21/03/2017
Uma das minhas Heroínas

Ela fez parte importante na minha vida.

Não só como esteticista, mas como ser humano, vivemos muitos momentos difíceis de mudança drástica de vida, juntas.

Ela foi um dos apoios primordiais no começo de minha carreira, onde ainda sem estar formada, fazia questão de ser minha modelo, ou minha “COBAIA...”, como dizíamos. Insegura, levava para o atendimento em sua casa, minhas fichas de teoria, para ir lendo, conforme eu fazia o procedimento e ela sempre me dando apoio e segurança. Devo muito a essa mulher!

Comecei a frequentar sua casa quando ainda vendia cosméticos, joias, etc, tudo para poder pagar os cursos de estética e especializações que fiz.

Via naquela família, um conjunto bonito, pai, mãe e filha.

Ela, uma mulher religiosa praticante, professora apaixonada pela profissão, cantava no coral da igreja, coisa que incentivou um dos meus filhos na época a ir estudar música e cantar junto no coral.

Enfim, uma pessoa daquelas, que por onde frequenta, é querida e admirada.

Mas na vida muita coisa não é o que parece, pessoas assim acabam incomodando quem tem frustações. Aconteceu um dia um fato, que mudou completamente sua vida e por isso, passei a admira-la ainda mais.

Era casada com um homem, filho único de mãe e irmãs, que no meu ver, o mimavam e não gostaram de vê-lo casado com uma mulher de fibra.

Para mim era difícil entender como essas pessoas conseguiam não aceitar que esse casamento era um bem para seu filho e irmão. Acredito que nem minha amiga desconfiava de tanto rancor embutido nessas pessoas, pois não era do tipo que discute ou se envolve na vida de terceiros. Vivia sua vida, cumpria seu papel de esposa e mãe perfeitamente.

Sua filha única cresceu e batalhava na época estudando muito para conseguir entrar numa faculdade de medicina. Minha amiga, sempre fez o possível para essa filha conseguir realizar seu sonho, no que começou a ver que seu marido, o pai no caso, não dava a força que ela esperava para incentivar a filha.

Foi então que os sentimentos que até aí, estavam velados, talvez escondidos mesmo, começaram a fluir de uma maneira violenta.

Esse marido, além de não incentivar a filha, passou a dizer que a menina não tinha capacidade para passar num concurso para medicina no que era apoiado pela mãe e irmãs, e também não ajudava nos custos que eram necessários para a menina seguir em frente. Mas, isso não fez a minha amiga desistir, e professora como era, passou a dar mais aulas, trabalhando o dia todo, mas pagava todos os gastos que sua filha precisava na época.

Creio que com isso o rancor cresceu, pois ela estava conseguindo sozinha fazer o que seria papel dos dois, pai e mãe.

Eis que um dia, ela indo para assistir a missa dominical, foi cercada pelas tais irmãs do marido, que a agrediram física e violentamente...

Até hoje, contando isso para vocês, eu não consigo acreditar em tamanha covardia. Ela não teve como reagir e foi brutalmente machucada.

Foi acudida na igreja e levada para um hospital.

Ao chegar em casa, estava lá seu marido, que ao vê-la demonstrou que sabia do atentado e ainda lhe disse : “- quem sabe agora você aprende a ser uma mulher obediente.”

Foi a partir desse dia, que a ‘Fera Ferida’ que pode existir em toda mulher, veio à tona para ela...

Foi á polícia, prestou queixa, fez exame de delito e comunicou a ele que a partir daquele momento, o casamento estava desfeito.

Parece simples eu contando assim. Mas não foi para uma mulher como ela. Discretíssima, fina, educada, passou por todo tipo de constrangimento que uma situação dessas nos impõe, sem temer, e com uma garra determinada a vencer.

Ele, sem esperar tamanha força naquela mulher tão pacata e calma, se perdeu e tentou de todas as formas que podia, demove-la da ideia de separação.

Mas, nada a fez mudar, ela transformou se numa guerreira e lutou pelos seus direitos e ideais.

Foi prejudicada de todas as formas possíveis por ele, que vendo que não haveria forma de tê-la de volta, fez tudo o que pode para tirar dela os direitos legais.

Foi com satisfação que um dia, depois de muita luta, eu a vi mudando para um apartamento comprado por ela, sem depender desse homem, que tanto a magoou.

Sua luta continuou...

Sua filha depois de algum tempo, conseguiu passar na faculdade de medicina. E digo para vocês, que foi um dos dias mais felizes que eu vi essa mãe passar.

Foram anos e anos de intenso trabalho, ela sozinha para custear essa filha, pois ele nunca a ajudou.

Mas o tempo passa, a vida mostra, e essa menina formou-se com louvor, sendo especialista numa determinada área muito importante na medicina.

Eis que um dia vieram a saber que o tal homem, o pai que nunca acreditou nessa filha, ficara enfermo com um doença degenerativa que o estava matando, e não tinha mais as irmãs e mãe, afinal, cuidar de um doente já era outra coisa, que elas não estavam a fim...

Acreditem... essa filha cuidou do pai! Levou-o em especialistas, seus colegas. E ainda minha amiga se prontificou a cuidar dele em sua casa, coisa que ele não aguentou, pois devia ter vergonha do que fez.

Mas não negaram apoio a ele.

Estiveram ao seu lado até o dia de sua morte.

E como existe justiça divina nesse mundo, elas receberam de volta, todo o dinheiro que minha amiga gastou durante anos com sua filha, pois ele tinha guardado tal quantia.

No meu ver...

Apenas foi dado a elas o que era delas!

Essa é minha homenagem... Sua História, no dia de seu aniversário.

À minha cliente amiga que muito admiro!


 



Leia outras matérias desta seção
 » Uma das minhas Heroínas
 » O convite
 » Mea culpa?
 » Meu filho
 » O trabalho
 » A prova
 » O doutor
 » O porta malas
 » A menina belga
 » O mistério
 » A fotógrafa
 » A curiosidade quase mata a gata
 » O espanhol vaidoso
 » Vita a problemática
 » Luzia um drama comum
Voltar