» Colunas » Saúde

16/07/2014
Aplicação de insulina com agulha certa

O tamanho da agulha é baseado, em linhas gerais, pelo cálculo do IMC:

IMC= peso/altura²

Mas as tabelas facilitam na hora do cálculo, conforme modelo abaixo. 



Em linhas gerais existem 3 tamanhos de agulha:

 Mini (5mm) – usada em ICM < 25, sem prega cutânea – opção apenas encontrada em agulhas para a caneta;
 Curta (8mm) - usada em ICM < 25, com prega cutânea;
 Normal/Regular (12,7mm) - usada em ICM > 25.



Mas a avaliação da agulha correta para cada pessoa deve ser individual, pois dependendo da região podemos ter variação no tamanho da agulha. Por exemplo, adultos em sobre peso – com barriga – mas tem braços e coxas mais finos, devem usar no abdômen um tamanho de agulha, mas nos braços, coxas e nádegas outro. Outro exemplo são as grávidas. Já os atletas devemos avaliar com cuidado, pois estes tem músculo desenvolvido nas coxas e braços, sendo ideal optar pela agulha mini.



As seringas só são encontrada em duas apresentações de agulhas as curtas e as normais/regulares. Para crianças o tamanho mais comum é o mini, mas se houver necessidade, por exemplo em uma viagem que extravia a mala com insumos, de comprar seringa a melhor opção é comprar a agulha curta (8mm) e no momento da aplicação fazer a prega cutânea, assim não terá prejuízo na aplicação.

Com o passar dos anos as seringas comercializadas mudaram sua escala de graduação, atualmente elas marcam e unidades de insulina, como são prescritas pelo médico, assim não é necessário fazer conversão de unidades para mL.

No mercado existe 3 opções de seringa:

 30 unidades: marca a graduação de 1 a 1 unidade;
 50 unidades: marca a graduação de 1 a 1 unidade;
 100 unidades: marca a graduação de 2 a 2 unidades.
Todas comercializadas no tamanho curto e normal/regular.



CONSIDERAÇÔES GERAIS

 Não se deve aplicar insulina na região que se utilizará para a prática de atividade física, porque altera a absorção da mesma, devido a uma maior vascularização, tendo maior risco de uma hipoglicemia. Por exemplo, se for correr não é ideal aplicar nas coxas.

 É sempre bom lembrar que a velocidade de absorção da insulina é difere entre as 4 regiões, mesmo sendo aplicada no tecido correto, subcutâneo.

 A assepsia da região deve ser feita com álcool 70%, pois ele tem uma maior quantidade de água em sua composição que facilita a penetração do álcool a parede bacteriana e sua destruição.

Tire suas dúvidas com nossa Farmacêutica, Caroline Coelho clicando aqui!

Att.
Caroline Montingelli Coelho
Farmacêutica – CRF-SP: 50.089

 

http://www.diabetescenter.com.br/noticia/Noticia.asp?ID=625



Leia outras matérias desta seção
 » Carambola uma fruta neurotóxica
 » Cardíacos e Idosos muita cautela em tomar Aspirina
 » Doenças transmitidas por animais
 » Canabidiol (maconha) ajuda na dor crônica
 » Idosos alguns cuidados para se manter vivo
 » Alisar cabelo - os perigos
 » O idoso e a demência
 » Coronavac 3ª dose porque tomar
 » Covid19 - Atualização
 » Coronavac x doenças autoimunes
 » Imunização contra covid está comprometida
 » O vírus de Marburg - mais um perigoso
 » Leishmaniose tem mecanismo desvendado
 » Nova abordagem para metástese
 » Quais as diferenças entre as vacinas
 » Coronavírus: A variante Indiana
 » Cárie infantil RX não é indicado
 » Vacinas quando tomar a 2ª dose
 » Vacinas: quanto tempo dura a proteção?
 » CoronaVac para além dos anticorpos


Voltar