» Colunas » Editorial

05/09/2011
A passividade dos Brasileiros

Li um texto recentemente de um jornalista de nome Sérgio Siqueira, que não conheço, mas que me fez refletir bastante. Ontem 04.09.2011,li a crônica de Danuza Leão, na Folha de S.P, e coincidentemente o tema era praticamente o mesmo.Nos dois escritos,seus autores,se interrogam e se admiram diante do comodismo do povo brasileiro frente aos acontecimentos políticos do país. Infelizmente, fui obrigada a concordar e tristemente me incluir entre os que assistem a tudo sem nada fazer.Estamos vendo diariamente nos órgãos de mídia, escândalos de corrupção, desonestidade, fraudes e imoralidade política.São escândalos e mais escândalos na impunidade ,levando- nos a crer que tudo é normal e que num país sem leis para os poderosos, não resta outra opção senão aceitar .O brasileiro vem sendo assaltado por uma carga enorme de impostos.O governo já articula meios para ativar um novo imposto sobre cheques, uma nova CPMF. O trabalhador empobrece diariamente com as perdas salariais e com o alto custo de seu padrão de vida. A população brasileira,com exceção da Classe A, não tem qualidade na educação, falta programa de saúde adequado , falta meios de transporte  decentes,falta segurança, enfim falta muita coisa. Mesmo assim ,quietos, assistimos a toda desmoralização política e governamental, numa passividade e numa calma incompreensíveis.Os grupos religiosos, os grupos homossexuais, os grupos esportistas, saem às ruas ,em passeatas sem nenhuma cerimônia. Interditam avenidas importantes, fazem verdadeiros espetáculos exigindo seus direitos.Algumas passeatas,transmitem até a impressão de que nada mais são do que puro movimento exibicionista e carnavalesco. No entanto, estão lá, aos milhares , fantasiados e expostos, como forma desesperada de expressão e reivindicação.
E por problemas sociais alguém já viu alguma mobilização?Eu pelo menos, não tenho visto nada nos últimos tempos e olha que motivos não faltam.
Engraçado é que mesmo os Órgãos de classe, Sindicatos, Associações, também pouco se impõem.Todo mundo dá entrevista, opina, critica mas ninguém organiza a sociedade a se rebelar .Danuza Leão diz que somos um povo passivo, acomodado, diferentes por exemplo da população do Chile e da Argentina. Outros dizem que, histórias passadas incutiram em nossas mentes, o medo de reagir.Talvez, pois atualmente vivemos um regime ditatorial disfarçado de democracia.
Na verdade,penso que não temos líderes.E as grandes transformações sociais e políticas só acontecem quando existem grandes líderes, cérebros privilegiados e gente idealista.
Os mais humildes até sentem a coragem para rebelar-se mas, falta-lhes esclarecimento.Os mais esclarecidos possuem os meios, o embasamento, ma não possuem a coragem.Preferem a omissão a ter que sacrificar seu mundo individualista . União de forças talvez fosse a saída, já que drasticamente, omissão e passividade são sinais básicos de submundo.Mudar comportamentos também é vital, pois só progride a sociedade que se conscientiza que deve participar, gritar e reagir.Doa a quem doer.

Fatima Chiati

Leia outras matérias desta seção
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas
 » A atual guerra Paulista
 » A vez do Witzel
 » O vídeo Bolsonaro x Moro
 » Caieiras deve receber R$ 11 milhões de ajuda federal
 » Feriado da consciência pandêmica - Folclore Nacional
 » Coronavírus-Osmar Terra: "não é bem assim"
 » Coronavírus: e agora manézada?.
 » Prefeito pretende gastar R$ 3,9 milhões em festas
 » Estado de Calamidade impõe normas na esfera jurídica
 » Prefeitura gasta R$ 10 milhões em festas
 » Concessão de transporte público



Voltar