07/12/2016
A menina belga

Ela nasceu na Bélgica, filha de um jogador famoso na época e de uma espanhola de fibra.

Quando a conheci, tinha por volta de nove anos de idade.
Estudava na mesma escola das minhas filhas e faziam natação na mesma academia, e assim, eu a vi crescer.

Já na fase da adolescência, com alguns acontecimentos que às vezes a vida nos impõe, ela teve depressão juvenil, observada pela mãe atenta. Como eu já tinha uma certa experiência com jovens nessa situação, sua mãe a mandou para mim...eu cuidaria da pele dela e quem sabe, conseguiria ajuda-la.

E foi então que começou a nossa amizade. Na verdade, trocávamos ideias, pois ela sempre foi uma menina muito inteligente e perspicaz... sensível demais. Quando damos atenção aos jovens, eles têm muito a nos ensinar.

Naturalmente, não quero dizer que fazia o trabalho de uma terapeuta. Longe disso, o que sempre tive a oferecer, foi minha amizade, meus ouvidos, meus conselhos e até umas broncas.
Tornou-se uma bela mulher, linda mesmo... daquelas que passaram muitas vezes na fila da beleza e deixou muitos corações masculinos derretidos por ela.

Mas, quem levou o troféu de seu coração, foi um certo Doutor surfista, muito do charmoso, e disputado pelo mulherio. Mas, concorrer com ela, era até covardia...Não tinha pra ninguém.
Claro que hoje não deve ser muito fácil para ele, ver tanta beleza ser admirada por onde ela passa.

Engenheira formada com sucesso em seu trabalho.
Casou-se e teve um lindo filho, hoje com 18 anos, e num determinado momento, quis fazer algo novo. Não teve dúvidas... foi fazer uma nova faculdade! Virou Doutora também.
Montou consultório, continuou se especializando e hoje é uma profissional de sucesso. Aliás, para variar, ela fica deslumbrante vestida de branco.
E com seu espirito irrequieto, ela não parou. Hoje, é atleta, corredora... viaja pelo mundo, para correr... por prazer.

E tudo isso, sendo mãe, esposa e profissional da área da saúde.
Estou contando essa história porque, para mim, ela é um exemplo de superação, de força de vontade, pois, como a vida nem sempre é um mar de rosas, ela passou por momentos difíceis com perdas trágicas na família, quando era recém-casada.

Tão jovem, precisou crescer rápido para dar apoio á família. Eu a admirei ainda mais.
Quando parei de atender como esteticista, confesso que foi uma das mais dolorosas despedidas.
Mas, carinho e amizade são eternos entre mim e ela... Alias o nome carinhoso que ela me deu foi...
Bruxilda.

Selma esteticista
 



Leia outras matérias desta seção
 » Meus queridos, meus velhos, meus amigos!
 » Cala a boca Magda
 » Fui me despedir
 » O fim de uma história
 » Quando o universo não conspirar desista!
 » Namorado azarado!
 » Descompasso
 » Aparências
 » A Viagem (com a sogra) - Última parte
 » Nossa praia e o novo normal
 » A Viagem (com a sogra) - Terceira parte
 » A Viagem (com a sogra) - Segunda parte
 » A Viagem (com a sogra) Primeira parte
 » Bravas Mulheres ou Mulheres bravias?
 » Sonho e realidade
 » Os Invisíveis
 » Bordado nas estrelas...
 » Vazio...
 » Uma história sem fim...
 » A pior monstruosidade de um ser humano

Voltar