» Colunas » Editorial

18/02/2019
Favor não alegar ignorância

Segundo moradores nas imediações da Av. Marcelino Bressiani, dentro da reserva florestal do Real Parque foi aberta uma estrada para colocação de tubulação de àguas pluviais.

O problema estaria no topo dessa estrada, onde está sendo feita uma terraplanagem deixando um barranco de mais de 50 metros de aclive. É só dar uma chuva forte e as casas na Av. Marcelino serão soterradas, dizem as pessoas residentes no local.

Os moradores não sabem de quem é a obra, se da prefeitura, da sabesp ou do próprio Real Parque. Não existe placa indicativa e o tratorista quando questionado disse ser da prefeitura.

Os munícipes que estão sentindo-se prejudicados procuraram um vereador que alegou que o problema é do prefeito, não dele. Mas orientou as pessoas a procurarem a Delegacia de Polícia, a Defesa Civil ou a Promotoria Pública já que o risco de morte é iminente.

Outra dúvida levantada é ser o local àrea de APP (Área de Preservação Permanente) e o trator passou por cima das àrvores, reserva de Mata Atlântica.

A Redação tentou entrar em contato com o prefeito gersinho mas não obteve resposta.


jas

Leia outras matérias desta seção
 » Caieiras:Multas de trânsito,para onde está indo o dinheiro
 » De filantrópica para Estatal será que muda?
 » Mais de 20 anos depois o Gaema descobre o maior lixão do Brasil
 » TCE adverte Lagoinha, começou cedo!
 » Saúde desnorteada, perigosa e desrespeitosa
 » Lixão: Povo pretende protestar
 » A Lei que choveu no molhado
 » Lei bola de cristal...os políticos videntes
 » Caieiras: A vacina é escassa
 » O prefeito de Caieiras e seu secretariado "alienígena"
 » Previsões para 2021 de Nostradamus
 » Ecos de um governo desastrado
 » Os presentes indesejáveis do TCE
 » Identificadas as forças ocultas que derrotaram Gersinho
 » Limpe tudo e entre na Casa limpa, Lagoinha.
 » O lixo que nunca acaba
 » A velha política: dividir para ganhar
 » Liberdade de Imprensa: se acabar as outras não sobreviverão!
 » Caieiras:TCE aponta 33% de sobre preço em cestas básicas
 » Caieiras: Se sair mais do que entra "nóis quebra"



Voltar