28/11/2016
O mistério

Um belo dia, uma pessoa me liga, perguntando se eu fazia tratamento para eliminar gordura localizada. Eu disse que sim, e marcamos um horário.

Quando ela chegou, eu até estranhei, pois tinha um corpo bom, era jovem, mas me mostrou sua barriga e realmente estava um tanto gordinha.
Expliquei a ela os procedimentos e naturalmente disse que eu não fazia milagres. Ela teria que colaborar...
Então ela confessou que adorava uma cervejinha, um vinho... uns petiscos... enfim...
Rimos juntas, aliás, ela era o bom humor personificado.
Semanalmente ela estava lá e fomos fazendo o possível para aquelas gordurinhas derreterem, pois, como ela dizia: - ¨Sai gordura! Esse corpo não lhe pertence¨.
No entanto, com o decorrer das semanas, cada vez que eu fazia a medição, não via nenhum resultado e comecei a perceber que tinha algo errado, pois ela inchava cada vez mais.
Confesso que fiquei muito preocupada, pois notava que ela estava ficando com o corpo todo redondo com acentuado inchaço nos pés.
Fizemos de tudo naquele corpo... Massagens, correntes elétricas, drenagens, crioterapia, gessoterapia e nada.
Acabei dizendo a ela que devia procurar um medico, pois aquilo não era normal. Ela ficou brava comigo e exigiu que eu continuasse. E ainda tirava uma onda comigo, dizendo: - “Eu sou o seu desafio... Se vira e me faça perder essa barriga”.
O tempo foi passando, e eu um dia, disse a ela: - “Se você não for ao medico, eu não lhe atendo mais”. Muito brava comigo ela saiu, mas acabou marcando uma consulta.
Vejam, já tinham se passado 4 meses. Ela fazendo uma dieta severa e eu fazendo de tudo para ajudá-la. Então, nessas alturas, sua saúde me preocupava muito.
Foi ao médico, que pediu exames imediatamente, inclusive um ultrassom de emergência.
Aí... Descoberto a doença: Um lindo bebê de 16 semanas de gestação! Magrinho coitadinho... Ela passava fome e o pobrezinho também.
Eu fiquei preocupadíssima, tantos procedimentos proibidos para uma grávida, mas ele estava lá, magrinho, mas saudável.
Rimos muito disso, e ela até hoje quando me vê, fala: - “Essa esteticista não é boa! não tirou minha barriga e ainda me deixou grávida!”.
O bebê em questão, hoje é um homem. Quando fui apresentada a ele, já adulto, ela fez questão de dizer: - “Foi ela R., foi ela que deu choques em você... Essa mulher é perigosa!”.
A partir daí, muitas histórias tenho para contar dela.

Selma Esteticista
 



Leia outras matérias desta seção
 » Meus queridos, meus velhos, meus amigos!
 » Cala a boca Magda
 » Fui me despedir
 » O fim de uma história
 » Quando o universo não conspirar desista!
 » Namorado azarado!
 » Descompasso
 » Aparências
 » A Viagem (com a sogra) - Última parte
 » Nossa praia e o novo normal
 » A Viagem (com a sogra) - Terceira parte
 » A Viagem (com a sogra) - Segunda parte
 » A Viagem (com a sogra) Primeira parte
 » Bravas Mulheres ou Mulheres bravias?
 » Sonho e realidade
 » Os Invisíveis
 » Bordado nas estrelas...
 » Vazio...
 » Uma história sem fim...
 » A pior monstruosidade de um ser humano

Voltar