» Colunas » Saúde

03/04/2024
Coletor menstrual - vantagens

Entenda as vantagens do coletor menstrual em relação aos absorventes

Existem diferentes tipos de dispositivos para segurar o fluxo menstrual, como absorventes, discos, calcinhas absorventes e coletores. O coletor menstrual traz diversos benefícios, mas requer conhecimento sobre seu uso. Vamos conhecê-los?

coletor menstrual

 

 

Dr. Renato Zucchii

 

O coletor menstrual, aqueles copinhos de silicone, geralmente em formato de taça, que podem ser colocados na vagina para reter o sangue menstrual, já eram muito utilizados na Europa e nos Estados Unidos, mas se tornaram mais comuns no Brasil nos últimos anos.

Os coletores devem ser inseridos no canal vaginal e encaixados no colo do útero, para evitar que o sangue menstrual saia da vagina, funcionando como uma forma de “absorvente interno”.

Existem diferentes tamanhos e formatos de coletores menstruais e cada mulher se adapta de maneira diferente a eles, por diversos motivos: corpos e fluxos menstruais diferentes, conhecimento da própria anatomia para conseguir manipular o coletor corretamente, preferência pelos descartáveis, no caso dos absorventes, entre outros.

São muitas as opções de dispositivos para segurar o fluxo menstrual além dos coletores: absorventes internos, absorventes externos descartáveis ou permanentes, disco menstrual descartável ou permanente, calcinhas absorventes e até esponjas.

Para facilitar na escolha, vou citar alguns critérios para comparar os coletores menstruais com os absorventes internos, que são os que mais se assemelham a eles.

 

Custo

O coletor, por ser reutilizável, acaba levando grande vantagem nesse critério. O preço de um coletor equivale a algo em torno de 5 meses de absorventes internos, só que dependendo dos cuidados, da marca ou qualidade do material podem chegar a durar 5 anos ou até mais.

 

Sustentabilidade

Um coletor com 2 anos de uso pode economizar até 600 absorventes internos. Apesar do fato de que os coletores têm que ser lavados, o impacto ambiental certamente será menor.

 

Tempo de uso

Os absorventes internos podem ser usados por até 4 horas, o que impede que sejam utilizados para dormir. Já os coletores, a depender da quantidade de fluxo menstrual, podem ser mantidos por até 12 horas seguidas, o que possibilita seu uso durante a noite. Aqui também cabe um alerta, ultrapassar o tempo indicado para qualquer método, principalmente aqueles que ficam no canal vaginal, pode causar infecções uterinas por vezes com consequências mais severas.

 

Risco de infecções

Já que o assunto é infecção, vamos nos aprofundar. O absorvente interno é feito de algodão, e absorve tudo, não só o sangue, mas a secreção vaginal fisiológica, podendo deixar a região ressecada, aumentando o risco de infecções. Além disso, também deixa o ambiente úmido e abafado, ideal para a proliferação de bactérias. Já o coletor menstrual é de silicone, um material inerte, que não funciona como um meio de cultura para bactérias.

 

Autoconhecimento

Nesse critério temos vantagens e desvantagens. O absorvente interno é descartado imediatamente após o uso, e é difícil avaliar a quantidade de sangue menstrual que foi absorvido. Já o coletor permite ver a quantidade exata da menstruação a cada troca, o que ajuda no controle do fluxo. Por outro lado, o uso do coletor exige um maior autoconhecimento da própria anatomia por parte da mulher, já que existe uma forma correta de posicionamento no canal vaginal, enquanto o absorvente interno só precisa ser introduzido e a retirada acontece simplesmente puxando o fio que fica para fora da vagina.

 

Tempo de adaptação

O tempo de adaptação ao coletor costuma ser maior, justamente pela necessidade de manipulação e autoconhecimento, como já dito. Algumas vezes pode ser necessária uma orientação mais próxima de um ginecologista.

Mesmo com todas essas informações não podemos dizer que existe um método superior a outro, cada mulher é única e leva em consideração diversos fatores nessa escolha, como rotina, estilo de vida, autoconhecimento, custo, indicações, quantidade de fluxo etc., cabe a cada uma essa escolha.

 

*O conteúdo desta matéria tem caráter informativo e não substitui a avaliação de Profissionais da Saúde.


isto é

Leia outras matérias desta seção
 » Estatinas: O que são, Como Funcionam e Efeitos Colaterais
 » Discalculia x matemática
 » Terapia genética:menina escuta pela 1ª vez
 » Verme vivo encontrado no cérebro de mulher
 » Rins:Mitos e verdades
 » Sal de cozinha tem limite
 » Água com gás x Àgua sem gás
 » Àgua filtrada é mais saudável ???
 » Micro- Ondas é seguro?
 » A cor da urina pode revelar doenças
 » Coletor menstrual - vantagens
 » Comidas ultraprocessadas
 » Dor nas costas
 » Ozempic - Samaglutidina
 » Aranhas perigosas
 » Câncer está ligado nas lesões do DNA
 » Alzheimer é um tipo de diabetes?
 » Câncer de pênis
 » Cafeína
 » Cúrcuma


Voltar