22/07/2021
Amor ao próximo tão distante

Hoje em dia as pessoas são massacradas com notícias que fazem com que se sinta muita repulsa por muitas pessoas, as já desprovidas e vazias de caráter, de moral, de ética, de discernimento, de coerência e de respeito à vida dos outros. Este país, como tendo tido o seu povo educado pela religião cristã, parece que tal educação não educou à todos. Sabe-se disso quando alguns ou mesmo muitos exteriorizam ou verbalizam as suas insanidades publicamente. Atualmente muitos mentem descaradamente. Como também se sabe existem aqueles que criam intrigas para que outro ou outros sejam prejudicados nas atuações ou funções que exercem para que eles sejam rejeitados publicamente.

Nestes dias de pandemia, se isso não bastasse, teve gente desejando a morte de alguém e quase todos sabem de quem. Mas o alguém é um ser humano. Como pode haver esse desejo da morte de um semelhante seja ele certo ou errado em suas decisões? Existem pessoas que se esquecem que aqui neste país não existe a pena de morte (risos). Será que as pessoas que desejam que outra pessoa morra “são boas da cabeça”? Será que elas conseguem se conscientizar de que quando desejam a morte de alguém elas podem ter tendências criminosas inerentes?

O “desamor ao próximo” cada vez mais está sendo consolidado neste país que conheço. Mas desconhecia a insensatez e mesmo a monstruosidade de alguns que têm a infelicidade de pensar e exteriorizar tanto ódio por alguém chegando até ao desejo de que o alguém morra. Será que tais pessoas algum dia irão acordar para se livrarem das influências de ódio a que foram submetidas sem saber para poder se defender? Interessante como muitas palavras perdem o sua importância. Já faz tempo que não escuto a palavra pecado. Será que ele não existe mais e sendo assim podemos em pensamento matar quem nós quisermos?

Altino Olimpio



Leia outras matérias desta seção
 » Disenteria provoca reflexões
 » Nós e o cérebro
 » Libertinagem de expressão
 » Mundo louco
 » Nem percebi o tempo passar
 » Humanidade atropelada pelas mudanças
 » Amor ao próximo tão distante
 » Só os velhos vivem sem ilusões
 » Brasil muito atrasado
 » O livre-arbítrio desapareceu
 » É verdade que são mentiras
 » O Continente fantasia
 » Nós sempre somos consequências
 » Quando estamos sendo nós mesmos?
 » Todos saem do povo mas depois...
 » Ninguém se livra do passado
 » Faleceu José Olimpio (Zinho)
 » Esquecemos de ser felizes
 » Ainda ouvimos os sinos dentro de nós
 » Regressão ao paraíso perdido

Voltar