» Colunas » Saúde

02/02/2011
Narcolepsia, o que é

Por Thais Pacievitch
A narcolepsia é um distúrbio que causa episódios de sono incontrolável durante o dia, que podem durar de 15 minutos até 1 hora. Esse distúrbio não tem cura, e causa prejuízos à vida da pessoa seja no trabalho, no estudo ou socialmente.

As pessoas com narcolepsia correm risco de sofrer acidentes e lesões.
Tem sua capacidade de raciocínio, concentrações, e memória prejudicados, o que pode levá-lo a um quadro de depressão.

Algumas pesquisas apontam como causa da narcolepsia à falta de uma substância no cérebro chamada de hipocretina. Confirmados esses resultados, poderão ser desenvolvidos meios de reposição dessa substância em pessoas com narcolepsia, o que levará a uma possibilidade de cura.

Os sinais da narcolepsia aparecem entre os 15 e 30 anos de idade. O sintoma mais comum são os ataques de sono que acontecem repentinamente durante o dia. Porém, podem surgir outros sintomas como:

- Cataplexia – perda súbita do controle e da força muscular enquanto ainda está acordado.

- Paralisia do sono – Incapacidade de mover- se ou falar ao cair no sono ou ao acordar.

- Alucinações – Sonhos vívidos, muito reais ao dormir ou acordar.
O sono tem várias etapas. As duas principais fases do sono são a NREM e a REM. O sono NREM é caracterizado pelo não movimento rápido dos olhos, o que significa que a pessoa não está em sono profundo. Já o sono REM é caracterizado pelo movimento rápido dos olhos (ainda que fechados), e é considerado como sono profundo. Na fase do sono REM as pessoas são incapazes de mover qualquer músculo, e é nesse momento que acontecem os sonhos.

Segundo alguns estudos, as pessoas com narcolepsia têm um padrão de sono diferente. Tem primeiro o sono REM, o que explica a linha tênue entre estar acordado ou dormindo. Tal fato explica também a cataplexia, a paralisia do sono e as alucinações, pois algumas pessoas apresentam aspectos característicos do sono REM estando acordados.

O tratamento da narcolepsia é feito através do uso de medicamentos estimulantes para manter o paciente acordado, e da orientação do próprio paciente e de seus familiares.


Leia outras matérias desta seção
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos
 » Vacinar 15% da população é
 » Coronavírus só a idade não é fator determinante
 » Coronavírus: não existe mais grupos de risco
 » Vitaminas em excesso são prejudiciais
 » Coronavírus x Gripe espanhola a história se repete
 » Coronavírus: Aspirina pode ser benéfica
 » Coronavírus: Macrófago é um dos vilões
 » Coronavírus:Pode permanecer mais de 14 dias no organismo
 » Coronavírus:Pacientes resistentes podem ajudar
 » Leucemia linfoide aguda (LLA),
 » Coronavírus:Antiviral é aprovado
 » Coronavírus:catástrofe iminente


Voltar