» Colunas » Saúde

18/03/2015
Aspirina diminui risco de câncer colorretal — mas não para todos

Estudo revela que o uso do remédio reduz em 30% a incidência desse tumor. Benefício não vale, porém, para pessoas com uma variação genética nos cromossomos 12 e 15

Tomar aspirina ou ibuprofeno tende a reduzir o risco de desenvolver câncer de cólon para a maioria das pessoas, mas não funciona em uma minoria que possui algumas variações genéticas. A revelação é de um estudo publicado nesta terça-feira no periódico Jama.


Pesquisadores revisaram dez estudos da Austrália, Canadá, Alemanha e Estados Unidos que reuniram, no total, mais de 16.000 pessoas. Os dados confirmaram que o uso regular de aspirina e outros anti-inflamatórios não-esteroides, como o ibuprofeno, diminui em 30% a probabilidade de desenvolver câncer colorretal para a maior parte das pessoas. O benefício preventivo, no entanto, não foi observado em indivíduos com variantes incomuns em genes nos cromossomos 12 e 15.


Uma vez que o uso de aspirina e outros anti-inflamatórios têm efeitos adversos como sangramento intestinal, os médicos devem avaliar junto aos pacientes os potenciais perigos e benefícios do seu consumo. "O estudo sugere que o perfil genético de uma pessoa pode ajudar na tomada desta decisão", afirmou Andrew Chan, coautor da pesquisa e professor da Escola de Medicina de Harvard.


site da revista Veja

Leia outras matérias desta seção
 » Nova droga pode reverter Demência
 » Doença grave x Espiritualidade
 » Insônia
 » Stents-bypass ou medicamentos ?
 » Própolis verde
 » Exames de sangue para que servem
 » Exame de Urina tipo 1
 » Estatinas aumentam risco de osteoporose
 » Diabetes tipo 2 - protocolo oficial da SBD - 2019
 » Cocô ! Tratado Geral
 » Dieta Cetogênica
 » Manteiga Ghee como fazer
 » Coração x Café
 » Câncer x Café
 » Terapia anti-câncer CAR-T - USP
 » Própolis - USP-ESALQ
 » Cera de ouvido detecta câncer
 » HPN Hidrocefalia de pressão normal
 » Sal do Himalaia não é o que dizem
 » Insuficiência cardíaca: novo medicamento


Voltar