» Colunas » Saúde

07/08/2009
Diabetes: mais um medicamento novo aprovado


Novidade !
1/8/2009 - G1

Washington, 31 jul (EFE).- A agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) aprovou hoje o remédio Onglyza para acompanhar a dieta e os exercícios destinados a controlar os níveis de açúcar no sangue em pacientes com diabetes tipo 2.

Um comunicado do organismo oficial afirmou que a Onglyza (saxagilptin) é um tipo de inibidor identificado como DPP4, que estimula a produção de insulina no pâncreas após a refeição.

As pessoas que sofrem diabetes tipo 2 têm resistência à insulina ou não produzem a substância endócrina para manter níveis normais de açúcar no sangue.

Calcula-se que só nos Estados Unidos cerca de 24 milhões de pessoas sofram de diabetes tipo 2.

Mary Parks, diretora da Divisão de Produtos de Metabolismo e Endocrinologia da FDA, afirmou que os altos níveis de açúcar podem provocar problemas de visão, produção excessiva de urina e, nos casos mais graves, transtornos renais e oculares.

O comunicado da FDA disse que os efeitos colaterais do remédio são infecções do aparelho respiratório superior, no trato urinário, dores de cabeça e reações alérgicas. EFE

portaldiabetes

Leia outras matérias desta seção
 » Vacinação: Perguntas e Respostas
 » Coronavírus :em nossas UTIs as mortes são altas
 » Melatonina uma muralha contra o covid19 no pulmão
 » Coronavírus: A nova variante mais contagiante
 » Coronavírus: Cientistas da USP fazem um panorama da situação
 » Alimentos que reduzem o colesterol e o triglicérides
 » Droga experimental pode reverter problemas na memória
 » Teste do covid19 pela saliva
 » Coronavírus: inflamassomas
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai


Voltar