19/08/2020
Para os que não pensam pensarem

No youtube da internet, procurando se encontra vídeos interessantes para assistir, como “El canal de Korah” que abaixo, em português foi traduzido do castelhano:

“Qual é o sentido da vida? Que fazemos aqui? Por que estamos aqui? Porém mais importante... Para que estamos aqui? De repente, num dia nascemos, crescemos e morremos. E é isso? E entre o que? Aprendemos, trabalhamos, amamos, rimos, choramos, duvidamos, nos equivocamos... Porém... Por quê? Para que? Afinal todos seremos uma recordação na mente de alguém... Uma foto, um vídeo, uma anedota... Centenas, milhares, milhões de pessoas têm estado aqui antes... E que? Com que fim? Permitir que fôssemos mais pessoas aqui? Porém para que? Com que finalidade? Nosso papel é garantir que outra pessoa fique depois de sairmos? PARA QUE? Deixar os outros mais e esses para os outros e depois para outros e assim por diante até quando? Temos feito isso há milhares de anos e nada muda e não sabemos nada.

Nós evoluímos, melhoramos ou pioramos, dependendo de como se olha, vivemos mais anos, mais confortáveis ou justamente ao contrário... Cem anos atrás, apenas cem anos atrás, uma carta demorava semanas, ou até meses para ir de uma cidade a outra, hoje em um segundo se diz olá para alguém do Japão. É isso? Evoluir? Chegar mais perto? Relacionar-se? Se for isso por que nos destruímos com tanta facilidade? Acredito que a vida não tem propósito em si mesmo porque o motivo de estarmos aqui é acidental, e por definição algo que acontece por acaso não é premeditado, portanto não tem propósito ou objetivo em si mesmo. E é isso? A vida é isso? Uma combinação de circunstâncias que não se podem prever e nem evitar sem nenhum sentido? Sem nenhuma finalidade? Acredito que é donde precisamente está a chave.

Mas alguns dizem que é a perpetuação da espécie, realizar-se, transcender além dos fatos, dizem outros, evoluir, buscar sabedoria e conhecimento. Fazer um mundo melhor, alcançar a união com Deus, conseguir a pureza da alma, há pessoas que defendem que o verdadeiro sentido da vida está em tentar encontrá-lo. Há pessoas que dizem que a vida não tem sentido porque o mundo é um lugar horrível, agressivo e destrutivo. O fato é que todos nós tentamos chamá-lo de alguma forma.

Acredito que o sentido da vida é algo que inventamos porque como humanos com raciocínio abstrato, precisamos entender, assimilar... Encontrar um sentido ou finalidade para justificar nossa existência. Eu chamo isso assim. Chamem o que quiser, mas o que não vai mudar é que é o que realmente importa, não para onde vamos. Seja qual for a finalidade, o objetivo de nossas vidas, o sentido da vida é que não importa o sentido da vida. O que importa é crescer, melhorar, sermos generosos, tentar de encontrar o que sabemos fazer e explorar ao máximo, amar, pensar, divertir-se, ser críticos, sinceros, consistente, pró-ativo, e sempre viver de acordo com nossas possibilidades e fiéis aos nossos critérios. Tudo isso é o que meus pais me ensinaram. Acho que é um bom começo. É você?”

Essa reflexão do Korah desperta mesmo pensamentos sobre a vida. E a vida é mesmo bela enquanto ainda se é jovem e inconsciente das agruras que ela possa enfrentar. Entretanto, a ocupação nos distrai de nossa curiosidade de querer saber qual é a finalidade ou sentido da vida. Durante muito tempo dá muito trabalho para se viver e quase nenhum para se morrer (risos). Até o famoso filósofo Nietzsche (1844-1900) disse: Quem não presta atenção na existência é que a vive de modo mais belo. E quando se chega a uma idade avançada, mentalmente rever muito do que se existiu até então, parece que a vida foi um sonho e que a morte fará findar essa ilusão de importância pessoal que se pensou possuir.

Altino Olimpio



Leia outras matérias desta seção
 » Mas que falta de consideração
 » Nada como poder falar e aparecer
 » Minhas andanças por ai
 » Agora temos contatos, mas não com tatos
 » Quem sabe, sabe e conhece bem
 » A enganação parece eterna
 » A grande fraternidade branca
 » Os dias que sempre nos esperam
 » Frases ou lembranças que me chegam
 » O paraíso perdido
 » Penso, logo existo. jargão antigo
 » Os ladrões do tempo
 » A sacanagem não muda
 » Para os que não pensam pensarem
 » Não é tudo que o tempo modifica
 » O braço direito do homem
 » O inexplicável sentido da vida
 » Tempos e contratempos
 » Raciocinar cansa muito
 » Se formos o que pensamos...

Voltar