» Colunas » Saúde

20/01/2011
Saúde bucal no diabético

Noticias

Noticias

Coluna Saúde Bucal
________________________________________
14/1/2011 - Panorama

A diabetes não só age sobre a doença gengival (periodontite), como a doença de gengiva também age sobre o equilíbrio do portador de diabetes. Na verdade, este portador deve ter maior cuidado quanto às consultas semestrais preventivas, pois assim, estará prevenindo complicações do diabetes.

Na maioria das vezes, o indivíduo não tem noção da relação entre as complicações periodontais e a descompensação metabólica da doença. A periodontite no paciente com diabetes, é desencadeada pelo fator local, que é a placa bacteriana (a placa bacteriana é a responsável pela cárie e pela doença periodontal). Por isso, é fundamental tratar a doença periodontal (de gengiva) e inseri-la em um programa de prevenção do controle de placa bacteriana, contribuindo para o equilíbrio de sua diabetes.

Nas pessoas com controle deficiente do açúcar no sangue (glicemia), as complicações na gengiva se tornam mais severas, e progridem, muito mais rapidamente, do que nos indivíduos saudáveis.

O tratamento periodontal resulta em benefício para o indivíduo com diabetes. Estudos científicos mostram, que quando este é tratado, ocorre uma baixa da hemoglobina glicada (nível de açúcar), o que auxilia na sua compensação. E as pesquisas mais recentes, sugerem que há uma ligação entre a gengivite e a diabete. Embora já se saiba, que os diabéticos têm maior chance de desenvolver doença periodontal, novos estudos indicam que a gengivite crônica, pode ser um fator de risco para a doença.

A gengivite pode fazer com que as bactérias entrem na corrente sangüínea e ativem as células que produzem os sinais biológicos da inflamação, e que têm um efeito destrutivo no organismo. No pâncreas, as células responsáveis pela insulina, podem ser danificadas ou destruídas pelas bactérias causadoras da periodontite (doença gengival). Com isso, pode surgir o diabetes Tipo 2, mesmo em pessoas que não apresentem outros fatores de risco com relação à diabete. O relatório do Ministério da Saúde sobre saúde bucal, afirma que esta é parte integrante da saúde geral. Outros problemas bucais relacionados com a diabete são candidíase (sapinho - uma infecção causada por um fungo que cresce na boca) e boca seca (xerostomia), que pode causar aftas, úlceras, infecções e cáries.

Escovar os dentes, usar o fio dental e consultar o seu dentista regularmente, são os meios mais eficazes de se prevenir contra a doença gengival (periodontite).

Se você é diabético, sugerimos que em primeiro lugar, o mais importante é você controlar o nível de glicose no sangue. Em seguida, cuide bem dos seus dentes e gengiva, e faça tratamento preventivo de sua saúde bucal a cada seis meses. Para controlar as infecções por fungo, controle bem a sua diabete, procure não fumar e, se usar dentadura ou prótese removível, remova-a e limpe-a diariamente. O controle adequado da glicose do sangue, também ajuda a evitar ou aliviar a boca seca, causada pela diabete. As pessoas que com esta doença, necessitam de cuidados bucais especiais, e seu dentista está preparado para ajudá-lo. Mantenha o seu dentista informado sobre qualquer alteração em seu estado de saúde e sobre os medicamentos que estiver tomando.

Luiz Alberto Ferraz de Caldas e Carla Gonçalves Gamba, Mestres em Farmacologia e em Saúde Coletiva; Jennifer S. Ferraz de Caldas, Especialista em Endodontia; Cirurgiões Dentistas responsáveis pelo NATO - Núcleo Avançado de Tratamento Odontológico.



Leia outras matérias desta seção
 » Cardíacos e Idosos muita cautela em tomar Aspirina
 » Doenças transmitidas por animais
 » Canabidiol (maconha) ajuda na dor crônica
 » Idosos alguns cuidados para se manter vivo
 » Alisar cabelo - os perigos
 » O idoso e a demência
 » Coronavac 3ª dose porque tomar
 » Covid19 - Atualização
 » Coronavac x doenças autoimunes
 » Imunização contra covid está comprometida
 » O vírus de Marburg - mais um perigoso
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é


Voltar