15/12/2023
O destino

O destino

 

Faz tempo que não ouço falar do destino

Parece que ele já está meio esquecido

Antigamente ele era mais comentado

Como se fosse culpado do que nos acontecia

Se foi ele que me trouxe para esta vida

Então não foi a cegonha que me trouxe

Como antigamente se dizia para as crianças

Eu nasci num lugarzinho chamado Caieiras

Talvez seja por isso que eu só escreva besteiras

Sobre o destino eu só conheço a palavra destino

Não sei se ele existe porque nunca o vi destinando

Mas antes eu ouvia que só iria ser o que ele queria

Se agora sou o que o destino quis

Então não sou culpado pelo que fiz e pelo que sou

Um nada ser já quase na idade de morrer

Na ausência do destino para me socorrer

Sei que vou perder a memória da minha história

Foi de emoções e alegrias e também de desatinos

Então se o destino está em tudo o que acaba

Parece que para mim ele não mais recomeça

Para renascer em outro lugar e de outros pais

Eu que hoje não acredito em mais nada

Sou do tipo de gente que ficou muito descrente

Tudo culpa daqueles que inventaram o destino

Aquele que administra a sequência dos fatos

Que acontecem na vida de cada um

E que cada um tenha o destino que merece

Mas se os fatos existem e o destino não

Todos são responsáveis pelos seus atos e não ele

Sei bem que este mundo é cheio de anedotas

Quem as inventa pensa que todos somos idiotas

Sob a grande lona do circo que agora cobre o país

Já rimos muito dos artistas que eram palhaços

Agora nós é que somos palhaços nesse angu de caroço

Culpados desse viver seguindo um rumo sem destino

Como é sem destino quem segue o destino de outros

Aqueles responsáveis ou culpados pelo angu de caroço

 

Altino Olímpio



Leia outras matérias desta seção
 » Quando a vida é bela ou cor de rosa?
 » Reflexões 
 » Só sei o pouco que sei e mais nada
 » Conversa entre amigos do antigo Orkut
 » O “me engana que eu gosto” é sempre atual
 » A mulher do ai, ai, ai
 » Quando nós seremos nós mesmos?
 » Viver muito cansa?
 » A aventura de viver
 » Esquecidos, o céu, o sol e a lua 
 » Uma lembrança que a memória não esqueceu
 » Tempos felizes de molecagens
 » A importância da vida
 » O destino
 » Quem somos nós diante de tantas influências
 » Dois textos
 » A vida como ela é...
 » Mensagens telepáticas
 » A minha iluminação
 » Rapidinhas do Altino

Voltar