» Colunas » Editorial

Gente de bem não entra na política

Essa frase ouve-se à vontade por todos os rincões do Brasil, a ser levada ao pé da letra sobra só “gente do mal” senão vejamos: porque quando perguntamos a uma determinada pessoa o porque de ela não candidatar-se a um cargo como vereador por exemplo,já que possui as qualificações para tanto, inevitavelmente recebemos a resposta “eu não,política é só sujeira”. Afinal de quem é a culpa por essa situação? - Da boa imprensa que não dá trégua nas denúncias? – dos nossos políticos cada vez mais audaciosos na corrupção? – do Judiciário lento ,corporativo e não raro fazendo dobradinha com os políticos? – ou serão os portugueses colonizadores e cartorários que nos deixaram tal herança?.- Uma coisa é certa ,enquanto “gente de bem” não entrar na política,ela ficará cada vez mais suja, pois o outro lado da moeda é exatamente a “gente do mal” que vai tomando conta,sem escrúpulos, ética, consideram-se acima da Lei,mas que Lei é essa tão pouco respeitada e sempre contornada, geralmente feitas para atender interesses particulares ou de grupos, sujeita sempre a interpretação de poderes nem sempre comprometidos com a Pátria,essa Pátria esquartejada economicamente,sangrada por juros vis, que alimenta grande parte do Mundo e mata de fome seus filhos, herança maldita, até quando?.

Jornal A Semana

Leia outras matérias desta seção
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas
 » A atual guerra Paulista
 » A vez do Witzel
 » O vídeo Bolsonaro x Moro
 » Caieiras deve receber R$ 11 milhões de ajuda federal
 » Feriado da consciência pandêmica - Folclore Nacional
 » Coronavírus-Osmar Terra: "não é bem assim"
 » Coronavírus: e agora manézada?.
 » Prefeito pretende gastar R$ 3,9 milhões em festas
 » Estado de Calamidade impõe normas na esfera jurídica
 » Prefeitura gasta R$ 10 milhões em festas
 » Concessão de transporte público



Voltar