» Colunas » Saúde

07/12/2023
Catarata - olhos

Você sabia que a Catarata é a principal causa de cegueira reversível em todo o mundo? Ela é muito comum em pessoas acima de 55 anos e costuma atingir grande parte da população idosa. A doença afeta diretamente a lente natural dos olhos, que é responsável em focalizar as imagens e pode causar desconforto nos olhos, podendo evoluir com o tempo e levar ao que todos temem: a cegueira.

Vale lembrar que apesar de grande parte da população atingida pela doença ser os idosos, a catarata também pode afetar bebês, adultos e jovens. Por isso, seja qual for a idade, é imprescindível que, após ter os sintomas, você realize alguns exames para identificar se realmente está com a doença. Dessa forma, é possível saber qual o estágio e qual o tratamento mais adequado.

É isso que iremos abordar neste artigo: os exames que você precisa fazer para identificar a Catarata. Continue acompanhando a leitura e descubra quais são!

Conteúdo ocultar

1 O que é Catarata?

2 Quais são os sinais e sintomas da Catarata?

2.1 Atenção com as crianças

3 Quais são os exames que você precisa fazer para identificar a Catarata?

3.1 1. Teste de acuidade visual

3.2 2. Oftalmoscopia

3.3 3. Exame de lâmpada de fenda

3.4 4. Tonometria

3.5 5. Ultrassonografia ocular

3.6 6. Mapeamento de retina

4 Qual exame é o mais indicado?

O que é Catarata?

Antes de entendermos quais os exames são necessários para identificar a doença, é importante saber como ela é gerada. A Catarata é caracterizada pela perda progressiva da transparência do cristalino, que é a lente natural do olho. De forma resumida, o cristalino se torna opaco e com o tempo vai afetando a visão. Portanto, quanto maior a opacificação do cristalino maiores serão as dificuldades para enxergar, ler, dirigir, dentre outras atividades, podendo até mesmo levar à cegueira em situações extremas.

A causa mais comum da Catarata é o envelhecimento, normalmente a partir dos 45 anos e com o surgimento de sintomas de hipovisão a partir dos 60 anos. Contudo, ela também pode surgir por meio de outros fatores como:

Infecções e inflamações oculares;

Doenças sistêmicas: diabetes, doenças renais, galactosemia, etc.;

Cirurgias intraoculares: cirurgia de glaucoma, vitrectomia, etc.;

Tabagismo e alcoolismo;

Uso de medicamentos como corticoides;

Trauma ocular: contuso, perfurantes, descarga elétrica, etc.

Quais são os sinais e sintomas da Catarata?

Antes de realizar os exames para verificar se você realmente está com Catarata, é importante analisar quais sinais e sintomas você tem notado em sua visão. Dessa forma, é possível informar com mais clareza ao seu oftalmologista o que você tem reparado de diferente em seu dia a dia. Assim, ele pode identificar com mais facilidade a causa dos sintomas e indicar os exames ou tratamento adequado. Veja abaixo em quais situações você deve ficar atento:

Visão nebulosa, embaçada ou turva;

Enxergar brilhos e halos;

Visão dupla em algum dos olhos ou fantasmas nas letras;

Dificuldade para ler, dirigir à noite e andar

Sensibilidade à luz, mais que o normal;

Diminuição da sensibilidade de contraste e cores;

Necessidade de mudar o grau dos óculos constantemente.

Atenção com as crianças

Apesar de ser mais comum em idosos, a catarata também pode afetar as crianças. Os pais devem sempre ficar atentos ao comportamento visual, como a presença de reflexos anormais ou manchas nos olhos. Se notarem alguma alteração, é preciso procurar um oftalmologista com urgência para que ele indique o tratamento mais adequado.

Quais são os exames que você precisa fazer para identificar a Catarata?

Confira agora os principais exames que o oftalmologista pode solicitar para identificar se você está realmente com Catarata:

1. Teste de acuidade visual

O teste de acuidade visual é realizado para testar a nitidez com que uma pessoa consegue enxergar, ou seja, se ela é capaz de distinguir formas, cores e contornos. É o exame de vista mais simples dessa lista, onde o oftalmologista pede para que o paciente leia a uma certa distância (cerca de 6 metros) as letras ou símbolos divididos em diversos tamanhos.

O médico irá identificar se a visão espacial do paciente é perfeita ou se existe algo que atrapalha a sua visão. Por exemplo, quando o paciente está com a condição de acuidade visual normal, significa que ele consegue enxergar os detalhes das coisas a uma distância de 20 pés, sendo essa condição conhecida como visão 20/20. Basicamente, quanto mais positivo for a capacidade de leitura das letras, melhor será a capacidade de enxergar do paciente.

2. Oftalmoscopia

A oftalmoscopia, também conhecida como fundoscopia ou exame de fundo de olho, é um exame mais detalhado que visualiza as estruturas do fundo de olho. O oftalmologista analisa os detalhes do globo ocular, como a retina, o nervo óptico, os vasos retinianos e outros detalhes que são importantes para diagnosticar a catarata.

Para realizar o exame, é possível utilizar um aparelho simples e portátil (na oftalmoscopia direta, que oferece uma imagem com um campo restrito de visão) e equipamentos mais complexos (na oftalmoscopia indireta, que tem uma visualização mais ampla da retina).

