01/02/2021
Em casa de pouca farinha, meu pirão primeiro

Lagoinha recebeu R$25.000,00 em seu primeiro salário como prefeito de Caieiras. Para quem alega que a prefeitura está falida, chega a ser imoral tal remuneração como prioridade de gasto com o dinheiro público. Ainda mais quando dispensou uma centena de funcionários e não pagou as verbas rescisórias.

Mandou os trabalhadores procurarem os direitos na Justiça. Assim, com esse calote, contraiu mais dívidas para os cidadãos caieirenses pagarem por meio de impostos. A atitude de não pagar as rescisões também gera multa por atraso no pagamento. A maioria das dispensas ocorreu em 05 de janeiro, quando não havia reserva orçamentária para arcar com o compromisso trabalhista, ou seja, era proibido contrair a dívida sem ter disponibilidade financeira.

Ao contrair essa dívida, o prefeito Lagoinha incidiu em crime de responsabilidade previsto na LRF. Não bastasse essa inadimplência, Lagoinha contratou substitutos para o lugar dos demitidos, inclusive a maioria dos novos contratados é de indicação política e de tráfico de influência.

Enquanto isso, na administração do Lagoinha, reina o ditado popular: em casa de pouca farinha, meu pirão primeiro. Mas é bom lembrar outra sabedoria popular: pau que bate em Chico, bate em Francisco.

 

Hermano Leitão



Leia outras matérias desta seção
 » Lagoinha manda reforma administrativa para Câmara
 » Em casa de pouca farinha, meu pirão primeiro
 » Os erros das pesquisas
 » IMPEACHMENT A LA BRASIL: bananas e jabuticabas!
 » Temer e a massa falida de Dilma
 » PT e a lavanderia
 » Brasil paga pela megalomania de Lula
 » Dilma será cassada por embuste

Voltar