» Colunas » Saúde

10/04/2012
Enzima encontrada na saliva ajuda a regular os níveis de glicose no sangue.

Níveis de glicose após a ingestão de amido são influenciados por diferenças geneticamente determinadas da amilase salivar

Cientistas do Monell Center relatam que os níveis de glicose no sangue após a ingestão de amido são influenciados por diferenças geneticamente determinadas na amilase salivar, uma enzima que decompõe o amido na dieta. Especificamente, a atividade da amilase salivar superior está relacionada a menos glicose no sangue.

Os resultados são os primeiros a demonstrar um papel metabólico significativo para a amilase salivar na digestão de amido, o que sugere que esta enzima oral pode contribuir significativamente para o estado metabólico global. Outras implicações relacionam-se a calcular o índice glicêmico dos alimentos ricos em amido e, finalmente, ao risco de desenvolver diabetes.

"Duas pessoas podem ter respostas glicêmicas muito diferentes para o mesmo alimento amiláceo, dependendo de seus níveis de amilase. Indivíduos com níveis elevados de amilase estão melhor adaptados para comer amidos, pois eles digerem rapidamente o amido, mantendo os níveis de glicose no sangue equilibrados. O oposto é verdadeiro para aqueles com níveis baixos de amilase. Assim, as pessoas podem querer levar em conta seus níveis de amilase se elas estiverem prestando atenção ao índice glicêmico dos alimentos que estão comendo", disse a principal autora Abigail Mandel, cientista nutricional no Monell Center.

O amido do trigo, da batata, do milho, do arroz, e de outros grãos é um componente importante da dieta nos Estados Unidos, compreendendo até 60% das calorias ingeridas. As enzimas amilase secretadas na saliva ajudam a quebrar amidos em moléculas mais simples de açúcar que podem ser absorvidas para a corrente sanguínea. Deste modo, a atividade de amilase influencia os níveis de glicose no sangue.

Um estudo anterior havia demonstrado que os indivíduos com atividade da amilase salivar elevada são capazes de quebrar o amido oral muito rapidamente. Esta descoberta levou os pesquisadores a perguntar como esta "pré-digestão" contribui para a digestão total do amido e para o metabolismo da glicose.

No estudo atual, publicado online na The Journal of Nutrition, a atividade da amilase foi medida em amostras de saliva obtidas a partir de 48 adultos saudáveis. Com base em extremos de atividade da amilase salivar, dois grupos de sete foram formados: amilase elevada (HA) e amilase baixa (LA).

Cada integrate da pesquisa bebia uma solução de amido de milho simplificada e amostras de sangue eram obtidas ao longo de um período de duas horas depois. As amostras foram analisadas para determinar os níveis de glicose no sangue e as concentrações de insulina.

Depois de ingerir o amido, os indivíduos no grupo HA tinham níveis mais baixos de glucose no sangue em relação aos do grupo de LA. Isto parece estar relacionado com uma liberação antecipada de insulina por parte dos indivíduos do grupo HA.

"Nem todas as pessoas são iguais em sua capacidade de lidar com o amido. Pessoas com níveis mais elevados de amilase salivar são capazes de manter os níveis sanguíneos de glicose mais estáveis quando consomem amido. Isso pode finalmente diminuir o risco de resistência à insulina e de diabetes não insulino-dependente", disse o autor sênior Paul Breslin, geneticista sensorial do Monell Center.

Estudos adicionais deverão confirmar os resultados atuais com alimentos ricos em amido mais complexos, como o pão e o macarrão. Outro foco envolverá a identificação dos mecanismos neuroendócrinos que conectam a quebra do amido na boca com a liberação de insulina.


ISaude.net

Leia outras matérias desta seção
 » Nova droga pode reverter Demência
 » Doença grave x Espiritualidade
 » Insônia
 » Stents-bypass ou medicamentos ?
 » Própolis verde
 » Exames de sangue para que servem
 » Exame de Urina tipo 1
 » Estatinas aumentam risco de osteoporose
 » Diabetes tipo 2 - protocolo oficial da SBD - 2019
 » Cocô ! Tratado Geral
 » Dieta Cetogênica
 » Manteiga Ghee como fazer
 » Coração x Café
 » Câncer x Café
 » Terapia anti-câncer CAR-T - USP
 » Própolis - USP-ESALQ
 » Cera de ouvido detecta câncer
 » HPN Hidrocefalia de pressão normal
 » Sal do Himalaia não é o que dizem
 » Insuficiência cardíaca: novo medicamento


Voltar