» Colunas » Saúde

07/08/2009
Diabetes: redução de estômago

Noticias

Entrevista com o cirurgião bariátrico Cid Pitombo
6/8/2009 - Diabetes

Não há um procedimento cirúrgico específico para a cura do diabetes. As intervenções capazes de auxiliar o tratamento da doença são os transplantes de pâncreas (às vezes acompanhados de transplante de rins) e, a que provavelmente mais motive essa pergunta, a cirurgia de estômago, chamada bariátrica, que acaba por contribuir sobremaneira no controle da glicemia. Diabéticos com obesidade mórbida, que têm IMC acima de 35, e que apresentam ou não complicações decorrentes da doença têm recorrido muitas vezes a essa cirurgia de redução do estômago para conseguir perder peso e controlar o diabetes. Os resultados vêm sendo positivos, com índices de sucesso em torno de 80% e 90%, o que motivou o estudo da aplicação do mesmo procedimento em diabéticos que apresentam sobrepeso, aqueles com IMC acima de 25, mas principalmente nos que possuem IMC acima de 30. O procedimento, entretanto, ainda é experimental, como explica o cirurgião bariátrico Cid Pitombo, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, na seção Rio de Janeiro.

Cid Pitombo - "Modelos semelhantes à cirurgia de redução do estômago têm sido feitos, ainda em experimentação, em diabéticos tipo 2 com sobrepeso. No Brasil, esse procedimento começou a ser aplicado em 2003 e, até o momento, mais de 500 pacientes já passaram pela cirurgia. Diversas técnicas têm sido empregadas em diferentes tipos de pacientes: que utilizam ou não insulina, que apresentam ou não doenças adicionais. Ainda não se sabe que método é mais eficaz para que tipo de paciente e a expectativa é que até 2011 já se tenham obtido esses dados e conclusões para que a cirurgia possa ser aprovada pelo Ministério da Saúde e Conselho Federal de Medicina como procedimento normal.

O que nos leva a realizar procedimentos cirúrgicos nesse tipo de paciente é porque, ao desviarmos o intestino, estimulamos a produção precoce e mantida de hormônios do final desse órgão que aumentam a produção de insulina. O objetivo é também conseguir diminuir a gordura visceral e reduzir a resistência à ação da insulina, auxiliando, assim, o controle do diabetes. Os resultados, em alguns estudos, têm repetido o sucesso obtido na cirurgia de redução do estômago de obesos mórbidos, mas faltam estudos de longo prazo, fundamentais para a aceitação dos métodos.

Entre os diversos métodos empregados, um que tem apresentado melhores resultados com risco menor que os demais métodos é um modelo parecido com o bypass (gastroplastia), que consiste na redução do tamanho do estômago e sua ligação com a parte intermediária do intestino. Esse desvio pode ser feito por laparoscopia, que consiste no uso de uma micro-câmera introduzida por um pequeno orifício, o que reduz o tamanho do corte e torna o procedimento menos invasivo."

Fonte : Diabetes Nós Cuidamos

portaldiabetes

Leia outras matérias desta seção
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é
 » Coronavírus só a idade não é fator determinante
 » Coronavírus: não existe mais grupos de risco
 » Vitaminas em excesso são prejudiciais
 » Coronavírus x Gripe espanhola a história se repete
 » Coronavírus: Aspirina pode ser benéfica
 » Coronavírus: Macrófago é um dos vilões
 » Coronavírus:Pode permanecer mais de 14 dias no organismo
 » Coronavírus:Pacientes resistentes podem ajudar
 » Leucemia linfoide aguda (LLA),
 » Coronavírus:Antiviral é aprovado
 » Coronavírus:catástrofe iminente


Voltar