» Colunas » Saúde

29/07/2023
Perda de peso x caneta injetável

Caneta injetável não é para todo mundo; mudanças nos hábitos podem ajudar na perda de peso

Especialistas explicam que tratamentos devem ser individualizados. Dormir bem, gerenciar o estresse, ter atividades de lazer e fazer exercício físico ajudam na transformação.

Por Mariana Garcia, g1

 


As máximas de um estilo de vida saudável: durma bem, se exercite, beba água e se alimente bem — Foto: Freepik

As máximas de um estilo de vida saudável: durma bem, se exercite, beba água e se alimente bem — Foto: Freepik

"Quer emagrecer? Fecha a boca". Todo mundo que já passou pelo processo de tentar emagrecer já deve ter ouvido esse "conselho". Mas sabemos que não é bem assim. Aliás, não existe uma equação mágica padrão (X minutos de exercício por dia + proteína Y com duas colheres de carboidrato Z e muito verde + dois litros de água + whey protein) para quem está nessa luta contra a balança.

Tem quem ache que as canetas injetáveis, como Ozempic e Saxenda, são uma boa opção para a perda de peso. No entanto, elas não são emagrecedoras e não são para todo mundo! Esses medicamentos são indicados para o tratamento de duas doenças crônicas (obesidade e diabetes tipo 2) e só devem ser usados sob orientação médica. Além disso, podem ter efeitos colaterais, como diarreia e constipação.

➡️ Para quem só quiser eliminar "uns quilinhos", vale a máxima: reavaliar os hábitos e mudar o estilo de vida, se necessário.

(Esta reportagem faz parte de uma série do g1 sobre as canetas injetáveis para obesidade e diabetes tipo 2 para explicar como agem e quais os riscos, e para quem são recomendadas; além de revelar quando o Wegovy será vendido no Brasil. Também traz relatos de quem fez uso do medicamento.)

🔔 Receba no WhatsApp notícias sobre perda de peso e estilo de vida saudável

Cada vez mais os processos estão individualizados e o que serve para uma pessoa não necessariamente servirá para outra. Isso vale para medicamentos, dietas, suplementação e até determinados tipos de exercício.

Apesar de não existir fórmula e de cada corpo ser um corpo, algumas atitudes colaboram para uma vida mais saudável:

 

Não precisamos inventar várias receitas, alta gastronomia. A alimentação é simples, arroz, feijão, frutas, verduras, legumes. A rotina de treino também deve ser mais simples: uma caminhada de meia hora, uma corrida, já é o suficiente para se ter mais saúde.

— Luna Azevedo, nutricionista e coordenadora de pós-graduação em Nutrição Vegetariana

Genéticas x fatores externos

Também é preciso lembrar que alguns fatores colaboram para o ganho ou perda de peso, como a genética, aspectos sociais e ambientais.

"A genética tem bastante influência, mas também existem os fatores externos. Por exemplo, dois irmãos gêmeos, mesmo DNA: um mora perto de vários fast foods e outro em uma tribo isolada. Um come muito e o outro quase nada. Nesse caso, engordar ou emagrecer vai depender do estilo de vida", explica o médico do esporte Fabrício Buzatto, membro da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Fatores da obesidade: é tudo culpa da genética, do exagero na hora da comida ou da falta de exercício?

Fatores da obesidade: é tudo culpa da genética, do exagero na hora da comida ou da falta de exercício?

E se você quer emagrecer com saúde e qualidade, vai a dica de ouro dos especialistas:

Não se espelhe em "musas do Instagram".

Muitas delas trabalham com a imagem, tem toda uma estrutura de cuidados, alguém que prepara a comida, um treinador pessoal, procedimentos estéticos (e até cirúrgicos). E algumas até usam aplicativos para "retocar" a foto, como o photoshop.

Cada um tem sua rotina, suas possibilidades, preferências, necessidades e condições. Não devemos nos espelhar em fotos de Instagram. Isso pode acarretar em transtorno alimentar, psiquiátrico, um problema emocional grave. Não teremos os mesmos resultados, cada corpo é único, cada um tem seu metabolismo, organismo.

— Lara Natacci, nutricionista mestre e doutora em nutrição pela FMUSP

Luna Azevedo lembra que não devemos romantizar a vida da musa de rede social.

"Por trás daquela vida pode ter transtorno alimentar, dificuldades com aceitação e com a imagem corporal. Não devemos nos espelhar na vida de ninguém. Esse excesso de cobrança estética e visual tem adoecido adolescentes", diz.

A orientação dela é seguir a "vida de forma simples": "Faça o básico, caminhe ou corra ao ar livre, não precisa de dinheiro, só precisa tentar se organizar um pouco. Assim como precisamos dormir, escovar os dentes, podemos tentar colocar o exercício na rotina".


G1

Leia outras matérias desta seção
 » Assembléia Mundial da Saúde
 » A pior dor do mundo-nervo trigêmeo
 » Diabéticos tem aumento desenfreado
 » Descoberta a principal causa da doença inflamatória intestinal
 » Doença inflamatória intestinal
 » Câncer de pulmão x biomarcador
 » Estatinas: O que são, Como Funcionam e Efeitos Colaterais
 » Discalculia x matemática
 » Terapia genética:menina escuta pela 1ª vez
 » Verme vivo encontrado no cérebro de mulher
 » Rins:Mitos e verdades
 » Sal de cozinha tem limite
 » Água com gás x Àgua sem gás
 » Àgua filtrada é mais saudável ???
 » Micro- Ondas é seguro?
 » A cor da urina pode revelar doenças
 » Coletor menstrual - vantagens
 » Comidas ultraprocessadas
 » Dor nas costas
 » Ozempic - Samaglutidina


Voltar