» Colunas » Saúde

23/10/2009
Diabetes na gravidez

Noticias

Fique atenta !
22/10/2009 - Rede Noticia

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 7% das grávidas brasileiras desenvolvem diabetes na gestação. Obesidade, casos da doença na família e partos anteriores de bebês com mais de 4 quilos elevam o risco para o problema. A gravidez é um período muito importante na vida de uma mulher, pois muitas transformações acontecem na vida e no corpo a partir da concepção de um filho. E a mudança pode ser ainda maior quando se descobre algo como a diabetes gestacional. No Brasil, o problema atinge aproximadamente 7% das gestantes segundo dados do Ministério da Saúde. “Normalmente, o diabetes gestacional desaparece logo depois do parto, mas até 40% das mulheres que passaram pelo problema desenvolverão diabetes tipo 2 num prazo de 10 anos”, afirma José Bento, ginecologista e obstetra dos hospitais São Luiz e Albert Einstein. No entanto, um pré-natal bem feito, cuidados especiais em relação à dieta e monitoramento constante da glicemia – combinado à medicação – são a chave para que a mulher garanta a sua saúde e a do bebê.

De acordo com José Bento, os sintomas do diabetes gestacional se confundem com sinais característicos da gravidez, como aumento de apetite, fraqueza e maior quantidade de urina, o que dificulta a percepção das mulheres de que algo não está bem. “Por isso, é preciso ficar atenta e fazer o exame de glicemia de jejum, que deve ser realizado no início da gravidez, pois se o resultado for maior do que 86, é preciso acompanhar o aspecto glicêmico mais de perto durante a gestação”, explica o médico.

Constatada a alteração por meio de exames laboratoriais, o primeiro passo é cuidar muito bem do cardápio diário. “Uma consulta com nutricionista é importante para que a futura mamãe consiga controlar melhor a dieta, especialmente a ingestão de carboidratos”, comenta o especialista. Mas existem casos em que somente a dieta não é suficiente para manter a glicemia da gestante em níveis aceitáveis e é preciso iniciar a terapia com insulina. “De todo modo, realizar um monitoramento glicêmico diário é fundamental nos casos de diabetes gestacional, pois é somente assim que médico e paciente conseguirão manter o problema sob controle”, afirma José Bento.

Para auxiliar a mulher a controlar o diabetes gestacional com segurança e precisão, a Bayer Diabetes Care trouxe para o Brasil a tecnologia Já CodificadoT, presente em seus monitores da linha Breeze® 2. Essa tecnologia oferece mais precisão aos resultados, pois o paciente não precisa codificar o aparelho cada vez que troca as tiras reagentes. O Breeze® 2 ainda é o único que dispensa o manuseio das tiras, pois possui um exclusivo sistema de discos que contempla 10 testes.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes gestacional são: obesidade, casos da doença em família, partos anteriores de bebês com mais de 4 quilos e histórico de abortos espontâneos ou morte fetal sem explicação. No entanto, independente desses fatores, durante a gravidez o organismo feminino se depara com uma condição especial: a placenta produz uma substância que interfere na ação da insulina, o hormônio responsável pela síntese da glicose. Em condições normais, o organismo da gestante passa a produzir mais insulina para dar conta da síntese do açúcar. “Mas, em algumas mulheres, esse aumento na produção de insulina não acontece e ela acaba por acumular muita glicose no sangue, o que também afeta o bebê”, conta José Bento. O diabetes gestacional não controlado pode levar ao quadro de toxemia gravídica – que engloba pressão alta, inchaço generalizado e presença de proteína na urina – cujas conseqüências vão desde o adiantamento do parto até convulsões e a morte de mãe e filho. 

portaldiabetes

Leia outras matérias desta seção
 » Reumatismo e seus vários tipos
 » Colesterol alto x coronavírus
 » Coronavírus:Imunidade cruzada
 » Coronavírus: Porque os Diabéticos correm mais risco
 » Canabidiol desenvolvido na USP chega às farmácias
 » Espinheira santa
 » Coronavírus: Pneumonia silenciosa
 » Coronavírus: Ar condicionado pode espalhar
 » Fakes sobre o coronavírus
 » Coronavírus: Doenças crônicas
 » Alcool gel exige cuidados
 » Coronavírus e o Oxímetro
 » Coronavírus: Uso do anticoagulante heparina
 » A batata Yacon e o diabetes
 » Coronavírus não é pior que as outras pandemias
 » Coronavírus: Remdesivir - antiviral
 » Coronavírus: veja a posição da sua Cidade no ranking de mortes
 » Anita contra o coronavírus
 » Coronavírus: visão geral
 » Coronavírus: Mais um medicamento parece que funciona


Voltar