» Colunas » Saúde

07/05/2010
Glaucoma: diabetes é fator de risco

Noticias

Complicações
3/5/2010 - Diabetes

O diabetes é um dos fatores de risco para o surgimento do glaucoma e, por isso, seus portadores devem estar atentos e realizar exames oftalmológicos periódicos para verificar a ocorrência da doença. O alerta é do oftalmologista Paulo Augusto de Arruda Mello, professor adjunto da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e coordenador da comissão de ensino do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

O glaucoma ocorre quando a pressão intra-ocular alta impede que haja boa irrigação sanguínea e, portanto, boa nutrição da estrutura ocular. O globo ocular entra em sofrimento, as células ganglionares da retina começam a morrer, a pessoa perde o campo visual até chegar à cegueira. Esse processo pode levar pouco tempo – quando a pressão é exageradamente alta e os danos são elevados – ou maior período de tempo, se a pressão for menos alta e os danos forem menores e aumentarem gradativamente.

“O portador de diabetes tem o dobro de possibilidade de desenvolver glaucoma, em comparação com a população em geral”, revela Mello. Outros fatores de risco são a ocorrência de glaucoma na família, miopia acima de 6 graus, ser da raça negra, uso indiscriminado de colírios à base de cortisona e trauma local.

O preocupante no glaucoma, acrescenta o médico, é que 80% dos casos não apresentam sintomas e evoluem silenciosamente até a perda de visão. Por isso, pessoas que apresentem um ou mais fatores de risco devem preocupar-se em periodicamente fazer consultas ao oftalmologista para verificar se estão com a doença.

“Não há como prevenir o glaucoma, mas é possível estacionar sua evolução”, explica o oftalmologista.

Quando diagnosticado, o tratamento pode ser feito com o uso de colírios específicos para a doença. Uma alternativa é a laserterapia, que tanto pode necessitar apenas de uma sessão de aplicação como de várias, e, finalmente, o tratamento cirúrgico, com a criação de um outro canal para liberação da pressão. Em qualquer uma dessas soluções, a pessoa terá de manter-se em acompanhamento pelo resto da vida para impedir a evolução da doença.

O médico lembra ainda que o portador de diabetes está sujeito também a sofrer retinopatia diabética (link para matéria Cuidado com os olhos exige...), doença que surge com o aparecimento de néo-vasos em consequência da impossibilidade dos vasos sanguíneos comprometidos irrigarem o olho. Esses néo-vasos podem romper-se, provocando hemorragia, inundando o vítreo e comprometendo a visão. O tratamento é feito com fotocoagulação a laser e a doença pode ser revertida, se for precocemente tratada.


 


Leia outras matérias desta seção
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro
 » Coronavírus: perda repentina do olfato
 » Coma Ovo.....ou não ?
 » Guaraná contra o diabetes tipo 2
 » Nova terapia para o mal de Parkinson
 » Coronavírus são seis tipos com sintomas diferentes
 » Coronavírus: teste pelo plano de saúde
 » A pandemia e a depressão em crianças
 » Coronavírus x tipo sanguineo
 » Pomada para feridas diabéticas
 » Coronavírus:Omega 3 x Covid19
 » Reumatismo e seus vários tipos
 » Colesterol alto x coronavírus
 » Coronavírus:Imunidade cruzada
 » Coronavírus: Porque os Diabéticos correm mais risco


Voltar