» Colunas » Economia

16/08/2017
È melhor o BNDES acabar ?

Algumas considerações a favor de acabar:

Em primeiro lugar porque com raras exceções o político brasileiro não tem vergonha na cara e usa o dinheiro do contribuinte colocado no banco para financiar empreendimentos que não dizem respeito ao povo brasileiro.

Em segundo lugar porque o País não pode ter duas moedas com poder aquisitivo diferente, uma cotada a preço de mercado e a outra do bndes subsidiada, quem paga a diferença é o contribuinte.

Em terceiro lugar porque os critérios de financiamento utilizados pelo banco sempre estiveram a serviço da política, favorecendo grandes grupos com dinheiro barato, quando o objetivo deveria ser o financiamento dos pequenos negócios, a TJLP foi uma das grandes idéias dos Economistas que o inferno está cheio.

Em quarto lugar um banco de fomento quando direciona a maioria de seus recursos bilionários com juros baratos para grandes capitais, provoca o efeito bumerangue a longo prazo, é gasolina na fogueira da inflação tal a distorção que provoca na taxa de juros real e nos preços relativos da economia.

Imaginem uma grande empresa pagando 60% da taxa de juros real para financiar-se, o preço final de seus produtos terão o subsídio embutido, menores portanto, pura concorrência desleal patrocinada pelo banco, uma espécie de “dumping” oficial a longo prazo e quando a mamata acabar provavelmente a sobrevivência dela no mercado também.

Em quinto lugar e meio silenciosamente os Economistas do Govêrno Federal tentam através da TLP rementar a situação impondo a taxa de mercado ao índice, ou seja, juros reais o que não será uma tarefa fácil diante da realidade politica nacional.

Os candidatos a  grandes no mercado precisam aprender uma lição básica: o mercado tem regras próprias, uma delas é a fonte de recursos financeiros, destas, duas não são recomendáveis: sonegação e financiamento a juros subsidiados, para isso existe as bolsas de valores e os grandes bancos e não o bolso do contribuinte. 

Algumas considerações para não acabar:

Redirecionar completamente seus objetivos, tornar-se um banco de fomento dos pequenos e médios negócios nos moldes que o Banco do Brasil foi a décadas atrás.

Deixar o grande capital se virar no mercado financeiro, criar mecanismos de proteção absoluta na política de financiamentos evitando desvios de finalidade,  como o triste exemplo de transformar um açougue na maior empresa do mundo com dinheiro do contribuinte brasileiro, não pela competência mas pela malandragem. 

 


Edson Navarro - Economista

Leia outras matérias desta seção
 » Lei anti-corrupção completa 6 anos
 » Medidas Provisórias: andamento
 » MP da Liberdade econômica
 » eSocial adiado
 » Lição de casa para os pseudo ecologistas
 » A insaciável máquina do desperdício de dinheiro
 » Canudo plástico a bola da vez
 » CDI X CDB X LCA X LCI
 » Nada mudou! nem a velha política
 » Os Privilegiados da Previdência
 » Planos de Saúde antigos-Reajustes
 » Poupança: acordo é mais uma palhaçada?
 » Como comprar um carro sem impostos
 » Caieiras inchando....até quando?
 » Como penalizar ainda mais o contribuinte inadimplente
 » Haja fraude!
 » Investimento: qual o melhor ?
 » Burrice endêmica
 » Domésticas: 70% estão na informalidade
 » Superfaturamento ou o feijão folheado a ouro



Voltar