» Colunas » Saúde

01/02/2011
Café da manhã e diabetes

Noticias

Nutrição & Diabetes
27/1/2011 - Diabetes

Com a desculpa da pressa ou, mesmo, da falta de hábito, muitos brasileiros costumam sair de casa sem ter tomado seu café da manhã. Essa é uma atitude errada e bastante prejudicial à saúde, alerta a nutricionista Daniéla Oliveira Magro, do Departamento de Medicina Preventiva da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), porque a primeira refeição do dia deve responder por 20% a 30% do total ingerido por qualquer pessoa – diabética ou não – durante todo o dia.

Engana-se quem acha que, pulando refeições, pode conseguir emagrecer: “Quem não se alimenta no início do dia acaba sobrecarregando as demais refeições e, com isso, aumenta o risco de ganhar peso”, adverte Daniéla.

Para os diabéticos, fazer todas as refeições regularmente – incluindo os lanches intermediários – é a melhor maneira de manter a saúde em forma e a glicemia sob controle. Daniéla explica que, no café da manhã, é preciso ingerir porteínas e carboidratos, independentemente do resultado do teste de glicemia de jejum.

“Com hiper ou hipoglicemia, a correção deve ser feita com o ajuste da dose de insulina, mas, em ambos os casos, o caminho não é evitar a refeição”, explica a nutricionista. O mesmo acontece em relação ao diabético que usa apenas medicamento oral: se a glicemia estiver alta, a pessoa deve apenas reduzir a quantidade de carboidratos consumida, mas não pular a refeição.

Daniéla ensina que o café da manhã deve conter alimentos com proteína: leite ou iogurte desnatado, requeijão ou queijo magros. Se houver intolerância à lactose, é possível fazer a substituição pelo leite de soja. Eventualmente, a proteína pode ser obtida a partir do ovo – cozido ou quente -, mas é preciso ficar atento, nesse caso, ao cálcio e à quantidade de carboidratos, porque o ovo não supre a necessidade de ambos.

Os carboidratos também devem ser consumidos, preferencialmente os complexos encontrados em pães com fibras, como centeio ou soja, ou nos cereais matinais, que devem ser integrais e dietéticos

“Para fazer o cálculo de quanto comer, deve-se considerar que uma colher de sopa de cereais equivale a uma fatia de pão integral”, explica a especialista.

Na opção pelo pão integral, pode-se ainda utilizar a margarina light ou uma geléia dietética. Daniéla lembra que é preciso também comer uma fruta em pedaços, evitando-se o suco, que obriga a uma dosagem maior de insulina.

Embora não seja um hábito do brasileiro, Daniéla enfatiza que quem adota o costume americano de consumir embutidos ou ovos fritos de manhã deve buscar uma mudança: “Refeições gordurosas aumentam o bloqueio à insulina, o que é especialmente perigoso para o diabético tipo 2, que naturalmente já tem resistência à insulina”.





Leia outras matérias desta seção
 » Coronavírus: Aspirina pode ser benéfica
 » Coronavírus: Macrófago é um dos vilões
 » Coronavírus:Pode permanecer mais de 14 dias no organismo
 » Coronavírus:Pacientes resistentes podem ajudar
 » Leucemia linfoide aguda (LLA),
 » Coronavírus:Antiviral é aprovado
 » Coronavírus:catástrofe iminente
 » Coronavírus:vem aí o spray nasal
 » Coronavírus:Quem está com ele pode se vacinar?
 » Coronavírus:Variante P1 está se alastrando rapidamente
 » Paralisia facial reversão com laser
 » Vitamina D:suplemento não tem melhoras
 » Quando as vitaminas se tornam tóxicas
 » Coronavírus-remédio para câncer é esperança
 » Coronavírus:Atividade física não evita agravamento
 » Coronavírus: quanto tempo leva a resposta imunológica da vacina?
 » Vacinação: Perguntas e Respostas
 » Coronavírus :em nossas UTIs as mortes são altas
 » Melatonina uma muralha contra o covid19 no pulmão
 » Coronavírus: A nova variante mais contagiante


Voltar