» Colunas » Saúde

14/02/2022
Fungos podem transmitir doenças graves

Fungos não são vírus nem bactérias, mas podem transmitir doenças graves.

Roberto Martinez alerta que “essas doenças são curáveis, mas observa que nem todo fungo é maligno, existem fungos importantes, como os que são usados na produção de pães e na fermentação das cervejas

https://jornal.usp.br/?p=490731

 Publicado: 11/02/2022

Por Sandra Capomaccio

É muito comum as pessoas confundirem os fungos com vírus ou bactérias, mas eles diferem na estrutura – Imagem: https://www.vix.com

Não é raro ouvir falar de infecções hospitalares ou de surtos de doenças em alguma rede de saúde. Parte dessas contaminações ocorre por fungos, por isso a preocupação da ciência, pesquisadores e até de laboratórios na produção de antídotos no combate a esses malefícios. O professor Roberto Martinez, da Divisão de Moléstias Infecciosas do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, explica o que são esses micro-organismos que vivem em um “reino à parte”. Os fungos, em alguns casos são bem visíveis, como o bolor, que aparece em uma laranja, por exemplo. 

É muito comum as pessoas confundirem os fungos com vírus ou bactérias, porém eles diferem na estrutura. Além disso, nem todo o fungo é maligno, existem fungos importantes, como os que são usados na produção de pães e na fermentação das cervejas. Saccharomyces cerevisiae é uma levedura que se alimenta dos açúcares e, ao mesmo tempo, elimina álcool e gás carbônico – um processo denominado fermentação ou levedação.

Fragmentos microscópicos

Os fungos existem na natureza: vivem na terra, nas plantas, mas normalmente estão suspensos no ar, e como são fragmentos microscópicos e  leves, podem ser inalados e, dependendo da condição de  imunidade da pessoa que inspirá-los, podem se instalar em algum órgão do corpo como, por exemplo, os pulmões. Existem várias formas de a pessoa se contaminar com um fungo, seja por meio de animais, seja por meio de madeiras infectadas e até mesmo por um simples espinho de roseira.

Normalmente, as doenças fúngicas se confundem com outras causadas por vírus ou bactérias, por isso, o diagnóstico deve ser feito através de exames laboratoriais. Um clínico geral pode identificar a doença e encaminhar o paciente a um especialista, que acaba sendo um infectologista ou pediatra, no caso de crianças. 


jornal da usp

Leia outras matérias desta seção
 » Sequelas de quem teve Covid-19
 » Zeaxantina protege os olhos
 » Emagrecedores proibidos pela Anvisa
 » Doença Falciforme a cura
 » Losartana:remédios são recolhidos
 » AVC ou derrame o que é ?
 » Câncer no testículo
 » Fungos podem transmitir doenças graves
 » Covid19 vírus desafia nossa imunidade
 » Covid19 e o Dímero-D
 » Assombroso não é ter câncer, mas sim não ter
 » Os chás que são venenos ou não ?
 » Vacinas com vírus desativados protegem mais
 » Aterosclerose e seus fatores de risco
 » Vacina em crianças
 » Câncer de tireoide em mulheres, superdiagnosticadas?
 » Leuclopasia oral
 » Melatonina
 » Covid19 - O pesadelo vai continuar em 2022 ?
 » Vacina: A importância da 3ª dose


Voltar