19/07/2022
Quem procura encontra

Como a maioria ele foi batizado na religião católica. A infância e a juventude transcorreram normalmente até a maturidade quando constituiu família. De espírito inquieto, para alterar a monotonia do viver comum, ele enredou por outras sendas em busca de novos conhecimentos para satisfação interior. Praticou a “Gira” mas, como a mediunidade não lhe adveio, contentou-se apenas em ser cambone no terreiro de Umbanda. Nas ricas religiões japonesas, através do jurê ministrou em outros tratamentos curativos irradiados pelas palmas de suas mãos enquanto ao mesmo tempo muito bocejava. A doutrina Yoga lhe forçou diariamente a posturas desconfortantes e anos de meditações com o intuito de controlar os seus pensamentos.

Obedeceu aos rigores de se suprir de produtos naturais adaptando-se a alimentação vegetariana e macrobiótica. Ingressou numa fraternidade mística onde enriqueceu o intelecto com os novos conceitos adquiridos ao galgar os graus de estudo. Dedicou-se à leitura esotérica e filosófica, assistiu a inúmeras palestras e participou de cursos de parapsicologia e desenvolvimento mental. Convidado foi iniciado na mais famosa sociedade filantrópica masculina onde também pela sede de saber pacientemente cumpriu vários de seus graus, mas, as verdades e os conhecimentos adquiridos estavam aquém daqueles que almejava para a sua evolução interior. Com tanta intelectualidade sua presença nas conversas com outros era apreciada. Embora monopolizasse o ambiente com os seus "conhecimentos", às vezes para si mesmo balbuciava “é tudo farinha do mesmo saco”.

Por ter desprendido anos em sua busca e ter-se descuidado de sua vida material e até familiar, seu viver tornou-se complicado. Racional nas reflexões duvidando da validade de seus sacrifícios de até então, ele ainda detinha sua última cartada. Lera numa revista especializada em ocultismo e temas correlatos a reportagem com a fotografia de um guru que alcançara o conhecimento e era também conselheiro de líderes políticos internacionais. Ele vendeu então o pouco do que ainda possuía e partiu para se encontrar com o guru. Se defrontou com muitas dificuldades até que afinal localizou longe da civilização em lugar de difícil acesso o guru com a sua longa barba e de olhar distante aparentando a mesma serenidade de sua foto tida na revista anteriormente aqui citada.

Emocionado, ele, um tanto afobado disse ao guru: Mestre, depois de tanto sofrer decepções eu vim de muito longe para aprender contigo. Ensina-me com obter a verdadeira sabedoria. E o guru, então, atendendo-o lhe foi dizendo: O aprendizado é simples. Doravante sua alimentação deverá ser frugal desprovida de carne. Deverá ter abstinência sexual, praticar oração, assimilar os conhecimentos que cada grau de consciência lhe dará depois de transpô-los. Enfurecido pelo que ouviu do guru o buscador, ameaçador, exteriorizou o seu descontentamento pelo que ouviu: “Não, não pode ser só isso. Seo FDP tudo isso eu já sei. Surpreso e indeciso, com o olhar arregalado e já desestruturado o guru lhe perguntou: UÉ, mais... Num é isso não?

Altino Olimpio



Leia outras matérias desta seção
 » Oitenta anos
 » Alienação mental agradável
 » Quem procura encontra
 » Círculo desfeito
 » Somos muito distraídos?
 » O finito no infinito
 » Vida eterna
 » O Alcebides da Ilha das Cobras
 » Ingenuidade generalizada nacionalmente
 » Vivemos incomodados pelos anormais
 » Perdidos no espaço
 » Quando o futuro nos aparece?
 » Pensamentos perturbadores
 » Coisas da vida
 » Saudades da solidão
 » Afinal quem somos de verdade ?
 » Quem são mesmo os racionais e os irracionais?
 » Os Mitos e a Eternidade
 » Tudo Passa e tudo passará
 » A “Maria vai com as outras” se generalizou

Voltar