» Colunas » Saúde

16/12/2008
Redução de estômago muda vida de 80% dos operados

Obesos com Diabetes e Hipertensão.

Mais de 80% dos pacientes que fazem cirurgia de redução do estômago no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto conseguem emagrecer e melhorar a qualidade de vida. Este é o resultado de pesquisas feitas nos últimos sete anos, desde que a técnica foi implantada no hospital. Apesar disso, especialistas alertam que, após a cirurgia, é importante que o paciente mude os hábitos.

O HC de Ribeirão realiza, por mês, oito cirurgias de redução de estômago. O médico Reginaldo Ceneviva, um dos pioneiros nesse tipo de tratamento, explica que a operação é indicada quando a obesidade se torna um problema grave. “A mais aceita é a cirurgia de capela que corresponde a uma redução do volume do estômago. Um anel de silicone estreita a passagem do alimento e, assim, existe um retardo do esvaziamento do estômago”, afirma.

Há seis anos, o funcionário público Reginaldo Pereira passou pelo procedimento de redução do estômago. Ele chegou a pesar 218 quilos e tinha muitas limitações físicas, como calçar um sapato. Hoje, parece ser outra pessoa. “Quando eu tinha 35 anos, o médico me disse que não sabia se eu chegaria aos 40”, explica.

A mudança na anatomia do estômago é um ponto importante, mas o resultado só é completo se houver um trabalho multidisciplinar antes e depois da cirurgia. A psicóloga Helenice Brizolla Gianpietro atende os pacientes em grupo, com familiares e sozinhos. Depois da operação, as sessões são quinzenais durante um ano. “É preciso repensar aspectos da vida, como sair da grande quantidade de alimentos e fazer uma reeducação alimentar. É preciso mudar a relação dos alimentos, passando de quantidade para qualidade”, ressalta.

Os cuidados da fisioterapia também são necessários para quem, aos poucos, ganha um corpo novo. O acompanhamento é intensivo antes e, principalmente, depois da cirurgia. “São feitos exercícios respiratórios e exercícios físicos. Eles precisam ter uma vida mais ativa”, destaca a fisioterapeuta Melina Viegas Silva.

Para conseguir fazer a cirurgia de redução do estômago no HC é preciso estar acima do peso, mas acima de tudo ter uma indicação médica. “Pacientes com obesidade grave, que tenham problemas de hipertensão e diabetes, não tenham problemas psicológicos e que aceitem os procedimetos a longo prazo são os mais indicados”, destaca o nutrólogo José Ernesto dos Santos.


PortalDiabetes.com.br

Leia outras matérias desta seção
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é
 » Coronavírus só a idade não é fator determinante
 » Coronavírus: não existe mais grupos de risco
 » Vitaminas em excesso são prejudiciais
 » Coronavírus x Gripe espanhola a história se repete
 » Coronavírus: Aspirina pode ser benéfica
 » Coronavírus: Macrófago é um dos vilões
 » Coronavírus:Pode permanecer mais de 14 dias no organismo
 » Coronavírus:Pacientes resistentes podem ajudar
 » Leucemia linfoide aguda (LLA),
 » Coronavírus:Antiviral é aprovado
 » Coronavírus:catástrofe iminente


Voltar