» Colunas » Editorial

16/09/2005
G4 (Grupo dos quatro) Ataca novamente

Em matéria publicada no R.News desta semana (16/09/05) o G4 está recebendo reclamações do mau cheiro do “lixão da Cavo”. Segundo dizem querem providências e esclarecimentos sobre o fenômeno cheiroso. É de se perguntar onde andou o G4 nos últimos dez anos, nada foi mais debatido, criticado, denunciado, etc. que o lixão.Quando se podia tomar alguma medida preventiva nada foi feito, exceto o protesto de parte dos munícipes caieirenses e a ação civil pública movida pelo Ministério Público. Tampouco vai adiantar reclamar para o prefeito, já que é de autoria dele a Lei que autorizou o funcionamento do lixão além de ter contratado o lobista da Cavo Sr. Carlos como funcionário municipal, estranho não?. Os vereadores do G4 parecem estar desesperados em mostrar ao povo de Caieiras que defendem seu interêsse, visto dois deles serem potenciais candidatos à prefeito em 2008. O vereador Gersinho que já era vereador quando do projeto “plantas exóticas” e tratamento de “primeiro mundo” prometido pela Cavo, chegou a esboçar alguma reação, mas parou nisso. Quanto aos vereadores que aprovaram a Lei do lixão, todos foram passear em Curitiba para conhecer o “similar” que seria implantado em Caieiras.Hoje, anos depois o tal projeto de “primeiro mundo” fede igualzinho aos projetos de “terceiro mundo”. (Maiores informações sôbre o lixão, você pode acessar neste site em “história - lixão da Cavo”.

Jornal A Semana

Leia outras matérias desta seção
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"
 » A consciência dos políticos brasileiros em reais
 » O presente das trevas do Dória
 » TCE: Mais um prêmio para o ex-prefeito Hamamoto
 » TCE: Chumbo grosso no prefeito de caieiras
 » Liberdade de Imprensa-Daniel Nakao Maibashi
 » Me engana que eu gosto
 » Caieiras e o novo marco do saneamento básico
 » Quem brinca com fogo acaba se queimando
 » Coronavirus: o after day das contas
 » A atual guerra Paulista
 » A vez do Witzel
 » O vídeo Bolsonaro x Moro
 » Caieiras deve receber R$ 11 milhões de ajuda federal
 » Feriado da consciência pandêmica - Folclore Nacional
 » Coronavírus-Osmar Terra: "não é bem assim"
 » Coronavírus: e agora manézada?.
 » Prefeito pretende gastar R$ 3,9 milhões em festas
 » Estado de Calamidade impõe normas na esfera jurídica
 » Prefeitura gasta R$ 10 milhões em festas



Voltar