» Colunas » Saúde

08/12/2010
Uso de colírio em diabéticos

Noticias

Esclareça sua dúvida
8/12/2010 - Diabetes Nós Cuidamos

Para qualquer pessoa, o uso de colírio deve ser feito com precaução. Embora seja um medicamento vendido sem necessidade de apresentar receita médica, é preciso saber que há diferenças entre os produtos e que alguns podem ser prejudiciais quando seu uso não corresponde à necessidade específica do paciente. Para o diabético, a regra também vale e a atenção deve ser redobrada, como explica o oftalmologista Ricardo Neves, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Ricardo Neves - "A população em geral acha que colírio não tem efeitos colaterais e que qualquer um deles pode ser utilizado por qualquer pessoa. Colírio é um medicamento e tem várias formulações: corticóides, antiinflamatórios não esteróides, antibióticos, hipotensores oculares, vasoconstritores (descongestionantes), ou seja, existem diversas formulações, como ocorre com qualquer medicamento.

Cada classe de colírio tem uma indicação específica e o uso inadequado pode levar a complicações. É sempre bom lembrar que a automedicação é um perigo, principalmente para quem tem alguma doença crônica, e isso se aplica também para os colírios.

Algumas classes de colírios produzem menos efeitos colaterais, como é o caso dos lubrificantes, que só vão causar problemas a quem tiver alergia a um de seus componentes. Os colírios descongestionantes devem ser usados com parcimônia. A aplicação em demasia pode provocar efeito rebote, ou seja, diminuição do efeito do medicamento. Desse modo, o melhor é só utilizar colírios com indicação médica. No caso do diabético, que muitas vezes tem outras doenças associadas, alguns colírios devem ser especificamente evitados, como, por exemplo, os que contêm corticóides e que só podem ser aplicados com indicação médica. Os corticóides podem aumentar a pressão intra-ocular e causar glaucoma, provocar o aparecimento ou acelerar uma catarata, doença à qual os diabéticos já estão mais sujeitos, e ainda facilitar o surgimento de infecções como o herpes.

Colírios que contêm antibióticos utilizados sem necessidade específica podem aumentar a resistência do organismo e acabar provocando uma infecção ocular. Em relação aos colírios vasoconstritores, se utilizados em excesso podem ser absorvidos pelo organismo e provocar aumento da pressão arterial. Muitos pacientes diabéticos apresentam hipertensão arterial."

Fonte : Diabetes Nós Cuidamos


Leia outras matérias desta seção
 » Cardíacos e Idosos muita cautela em tomar Aspirina
 » Doenças transmitidas por animais
 » Canabidiol (maconha) ajuda na dor crônica
 » Idosos alguns cuidados para se manter vivo
 » Alisar cabelo - os perigos
 » O idoso e a demência
 » Coronavac 3ª dose porque tomar
 » Covid19 - Atualização
 » Coronavac x doenças autoimunes
 » Imunização contra covid está comprometida
 » O vírus de Marburg - mais um perigoso
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é


Voltar