» Colunas » Saúde

03/11/2011
Estudos em animais mostram que medicamento dado ao nascer , impede o Diabetes.

Pesquisadores testaram em animais recém-nascidos um medicamento humano prescrito para adultos com diabetes e relataram que a droga, quando administrada muito cedo na vida, impede de desenvolver a doença posteriormente. A descoberta foi publicada na revista Diabetologia.

Se o feito for repetido em humanos o medicamento poderá impedir que crianças desenvolvam diabetes tipo 2. De acordo com a autora do estudo, Rebecca A. Simmons, a descoberta indica que existe uma janela de desenvolvimento da doença, isto é, um período de tempo em que é possível proteger de forma permanente as células produtoras de insulina.

A pesquisa pode ser relevante para crianças com problemas no crescimento intra-uterino, uma complicação comum durante a gravidez. Pesquisas anteriores mostraram que esse problema está associado com uma diminuição da disponibilidade de nutrientes e hormônios para o desenvolvimento do feto, e dessa forma, altera permanentemente a expressão genética e prejudica células produtoras de insulina no pâncreas.

Os pesquisadores usaram o hormônio Exendin-4, uma droga recentemente aprovada para adultos com diabetes tipo 2, condição na qual o paciente produz insulina suficiente, ou é incapaz de processar a insulina normalmente. Embora o mecanismo da droga não seja conhecido, ele aumenta a secreção de insulina em adultos.

No estudo, Simmons recriou problemas no crescimento intra-uterino em ratos. Os pesquisadores descobriram que depois do medicamento ser ministrado aos animais recém-nascidos, ele aumentou a expressão de um gene necessário para que as células beta, que produzem insulina, funcionem corretamente.

O uso do hormônio pode ser importante para pessoas que sofrem alterações anormais na infância e alteraram essas células, o que faz com que a diabetes adulta apareça.


UOL

Leia outras matérias desta seção
 » Artrite reumatóide x hemopressina
 » Cirurgia combinada catarata mais buraco macular
 » Coronavírus o que temos hoje para combater
 » Própolis vermelha é anticancerígena
 » Catarata: proteína pode estar ligada a ela
 » Coronavírus: Vitamina D ajuda
 » Bactérias da Antartica contra o câncer
 » Corticóides contra o coronavírus
 » Zolgensma o absurdo de US$ 2 milhões
 » Com tratamento precoce risco de morte cai
 » Colchicina age contra o coronavírus
 » Tuberculose novos fármacos para o futuro
 » Coronavírus: perda repentina do olfato
 » Coma Ovo.....ou não ?
 » Guaraná contra o diabetes tipo 2
 » Nova terapia para o mal de Parkinson
 » Coronavírus são seis tipos com sintomas diferentes
 » Coronavírus: teste pelo plano de saúde
 » A pandemia e a depressão em crianças
 » Coronavírus x tipo sanguineo


Voltar