» Colunas » Saúde

29/05/2014
Margarina: câncer de mama e doença cardíaca nas mulheres

A ingestão de ácidos graxos trans e risco de doença cardíaca coronária entre as mulheres.

Lancet . 06 março de 1993 , 341 (8845) :581-5 .Willett WC, Stampfer MJ , Manson JE , Colditz GA, Speizer FE, Rosner BA, Sampson LA, Hennekens CH .Channing Laboratory, Departamento de Medicina, Harvard Medical School, Boston , Massachusetts.

Resumo:


Isómeros trans de ácidos gordos, formados por hidrogenação parcial de óleos vegetais para produzir margarina e gordura vegetal , aumenta a proporção de plasma de baixa densidade, lipoproteína de colesterol de alta densidade , lipoproteínas, por isso é possível que eles  influenciem negativamente o risco de doença coronária . Para investigar esta possibilidade , estudamos dados dietéticos de participantes no Estudo de Saúde das Enfermeiras. Calculamos a ingestão de ácidos graxos trans de questionários preenchidos por 85.095 dietéticos mulheres sem cardiopatia congênita , acidente vascular cerebral , diabetes, hipercolesterolemia. Durante 8 anos de acompanhamento , houve 431 casos de nova CHD ( infarto do miocárdio não- fatal ou morte de CHD ) . Após o ajuste para idade e ingestão total de energia , o consumo de isômeros trans estava diretamente relacionada ao risco de CHD ( risco relativo para maior vs menor quintil 1,50 [ 95 % CI 1,12-2,00 ] , p de tendência = 0,001). Controle adicional para os fatores de risco de CHD estabelecida , o uso de multivitaminas e ingestão de gordura saturada, gordura monoinsaturada e ácido linoleico, o colesterol da dieta , as vitaminas E ou C, caroteno, fibra,  não se alterou substancialmente o risco relativo . A associação foi mais forte para os 69.181 mulheres cujo consumo de margarina  ao longo dos 10 anos anteriores tinha sido estável (1,67 [ 1,05-2,66 ] , p de tendência = 0,002). A ingestão de alimentos que são fontes importantes de isômeros trans ( margarina , biscoitos biscoitos [ ] , bolo e pão branco ) eram  significativamente associados a maiores riscos de doença coronariana. Estes resultados suportam a hipótese de que o consumo de óleos vegetais parcialmente hidrogenados pode contribuir para a ocorrência de doença coronariana.

Home/Research/Paper Chase/Intake of trans fatty acids and risk of coronary heart disease among women.Intake of trans fatty acids and risk of coronary heart disease among women.
Lancet. Mar 6, 1993;341(8845):581-5.Willett WC, Stampfer MJ, Manson JE, Colditz GA, Speizer FE, Rosner BA, Sampson LA, Hennekens CH.Channing Laboratory, Department of Medicine, Harvard Medical School, Boston, Massachusetts.


O BOM  ÓLEO

Um estudo realizado pela Harvard School  investigadores de Saúde Pública mostrou que o consumo de azeite está associado a um risco reduzido de câncer de mama. Os pesquisadores do HSPH descobriram que o risco de câncer de mama para as mulheres que consomem azeite mais do que uma vez por dia é reduzida em 25 por cento quando comparado com as mulheres que consomem azeite com menos freqüência.

Os pesquisadores descobriram que uma dieta rica em frutas e vegetais também foi associado com um risco reduzido de câncer de mama. Consumo de margarina foi associada a um pequeno aumento no risco de cancro da mama .

O estudo envolveu 820 mulheres diagnosticadas com câncer de mama em Atenas, na Grécia , e mais de 1.500 indivíduos de controle na Grécia. Foi publicado em 18 de janeiro o número do Jornal do Instituto Nacional do Câncer.

"Estes resultados sugerem que o tipo de fonte de gordura consumida  pode influenciar o risco de câncer de mama em direções opostas ", disse Dimitrios Trichopoulos , coordenador do estudo e Vincent L. Gregory Professor de Prevenção do Cancro.

