhos daquelas matas, ou  ruas cheias de magia, feitiços, encantamentos, validou ter vivido e caminhando com alguém de menos sorrisos, menos vontade (eu mesma),

As pessoas parecem ter saído de lembranças de tempos remotos, além desta vida: rostos familiares, nos cantos, pelas esquinas, amores fraternos, rincões de segredos.

No meio desta gente cheia de histórias e estórias, conheci “mi hermanito”, um jovem de traços delicados, cabelo cacheado e olhos claros que garantiu para minhas dúvidas existenciais, que num mundo paralelo ao nosso umbigo, há um tanto de histórias como as nossas. 

Não sei se há explicações que justifiquem estas coincidências.

Um povo de origem simples que recebeu estrangeiros no decorrer da história, contando com a exploração de mão de obra.

CR não tem expressivas referências históricas  deixadas por seus "colonizadores'' espanhóis. O acervo de monumentos é tímido, na contramão da ostentação dos sítios naturais. 

Na bagagem dos “ticos e ticas” ( como são chamados aqueles que nascem em CR) há um pedacinho de terra, um tanto de ervas de benzedeira, um bule de café e histórias que borbulham encantamentos.

Simbolos tatuados.

As cercas das casas são plantas, arbustos, trepadeiras. Tantas diferentes, numa cartela de cores em tons de verde, marrom. As flores parecem pintadas com “canetinhas”. Galinhas no fundo das casas, dos restaurantes. Maritacas voando a céu aberto. Árvores antigas com largos cipós em forma de cabeleiras enormes, lugares alegres e receptivos.

Plantações, armazenadores e beneficiadores de café, igreja e museu em San Jose Orosi, Atenas, Paraíso, Grécia, Oreamuno, Parque Nacional Vulcão Irazu, Senderos de Prusia, “Arbole Embrujada”, são alguns dos lugares que estive.

“E  no meio das florestas, sentada nas folhas caídas do fim do outono que permaneceram por todo inverno como um tapete cor de folhas secas, no Pico do Parque Nacional, eu chorei! 

Chorei porque encontrei o pedaço de um mundo povoado com esperança,  oxigênio para o corpo e a alma. Um lugar que, se não apaga as feridas, faz delas marcas de guerras vencidas, talvez não da vitória dos poderosos, mas seguramente dos que na linha de frente seguem agarrados nos fios que a vida lança”.

Tenho certeza que há outras “Costa Rica” por este mundão.

Eu descobri uma delas, e você também pode encontrá-la!”

Então, é  hora de voltar e não esquecer como foi chegar lá. Mas com energia renovada e alma leve.

Costa Rica é mais que um país, é um estado de espírito.

 

Daniele de Cassia Rotundo



Leia outras matérias desta seção
 » Sobre a Costa Rica
 » O custo do diagnóstico
 » Sair da bolha
 » Tudo parecia caminhar para o fim?
 » Eis a minha pergunta: “ faço o que agora”?
 » Estado neardenthal?
 » No mundo dos "Es", pensando como pensar
 » Pensando como pensar
 » 2020 - Cicatrizes na alma
 » João, Pedro e Rita - parte II
 » O mês do cachorro louco
 » O peso das coisas
 » João, Pedro e Rita
 » E se tudo isso não passar
 » Diário caótico sobre o coronavírus
 » Oração de aniversário
 » Encontros & Desencontros II
 » Encontros & Desencontros e o tempo
 » O tempo e a mulher do espelho
 » A mulher do Espelho

Voltar