» Colunas » Saúde

20/01/2011
Dores ao caminhar, pés frios e dificuldade na cicatrização merecem atenção

Noticias

Dores ao caminhar, pés frios e dificuldade na cicatrização merecem atenção

17/1/2011 - Minha Vida

Neste artigo vou falar um pouco sobre o pé diabético. Todos nós conhecemos a diabetes, moléstia endócrina em que o açúcar no sangue não é utilizado pelos tecidos, levando a glicemia elevada e alterações em vários sistemas do corpo humano. No caso do sistema circulatório, a diabetes provoca a aceleração do processo arteriosclerótico das artérias, levando a isquemia dos tecidos irrigados pelas mesmas.

Pelos órgãos envolvidos estão as artérias coronárias ocasionando isquemia do miocardio podendo levar ao infarto cardíaco e as artérias renais, levando a insuficiência renal grave, até mesmo a parada de funcionamento renal e também as artéria dos membros, principalmente os inferiores levando a quadro de isquemia de pé e pernas, causando até gangrena e amputação deste.

A diabetes também lesa a microcirculação, ou seja, as pequenas artérias (arteríolas) que nutrem o tecido, e se faz de forma tão dramática, que não há possibilidade de restauração da nutrição tecidual levando ao chamado pé diabético.

O pé diabético é uma entidade patológica bem conhecida dos médicos, que originado pela isquemia da microcirculação local lesa, primeiro, os nervos do tecido. Com a lesão há perda de sensibilidade local e o paciente ao andar pressiona excessivamente a planta do pé que ocasiona ferimento de difícil tratamento, pois todos os tecidos estão comprometidos pela isquemia. Como a infecção local pode chegar até o osso (osteomielite), praticamente anula a possibilidade de recuperação dos tecidos, causando desta forma a amputação

A isquemia pode evoluir até a artéria de grande calibre ocasionando grandes lesões teciduais (gangrena) e terminando em grandes amputações. Portanto, o controle da diabetes é de elevada importância, pois esta doença evolui de forma insidiosa causando grandes lesões em órgãos e tecidos do corpo humano, sendo que o diabético deverá ter especial atenção ao coração, olhos (retinopatia), rins e pés.

Assim, é importante quando se tem dores ao caminhar, pés frios e pálidos, feridas que não cicatrizam facilmente, formigamento, "fraqueza nas pernas", deve-se procurar um especialista, no caso um angiologista e cirurgião vascular, que pode avaliar com maior precisão a natureza dos sintomas e tomar as medidas médicas para evitar maiores danos, como a amputação do membro afetado

Dr. Alexandre Nicastro Filho é angiologista e Cirurgião Vascular e Endovascular CREMESP25844



Leia outras matérias desta seção
 » O calor veio para ficar
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro
 » Coronavírus: perda repentina do olfato
 » Coma Ovo.....ou não ?
 » Guaraná contra o diabetes tipo 2
 » Nova terapia para o mal de Parkinson
 » Coronavírus são seis tipos com sintomas diferentes
 » Coronavírus: teste pelo plano de saúde
 » A pandemia e a depressão em crianças


Voltar