Versão original em Inglês

Abstract:
Trans isomers of fatty acids, formed by the partial hydrogenation of vegetable oils to produce margarine and vegetable shortening, increase the ratio of plasma low-density-lipoprotein to high-density-lipoprotein cholesterol, so it is possible that they adversely influence risk of coronary heart disease (CHD). To investigate this possibility, we studied dietary data from participants in the Nurses' Health Study. We calculated intake of trans fatty acids from dietary questionnaires completed by 85,095 women without diagnosed CHD, stroke, diabetes, or hypercholesterolaemia in 1980. During 8 years of follow-up, there were 431 cases of new CHD (non-fatal myocardial infarction or death from CHD). After adjustment for age and total energy intake, intake of trans isomers was directly related to risk of CHD (relative risk for highest vs lowest quintile 1.50 [95% Cl 1.12-2.00], p for trend = 0.001). Additional control for established CHD risk factors, multivitamin use, and intakes of saturated fat, monounsaturated fat, and linoleic acid, dietary cholesterol, vitamins E or C, carotene, or fibre did not change the relative risk substantially. The association was stronger for the 69,181 women whose margarine consumption over the previous 10 years had been stable (1.67 [1.05-2.66], p for trend = 0.002). Intakes of foods that are major sources of trans isomers (margarine, cookies [biscuits], cake, and white bread) were each significantly associated with higher risks of CHD. These findings support the hypothesis that consumption of partially hydrogenated vegetable oils may contribute to occurrence of CHD.

 

Versão sobre a margarina que corre na net, leia com cautela.
A margarina foi originalmente fabricada para engordar perus. Mas quando os
perus começaram a morrer por causa dela, as pessoas que tinham investido na
sua pesquisa começaram a procurar uma utilização alternativa que lhes permitisse, no mínimo, recuperar o investimento.
Foi nessa altura que alguém se lembrou de juntar um corante amarelo àquela
que era, até aí, uma substância branca, tornando-amais apetecível para
consumo humano e apresentá-la no mercado como um substituto da manteiga.

Mas será que sabe qual é realmente a diferença entre a margarina e a
manteiga?

Vejamos:

- Ambas têm a mesma quantidade de calorias.
- A manteiga tem um pouco mais de gorduras saturadas (8 gramas contra 5
gramas da margarina).
- De acordo com um estudo da Harvard Medical, comer margarina pode aumentar
as doenças cardíacas em mulheres, relativamente àquelas que comem a mesma quantidade de manteiga.

A manteiga:
- Aumenta a absorção de nutrientes presentes em outros alimentos.
- Traz mais benefícios nutricionais do que a margarina (e os que a margarina
tem foram adicionados artificialmente!).
- É mais saborosa que a margarina e pode melhorar o sabor de outros alimentos.
- Existe há séculos e a margarina há menos de 100 anos.

A margarina:
- Triplica risco de doença cardíaca coronária...
- Aumenta o colesterol total e o LDL (este é o colesterol ruim) e diminui o
colesterol HDL (o colesterol bom).
- Aumenta o risco de cancer em 500%.
- Reduz a qualidade do leite materno.
- Diminui a resposta imunológica.
- Diminui a resposta à insulina.

E, finalmente, a parte mais interessante e perturbadora:
A margarina está a uma molécula de ser... plástico. E possui 27 ingredientes
que existem na................tinta de pintar.

Se não está convencido faça a seguinte experiência:

Abra uma embalagem de margarina e deixe-a aberta num local à sombra durante
alguns dias. Vai poder constatar algumas coisas muito interessantes:

1.º Não há moscas! (isso deve querer dizer alguma coisa!!!)

2.º A margarina não mostra sinais de apodrecimento, decomposição ou
alteração no cheiro.

3.º Não tem bolor. Nada se desenvolve ou cresce nela.

Ou seja, nem as moscas nem os mais pequenos microrganismos se interessam por
aquilo. Não há ali nada de bom.

Porquê? Bom, porque a margarina é quase plástico.

 


net/harvard medical school

Leia outras matérias desta seção
 » Nova droga pode reverter Demência
 » Doença grave x Espiritualidade
 » Insônia
 » Stents-bypass ou medicamentos ?
 » Própolis verde
 » Exames de sangue para que servem
 » Exame de Urina tipo 1
 » Estatinas aumentam risco de osteoporose
 » Diabetes tipo 2 - protocolo oficial da SBD - 2019
 » Cocô ! Tratado Geral
 » Dieta Cetogênica
 » Manteiga Ghee como fazer
 » Coração x Café
 » Câncer x Café
 » Terapia anti-câncer CAR-T - USP
 » Própolis - USP-ESALQ
 » Cera de ouvido detecta câncer
 » HPN Hidrocefalia de pressão normal
 » Sal do Himalaia não é o que dizem
 » Insuficiência cardíaca: novo medicamento


Voltar