» Colunas » Economia

12/06/2012
BC corta juro e taxa selic atinge o menor nível da história. O que muda a partir de agora?

O Banco Central cortou em 0,5 pontos no dia 30 de maio, o juro básico da economia pela sétima vez consecutiva. Com isso, a Selic caiu para 8,5%.

Essa medida além de baratear empréstimos, também faz com que o cálculo da remuneração das novas cadernetas de poupança mude, pois a partir de agora, a remuneração da caderneta passa a pagar rendimento de 70% da Selic. (Vale lembrar que esse cálculo só se aplica para depósitos feitos a partir de 4 de maio.)

Segundo o Jornal o Estado de São Paulo, o fraco desempenho da economia e a preocupação com o nebuloso cenário externo estão por trás da decisão do BC de continuar com os cortes. Mas o patamar inédito da taxa exige atenção redobrada dos diretores com o efeito acumulado dos cortes desde agosto e, por isso, o Copom decidiu diminuir o ritmo.

               Estoques elevados, lenta reação da indústria e início de demissões em algumas empresas são algumas das notícias no Brasil que mostram que a economia deve demorar mais tempo que o imaginado para acelerar. Nesta semana, o mercado passou a apostar pela primeira vez que o País deve crescer menos de 3% neste ano. Enquanto isso, as previsões para a inflação não sinalizam preocupação.

No exterior, a situação é ainda mais preocupante. Com o agravamento da crise na Europa, há possibilidade de que a Grécia deixe a área do Euro. Houve, ainda, divulgação de problemas em algumas instituições financeiras europeias. Além disso, há sinais de que a China deve crescer menos, o que reduziu os preços das commodities, segmento em que o Brasil é grande exportador.

Para calcular os novos rendimentos da poupança, diversas calculadoras foram criadas para facilitar o entendimento dessa nova regra, entre elas:

http://economia.estadao.com.br/especiais/calcule-os-rendimentos-da-nova-poupanca,168433.htm

 

A parir dessa mudança, veja as vantagens e desvantagens de cada tipo de investimento:

Fonte: Aiana Freitas - UOL

POUPANÇA

·         Vantagens
Mesmo com a mudança nas regras de rendimento (que só valem para depósitos feitos depois de 4 de maio), a poupança permanece interessante para a maior parte dos investidores: aqueles que têm até R$ 10 mil aplicados, diz o professor do Insper Ricardo Humberto Rocha. Além de não ter taxa de administração, não sofre incidência de Imposto de Renda.

·         Desvantagens
Com a Selic a 8,5% ao ano, o rendimento dos depósitos feitos depois de 4 de maio está mais baixo, de cerca de 0,48% ao mês. Outros tipos de investimento podem render mais, como o Tesouro Direto e os fundos de renda fixa (nesse caso, é preciso investir por mais tempo, para pagar menos Imposto de Renda, e um valor maior, para ter acesso a uma taxa de administração inferior a 1%).

 

FUNDOS DE RENDA FIXA

·         Vantagens
Os fundos de renda fixa são vantajosos para aplicações feitas por períodos mais longos, porque isso reduz o Imposto de Renda pago, e para investimentos de maior valor, porque isso representa uma taxa de administração menor. No geral, são mais interessantes do que a poupança quando a taxa de administração é menor de 1% e o prazo e aplicação, superior a um ano.

·         Desvantagens
Apesar de os bancos terem reduzido as taxas de administração de alguns fundos, na média elas ainda estão altas. Segundo o vice-presidente da Anefac, Miguel de Oliveira, uma aplicação de seis meses em um fundo com taxa de administração de 1% ao ano rende cerca de 0,47% ao mês –menos, portanto, do que a "nova poupança".

 

CDB

·         Vantagens
Podem ser uma boa opção para quem vai deixar o dinheiro aplicado por mais de um ano, segundo o professor do Insper Ricardo Humberto Rocha. "Os bancos médios já estão pagando, pelo CDB, 100% da variação do CDI", diz. A variação do CDI é determinada pela Selic.

·         Desvantagens
Dependendo do rendimento do CDI é melhor aplicar no Tesouro Direto ou na própria poupança. Segundo cálculos do economista Samy Dana, o CDB só é mais interessante do que o Tesouro Direto se tiver rendimento superior a 94% do CDI.

 

TESOURO DIRETO

·         Vantagens
Segundo análise de Samy Dana, o Tesouro Direto se mantém mais vantajoso do que a poupança, independentemente do período de investimento. Mas, considerando a alíquota regressiva do Imposto de Renda (paga-se menos se o prazo for maior), a aplicação ganha ainda mais da poupança se o dinheiro ficar aplicado mais tempo.

·         Desvantagens
Além do Imposto de Renda, os investimentos no Tesouro Direto estão sujeitos a três taxas: de negociação, de 0,1% (paga uma única vez no momento da compra); taxa de custódia, de 0,3% ao ano, e taxa de corretagem, que varia de corretora para corretora (nas principais corretoras essa taxa é zero). É preciso, assim, pesquisar as taxas cobradas.


Mariana Aleixo Boani - Economista

Leia outras matérias desta seção
 » Selic a 2% o Banco Central errou feio.....
 » Debate no Instituto de economia da Unicamp
 » TCE: Iprem Caieiras, má administração,irregularidades e prejuízo
 » Tributar Livros e Jornais
 » Planos de Saúde estão proibidos de reajustar
 » Nova gasolina:perguntas e respostas
 » Reforma Tributária
 » Declaração I.Renda do MEI
 » Organizações Sociais o peso da corrupção
 » Licitação: erros primários ou propositais?
 » Coronavírus vai custar caro para Caieiras
 » Pequenas empresas: sobrevivência a pandemia
 » Guedes inventa um pássaro sem asas
 » Redução de jornada e salário e suspensão de contratos
 » Crédito para micro e pequenas empresas
 » Redução do salário e jornada de trabalho-STF
 » Coronavírus vai deixar uma herança amarga
 » Na crise use a criatividade
 » Coronavírus:respiradores, a improvisação nacional
 » Coronavírus: Dia da mentira ou dos políticos, como queiram



Voltar