» Colunas » Editorial

25/11/2015
Baile da Fantazona: apurem-se as responsabilidades

Várias histórias continuam correndo por conta do  atropelamento fatal, causado por um menor de idade embriagado.

Até  esse ponto o acontecimento foi amplamente divulgado pela imprensa, mas o cerne da questão não foi abordado, qual seja, a venda de bebida alcoolica a menores de idade em um baile.

O Conselho Tutelar é o encarregado de exercer a fiscalização nesse tipo de evento, até agora não se conseguiu saber se havia algum membro do Conselho presente no baile.

Menores costumam usar os maiores de idade para conseguir bebidas alcoolicas, mas também é fato que eles  se embriagam dentro do recinto, onde estava a fiscalização nessa hora?.

A Vara de Infância e Juventude precisa  agir energicamente para coibir esses acontecimentos, muitas vezes ceifando vidas de inocentes. A disputa por uma vaga remunerada no Conselho Tutelar é  grande, nada mais justo que cumpram a obrigação pela qual são pagos. 

N.R. O Jornal entrou em contato com o Conselheiro Eli,  que alegou não poder informar sobre a presença da fiscalização por parte do Conselho Tutelar sem ouvir os demais Conselheiros.


Edson Navarro

Leia outras matérias desta seção
 » Caieiras:Multas de trânsito,para onde está indo o dinheiro
 » De filantrópica para Estatal será que muda?
 » Mais de 20 anos depois o Gaema descobre o maior lixão do Brasil
 » TCE adverte Lagoinha, começou cedo!
 » Saúde desnorteada, perigosa e desrespeitosa
 » Lixão: Povo pretende protestar
 » A Lei que choveu no molhado
 » Lei bola de cristal...os políticos videntes
 » Caieiras: A vacina é escassa
 » O prefeito de Caieiras e seu secretariado "alienígena"
 » Previsões para 2021 de Nostradamus
 » Ecos de um governo desastrado
 » Os presentes indesejáveis do TCE
 » Identificadas as forças ocultas que derrotaram Gersinho
 » Limpe tudo e entre na Casa limpa, Lagoinha.
 » O lixo que nunca acaba
 » A velha política: dividir para ganhar
 » Liberdade de Imprensa: se acabar as outras não sobreviverão!
 » Caieiras:TCE aponta 33% de sobre preço em cestas básicas
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"



Voltar