01/02/2023
Para você amiga Lùcia

Duas vezes por semana, as 6:30 da manhã, ela entrava porta adentro dizendo: “quem é a esteticista louca que me atende a essa hora? e ela mesma respondia: “ é a doida da Selminha que me ama e que eu amo mais.”

A alegria entrava com ela, pois se existia uma pessoa que sabia levar a vida sorrindo e rindo da vida, era ela. 

Sempre trazia um pacotinho, uma surpresa, um docinho, uma erva para chá, qualquer coisa que fosse, mas estava sempre recheado de muito amor. 

Eu a conheci muito antes de ser esteticista, quando ainda estudava e ela costumava comprar muitas joias que na época eu vendia, para pagar meus cursos. 

Quando me formei, foi uma das primeiras clientes e com ela trouxe muitas, muitas outras.
Posso dizer sem possibilidade de erro, que minha vida profissional e social se dividiu em duas fases: antes e depois de Lucia. 

Passei a frequentar ambientes, residências, festas, jantares beneficentes, sempre acompanhada por ela, grande parceira.

Foi a descoberta de um mundo que eu só via pelos jornais da cidade. 

E como nós nos divertíamos juntas…

Muitas vezes eu ficava na dúvida se devia ir mesmo em algum evento e ela logo vinha dizendo: “ para com isso Selminha, terá muita gente lá, que antes passará na minha casa

para pegar bolsas, sapatos e roupas emprestadas, para parecer chic” e dizia isso rindo, fazendo com que eu me sentisse a vontade. 

Quando as vezes eu perguntava como eu deveria me vestir ela dizia: “vai vestida com seu sorriso sincero, calce os sapatos de sua elegância nata e use as joias dos seus olhos que brilham quando se dirigem à alguém”! Ela era um encanto. 

Certa vez num jantar beneficente, ao ler o menu, entre as opções havia um prato chamado “crepe Suzete”. Eu perguntei a ela do que se tratava, já que eu não conhecia, e  ela me disse o seguinte : “ah! isso aí é uma panqueca metida a besta”. Impossível não rir ao seu lado. 

Só nos separamos durante os dois anos de pandemia, mas sem nunca perder o contato. 

Amigas assim são inesquecíveis. 

Mas no ano passado ela voltou, já não tinha tanta alegria nos olhos, pois havia perdido seu marido, que também era uma pessoa formidável.

Mesmo assim, ela entrou sorrindo, me dando um abraço onde estavam contidas toda a saudade e a alegria da chegada, depois de tanto tempo separadas. Claro que ela me trouxe um presente, feito por ela, que tinha mãos de fada para as artes e cozinha. 

Passamos o ano de 2022 nos vendo mensalmente… tínhamos planos de voltar a frequentar as festas de antigamente, que estavam voltando a pipocar na cidade, ela me convidou para irmos numa “noite no boteco” e eu estava aguardando a próxima oportunidade, quando do nada, sua filha (única por sinal) me manda mensagem dizendo que minha amiga estava no hospital, mais precisamente na UTI. 

Confesso que perdi o chão. Sabia o pavor que ela tinha de ficar doente e de hospitais… 

Mas eu acreditei que ela iria superar. Já fazia meus planos de ficar com ela assim que fosse para o quarto. Agora que trabalho muito menos, eu ia dar todo o tempo que ela precisasse de minha companhia…

Mas não deu!

Ela se foi…

Eu fui vê-la. Eu fui me despedir!

Eu fui na missa de 7* dia!

Mas eu ainda não consigo acreditar…

Minha amiga Lúcia, você me deixou?

Como assim? Não tínhamos combinado de ir no Boteco e “ bebermos todas”, lembra?

O que eu faço agora sem você?

Ah! já sei… 

Você foi antes para quando eu chegar a gente fazer a festa aí né? 

Será que aí tem “panqueca metida a besta”?

Amiga, eu acho que ficarei mais um tempo aqui na terra, mas quando eu for chamada, por favor, você me espera na porta?

Você sabe como fico tímida em ambientes estranhos.  Fica combinado assim tá?

Até qualquer dia querida…

 

De sua eterna amiga e esteticista.

 

Selminha. 

 

ps.: não descuida da sua pele, por favor. 

 

Selma.



Leia outras matérias desta seção
 » O último dos Moicanos. 
 » Pesadelo x Realidade
 » Doces Lembranças
 » A Bisa e os cueiros
 » A danada
 » Sonhos de um palhaço
 » Engripou o motor
 » Jogando esterco no mundo
 » Ação e Reação
 » O amor venceu
 » Viagem na máquina do tempo
 » Na escola da vida
 » Parte de quem parte,fica!
 » Nostalgia mineira
 » Para você amiga Lùcia
 » Rabo verde
 » É Natal ?
 » Você está aí velhinho ?
 » Para minhas flores
 » Sem limites para sonhar

Voltar