3. Exame de lâmpada de fenda

O exame de lâmpada de fenda, também conhecido como biomicroscopia, é um procedimento padrão para analisar a saúde ocular e obter um diagnóstico sobre o paciente. O oftalmologista utiliza um microscópio que possui uma lâmpada que emite uma luz muito brilhante. Com isso, é possível enxergar de forma perfeita todas as estruturas do olho, como a córnea, retina central, cristalino, íris, nervo óptico, etc. Esse exame é um procedimento totalmente simples, rápido e indolor. É possível realizá-lo dentro da própria consulta com o oftalmologista.

4. Tonometria

A tonometria é um exame de contato, onde o médico oftalmologista consegue mensurar qual a pressão intraocular do paciente (também chamada de pressão interna do globo). Ele é extremamente importante para os atendimentos de rotina. Se a pressão estiver alta demais, isso irá gerar sintomas muito semelhantes ao da catarata. Por isso, ele é fundamental nessa lista para diagnosticar o verdadeiro problema na visão. Inclusive, esse exame é muito utilizado para identificar doenças como glaucoma.

5. Ultrassonografia ocular

A ultrassonografia ocular é um exame indolor que é solicitado pelo oftalmologista para avaliar as estruturas internas do olho. Ele auxilia no diagnóstico de várias doenças, inclusive a catarata. Nesse exame, uma sonda em contato com a pálpebra fechada traz as informações na medida em que o paciente, orientado pelo médico, movimenta os olhos possibilitando a coleta de informações de todas as regiões oculares.

6. Mapeamento de retina

Por fim, temos o mapeamento de retina. Ele é um tipo de exame ocular que investiga de forma detalhada a parte do olho responsável por formar as imagens. O exame permite que o oftalmologista analise a região central e periférica da retina, o nervo óptico, os vasos sanguíneos e o vítreo.

O procedimento é realizado após a dilatação com um colírio, que permite que o especialista consiga enxergar a retina e verificar se existem lesões. Alguns fatores são analisados, como o tamanho, posicionamento e coloração. É um importante exame para identificar se o problema de visão não tem relação com a retina, além de ser um processo rápido e indolor.

Vale lembrar que se a Catarata estiver em um nível muito avançado, ela pode dificultar a observação, sendo mais indicado a realização da ultrassonografia ocular, que foi citada no tópico anterior.

Todos os exames são importantes, afinal, eles podem identificar não só a catarata, mas também outras possíveis doenças oculares. Portanto, é fundamental que alguns deles façam parte do seu check up anual. Dessa forma, você estará atento a qualquer problema que possa vir a ocorrer, além de ter orientações médicas de prevenção.

Qual exame é o mais indicado?

Não existe um exame que seja mais indicado que o outro, pois tudo irá depender de cada paciente e da avaliação do oftalmologista. Em alguns casos será preciso solicitar mais exames e outros menos, dependendo da situação. Lembre-se que todos os exames devem ser solicitados pelo especialista.

Além dos exames citados, também existem outros exames de catarata, mas que são mais voltados para orientar o procedimento cirúrgico, caso ele seja necessário. Eles irão aumentar a segurança durante a cirurgia. Um desses exames é a biometria ocular. 

É um exame no qual se realiza a medida do comprimento axial do olho, sendo de grande importância na avaliação pré-cirúrgica de catarata, pois fornece o cálculo da lente intraocular que será implantada no lugar do cristalino. 

Por fim, vai aqui uma orientação importante: lembre-se da prevenção. Como já foi constatado a relação entre a radiação solar e a catarata, faça sempre o uso dos óculos escuros na rua. Além disso, não olhe diretamente para o sol.

Outras recomendações importantes são: não usar colírios sem prescrição médica (principalmente os que possuem corticoides em sua fórmula) e ter hábitos saudáveis. Como já abordamos acima, o tabagismo pode ser uma das causas da catarata. Mantenha também um cardápio com bastante vegetais, eles proporcionam vitaminas importantes, como o betacaroteno. É um nutriente que se transforma em vitamina A, que auxilia na prevenção contra a doença.

Gostou deste artigo e tirou as suas dúvidas sobre os exames necessários para identificar a catarata? Se você está com algum dos sintomas citados, marque uma consulta com um oftalmologista o mais rápido possível. Se já precisa realizar algum dos exames que abordamos aqui, a Americas Oftalmocenter oferece todos esses serviços, é só entrar em contato conosco. 


https://americasoftalmocenter.com/

Leia outras matérias desta seção
 » Câncer de pênis
 » Cafeína
 » Cúrcuma
 » Sífilis aumenta no Brasil
 » Insulina... tipos e aplicação
 » Vinagre e alho na vagina contra candidíase....
 » Tremor nas mãos
 » Catarata - olhos
 » Herpes zoster: quem já teve catapora pode desenvolver a doença
 » Diabetes: 28 amputações por dia
 » Diabetes: 2024 terá enxurrada de lançamentos
 » Micoses endêmicas
 » Mounjaro novo medicamento para diabetes
 » Ansiedade.... essa praga não tão moderna
 » ASCO 2023 Muitas novidades sobre o câncer
 » Vitaminas o perigo da Overdose
 » Omeprazol: os riscos de tomar por muito tempo
 » Noctúria
 » As comidas que você deve evitar
 » Depressão rebelde - Anedonia


Voltar