» Colunas » Editorial

01/06/2012
O fator vice

 

    O fator vice, ou como se perder uma eleição para prefeito, escolhendo o candidato a vice errado.

    A história mostra que a opção pelo nome errado liquida candidaturas tidas como imbatíveis. Acontece em todos os cantos do País e Caieiras não poderia ser diferente.

    Para o atual pleito, já se comenta alguns  nomes como pré candidato a vice prefeito.

    No  PT,  o Dr.Jorge Araujo seria o vice de Miranda. Jorge é, talvez, o único sobrevivente do grupo dos emancipadores. Mais do que ser  um bom nome é uma homenagem justa ao estimado advogado.

    Quanto a Hamamoto, nada se fala se Gersinho continua ou sai.

    Outro pré-candidato, comentado como vice de Névio Dartora, Valdir Pereira, é forasteiro e o eleitor caieirense não costuma perdoar essa falta de raízes, pensa objetivamente  em quem vai substituir o titular, caso seja necessário.

    Essa posição conservadora  é bem própria do caieirense, principalmente dos melhoramentinos e seus descententes, que viraram minoria da população, mas ainda são ferrenhos formadores de opinião pública, subestimá-los pode ser um erro fatal.
 


Edson Navarro

Leia outras matérias desta seção
 » O prefeito de Caieiras e seu secretariado "alienígena"
 » Previsões para 2021 de Nostradamus
 » Ecos de um governo desastrado
 » Os presentes indesejáveis do TCE
 » Identificadas as forças ocultas que derrotaram Gersinho
 » Limpe tudo e entre na Casa limpa, Lagoinha.
 » O lixo que nunca acaba
 » A velha política: dividir para ganhar
 » Liberdade de Imprensa: se acabar as outras não sobreviverão!
 » Caieiras:TCE aponta 33% de sobre preço em cestas básicas
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas



Voltar