» Colunas » Saúde

07/06/2008
Descoberta pode dar fim ao herpes.

Descoberta pode dar fim ao herpes.

Combinação terapêutica vai reativar o vírus em estado letárgico e matá-lo com um antiviral.

As erupções cutâneas que surgem próximas aos lábios poderão ser um dia apenas uma lembrança ruim, de acordo com estudos americanos publicados na revista científica britânica Nature.

A equipe liderada pelo professor Bryan Cullen, do Centro Médico da Universidade de Kent, em Durham, na Carolina do Norte, indica ter descoberto o mecanismo pelo qual o vírus em questão – denominado herpes simplex (VHS-1, ou vírus herpes tipo 1) – se mantém latente no corpo antes de ressurgir devido ao estresse ou a uma exposição ao sol.

Segundo Cullen, essa descoberta poderá levar à produção de uma combinação terapêutica para reativar o vírus e matá-lo depois, com o antiviral aciclovir, por exemplo.

O vírus pode permanecer inativo, mantendo-se escondido em gânglios nervosos sensitivos e depois entrar novamente em ação por meio das fibras nervosas para ressurgir na mesma parte do rosto, provocando as erupções contagiosas.

No estado latente, o vírus não se alastra. Produz apenas um tipo de material genético, o RNA-LAT, cuja finalidade era um mistério. Os pesquisadores descobriram que essa forma de RNA (ácido ribonucléico) era transformada em unidades menores, de micro-RNA, que mantêm o vírus inativo, bloqueando a produção de proteínas necessárias para sua proliferação.

Sob estresse, os micro-RNA passam a não ser suficientes para bloquear a máquina, assim a fábrica de proteínas volta a operar, permitindo que o vírus volte a se alimentar.
Fonte: JORNAL DO BRASIL

jornal do brasil

Leia outras matérias desta seção
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é
 » Coronavírus só a idade não é fator determinante
 » Coronavírus: não existe mais grupos de risco
 » Vitaminas em excesso são prejudiciais
 » Coronavírus x Gripe espanhola a história se repete
 » Coronavírus: Aspirina pode ser benéfica
 » Coronavírus: Macrófago é um dos vilões
 » Coronavírus:Pode permanecer mais de 14 dias no organismo
 » Coronavírus:Pacientes resistentes podem ajudar
 » Leucemia linfoide aguda (LLA),
 » Coronavírus:Antiviral é aprovado
 » Coronavírus:catástrofe iminente


Voltar