02/12/2020
Alegria e tristeza

Afirmam que tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião.... Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar; tempo de chorar e tempo de dançar. Ao colocar alegria e tristeza como não concomitantes no tempo, mostra a impossibilidade de alguém sentir-se triste e alegre ao mesmo tempo. Quando passamos por tristezas, ainda que haja algum motivo para alegria, parece que ela sufoca ou nos cega para as coisas boas.

Quando há motivo de alegria e em seguida surge algo que nos entristece, parece que a tristeza tem mais força que a alegria e prevalece nos nossos sentimentos.Por mais que fujamos da tristeza, há um tempo para ela na vida. Não escolhemos ficar tristes. Alegria e tristeza são sentimentos que surgem em decorrência das circunstâncias, quase todas fora de nosso controle. Não há quem não busque a alegria e que não fuja da tristeza e mesmo assim a tristeza ocorre. E não há quem não queira eternizar a alegria e mesmo assim não consegue.Se há tempo para tristeza e alegria, significa que elas não são eternas. No dizer do salmista, o choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria.

A tristeza pode durar um tempo, mas não é eterna.Há uma diferença na percepção humana da alegria e da tristeza: a alegria é sempre passageira e a tristeza duradoura. A alegria tem a estranha capacidade de nos anestesiar para as demais coisas da vida. Costuma-se dizer você não sentirá o tempo passar, pois Deus fará você ficar alegre.A tristeza, por sua vez, tem a capacidade de aguçar nossos sentidos, nos colocar em alerta geral, fazer pensar na causa da tristeza e em todas as consequências que ela traz.Outrossim, costuma-se dizer que a tristeza aguça de noite. A tristeza tem a capacidade de ser mais aguda quando queremos dormir. É quando ela dói mais.

Claro que varia de pessoa pra pessoa esse comportamento.A vida é cheia de alegrias e tristeza e nenhuma das duas é eterna. O Sábio inverte esta lógica chamando a atenção para os perigos da alegria e para os benefícios da tristeza. Ao fazê-lo redimensiona a percepção destes sentimentos e nos dá a chance de tirar lições para viver sabiamente.

Osvaldo J. Della Betta



Leia outras matérias desta seção
 » Alegria e tristeza
 » Deus segundo Einstein
 » Voltas ao redor da vida
 » Armadilhas do Detran
 » A Fila
 » Cremação segundo o irmão X
 » O acidente de trem de 1968
 » Bitcoin ou pirâmide ?
 » Memórias
 » Imagina se você tivesse nascido em 1900
 » A vida como ela é !
 » Cinismo político
 » A magia de viver bem
 » É para rir ou chorar ?
 » A gratidão do grande maestro
 » A cruz do peregrino reclamão
 » Cobertor curto
 » Fala Vardinho: Comentários sobre o covid19
 » Fala Vardinho: Deus é a fonte do bem
 » Fala Vardinho:A era dos tristes e desalentados

Voltar