» Colunas » Editorial

Eleições 2004 I

Ano que vem teremos eleições municipais e os candidatos já se movimentam visando angariar os preciosos votos para se elegerem ou reelegerem.Alguns dos atuais vereadores tem cadeira cativa na Câmara Municipal, outros terão enorme dificuldade em continuar vereador, a maioria. Infelizmente a imagem dos Edis anda meio arranhada junto aos eleitores, seja pela fraca atuação conjunta ou individual ou ainda pela saga que os políticos em geral carregam. O vereador Paulo Monteiro por exemplo, é bem provável que se reeleja com folga tal a popularidade que goza no bairro das Laranjeiras.Correndo por fora com boas chances de voltar à Câmara, temos o ex-vereador Pisquila apoiado pelos evangélicos e o também ex-vereador Jesuito. Dizem os políticos que a maior briga para a reeleição será dentro do PFL que só tem cacique e o candidato desse partido precisar de muitos votos, por outro lado partidos como o PTB tem apenas uma "estrela" mas corre o risco de não eleger ninguém, já que o sistema é proporcional pelo número de votos alcançado pelo partido.Quanto a Prefeito e Vice, apontam para disputar até agora os candidatos de sempre, ou seja: Névio e Nelson Fiori, comentários dão conta que a ex-primeira dama Dóca sairia candidata pelo PMDB contando com o apôio dos eleitores de seu falecido marido e ex-prefeito Dr.Milton e da vereadora Isaura, sua filha.Névio como sempre procura aglutinar o maior número de partidos a sua volta, assim garante que nenhum deles lance candidato próprio. O PT apesar de ter o Presidente da República, continua em Caieiras como sempre, sem expressão.No campo das especulações Gersinho e Hamamoto também colocariam os respectivos nomes na disputa para a Prefeitura, o que é negado pelos dois sob a alegação de que não teriam chance contra o Névio, alegação no mínimo duvidosa já que o prefeito não tem hoje o mesmo respaldo eleitoral que teve na primeira gestão, quem está na administração sempre sofre um desgaste natural pelo exercício do poder e a divisão de votos costuma pregar desagradáveis surpresas em quem se considera eleito por antecipação.Névio tem muitos processos judiciais, e seu atual governo não pode ser considerado um exemplo de transparência, isso indica que o ano que vem deverá ser pródigo em lavagem de roupa suja, com denúncias à vontade.Nelson Fiori por estar fora do poder a alguns anos e contar com votação tipo Paulo Maluf ou seja, tem sempre um determinado número de votos, leva vantagem na próxima eleição, ainda porque a memória popular não é das melhores e o período em que governou Caieiras já caiu no esquecimento a muito tempo, num colégio eleitoral estimado em quarenta mil eleitores, dez mil votos em média faz inveja a muita gente.O vice-prefeito Joaquim Costa não expressou nenhuma vontade de concorrer senão a vice mesmo, do jeito que está, Névio e Joaquim. Os demais pretensos candidatos entrariam no jogo para dividir a votação em favor de Fiori. Segundo a população caieirense falta um candidato com novas propostas, sangue novo, mas o que parece é que a disputa ficará no de sempre, sangue velho.

Jornal A Semana

Leia outras matérias desta seção
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas
 » A atual guerra Paulista
 » A vez do Witzel
 » O vídeo Bolsonaro x Moro
 » Caieiras deve receber R$ 11 milhões de ajuda federal
 » Feriado da consciência pandêmica - Folclore Nacional
 » Coronavírus-Osmar Terra: "não é bem assim"
 » Coronavírus: e agora manézada?.
 » Prefeito pretende gastar R$ 3,9 milhões em festas
 » Estado de Calamidade impõe normas na esfera jurídica
 » Prefeitura gasta R$ 10 milhões em festas



Voltar